A alternativa fundacionista de Bonjour

  • Jonatan Willian Daniel UFRGS
Palavras-chave: Fundacionismo. BonJour. Dilema de Sellars. Regresso epistêmico.

Resumo

O objetivo deste trabalho é avaliar a solução fundacionista proposta por Laurence BonJour para o problema do regresso epistêmico. De acordo com BonJour, a consciência não aperceptiva constitutiva do conteúdo de um estado consciente atual justificaria uma crença aperceptiva acerca desse estado mental. Essa consciência, no que se refere a percepções sensoriais, cumpriria o papel de elemento básico do conhecimento exigido pelos fundacionistas para a solução do problema do regresso epistêmico. A avaliação dessa concepção é particularmente interessante porque BonJour endossou por muito tempo a crítica sellarsiana ao fundacionismo, e nos textos aqui analisados pretende defender uma forma de fundacionismo imune às críticas de Sellars. Neste trabalho, argumento que a solução fundacionista proposta por BonJour não alcança seu objetivo. Nossa análise (1) avalia se a descrição de BonJour do que é entreter uma crença ocorrente é adequada fenomenologicamente, (2) analisa em que sentido é possível comparar um conteúdo sem forma proposicional – como o de uma experiência sensorial – e um conteúdo proposicional da crença aperceptiva que a descreve e (3) avalia se a cognição do ajuste da descrição proposicional de um conteúdo sensorial não implica uma crença contingente de que tal é o caso, o que demandaria por sua vez uma justificação, impedindo uma interrupção fundacionista do regresso epistêmico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERGMANN, M. “BonJour’s dilemma”. Philosophical Studies, v. 131, 2006. pp. 679-693.

BONJOUR, L.The structure of empirical knowledge. Cambridge: Harvard University Press. 1985.

_________. “A dialética do fundacionalismo e coerentismo”. In: GRECO, J. & SOSA, E. (Orgs.). Compêndio de epistemologia. São Paulo: Loyola, 2008. pp. 191-229.

_________. “The dialectic of foundationalism and coherentism”. In: GRECO, J. &SOSA, E. (Eds.). The Blackwell guide to epistemology. Malden: Blackwell, 1999a. pp. 117-142.

_________.“Foundationalism and the external world”. Philosophical Perspectives, v. 13, 1999b. pp. 229-249,

_________.“Toward a defense of empirical foundationalism”. In: De PAUL, M. (Ed.). Resurrecting old-fashioned foundationalism. Oxford: Rowman & Littlefield, 2001. pp. 21- 38.

_________. “Replies”. Philosophical Studies, v. 131, 2006. pp. 743-759.

BONJOUR, L. & SOSA, E. Epistemic justification: internalism vs. externalism, foundations vs. virtues. Malden: Blackwell Publishers. 2003.

BRANDOM, R.Making it explicit.Cambridge, Mass.: Harvard University Press. 1994.

DAVIDSON, D. “A Coherence theory of truth and knowledge”. In: LEPORE, E. (Ed.). Truth and interpretation: perspectives on the philosophy of Donald Davidson. Oxford: Blackwell, 1986. pp. 307-19.

ETCHEVERRY, K. “O fundacionismo internalista de BonJour e seus críticos”. Kínesis, v. 5, 2011. pp. 298-308.

ICHIKAWA, J. & STEUP, M. “The analysis of knowledge”. In: ZALTA, E. (Ed.). The Stanford encyclopedia of philosophy (Fall 2013 edition).2012. Disponível em: <http://plato.stanford.edu/archives/fall2013/entries/knowledge-analysis/>. Acesso em: 20 jan. 2014.

KUHN, T. A estrutura das revoluções científicas. Trad. por Beatriz V. Boeira e Nelson Boeira. São Paulo: Perspectiva, 1982. Original publicado em 1962.

McDOWELL, J.Mente e mundo. Trad. Por João V. G. Cuter. São Paulo: Ideias & Letras, 2005. Original publicado em 1994.

ROSENTHAL, D. “Two concepts of consciuousness”. Philosophical studies. vol. 94. 1986. pp. 329-59.

RORTY, R. Philosophy and the mirror of nature. Princeton: Princeton University Press.1979.

SELLARS, W. Empirismo e filosofia da mente. Trad. por Sofia A. Stein. Petrópolis: Vozes, 2008. Original publicado em 1956.

_________.“The structure of knowledge”. In: CASTAÑEDA, H. (Ed.). Action, knowledge, and reality. Indianapolis: Boobs-Merrill, 1975. pp. 295-347.

SCHLICK, M. “Facts and propositions”. Analysis, v. 2, 1934-35. pp. 65-70.

Publicado
2015-12-08
Como Citar
Daniel, J. W. (2015). A alternativa fundacionista de Bonjour. Intuitio, 8(2), 94-113. https://doi.org/10.15448/1983-4012.2015.2.18516
Seção
Varia