A Diversidade da Condição Humana e a Deficiência do Conhecimento: no convívio com as diferenças e as singularidades individuais

  • Idilia Fernandes

Resumo

Muitos métodos que foram criados, nas diversas áreas do saber, têm servido para criar muros entre as pessoas, consolidando fronteiras que separam “os normais” dos “não-normais”. Nas linhas que seguem, tanto a ficção como a vida real estará fornecendo subsídios para a argumentação que pretende sustentar a idéia de que o principal déficit se localiza nas organizações das instâncias sociais, suas instituições e seus métodos e não unicamente no sujeito. O conhecimento, por natureza, apresenta limites na apreensão do real, uma vez que o mesmo é mais abrangente do que o esforço das ciências em compreendê-lo. Todavia, é necessário que se tenha o cuidado, na manipulação dos conhecimentos, com a vida dos sujeitos. Em nome do desconhecimento sobre a condição humana, não se pode mais sacrificar as singularidades humanas, interditando suas expressões.
Palavras-chave: Processos sociais. Padrão de normalidade. Cultura de normalidade. Singularidade. Diferenças. Diversidade. Condição humana. Deficiência do conhecimento. Estranhamento. Preconceito. Pessoa portadora de deficiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-10-24
Como Citar
Fernandes, I. (2006). A Diversidade da Condição Humana e a Deficiência do Conhecimento: no convívio com as diferenças e as singularidades individuais. Textos & Contextos (Porto Alegre), 2(1), 1-11. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fass/article/view/960
Seção
Serviço Social e Saúde