Geografia íntima: um estudo dos documentos e arquivos nas artes visuais

  • José Cirillo Universidade Federal do Espírito Santo
Palavras-chave: Processo de criação, Artes visuais, Crítica genética, História da arte

Resumo

Os documentos e arquivos do processo de criação trazem em si evidências da interação da mente criadora: consigo mesma, com a matéria de sua construção, com o ambiente e com o público, revelando uma cartografia íntima desse espaço que é a criação nas Artes. Este trabalho tem por objetivo situar, sitiar e apresentar uma análise dos documentos de Shirley Paes Leme, materiais inestimáveis para a pesquisa genética sobre o processo de criação nas Artes Visuais no Brasil. Entendidos como sítio de armazenamento, reflexões e experimentações, esses documentos e arquivos de artista permitem a análise dos modos como o texto verbal e o texto visual fazem a mediação entre o plano das ideias e o plano material de elaboração da obra. Juntas, imagens e palavras permitem compreender os procedimentos gerais da investigação segundo um método próprio para os documentos de artistas, pautando-se na interação de metodologias da crítica genética e da história da arte de modo investigativo, crítico e flexível o suficiente para que os aspectos da diversidade de cada artista, de cada processo, sejam respeitados

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Cirillo, Universidade Federal do Espírito Santo
Como Citar
Cirillo, J. (2011). Geografia íntima: um estudo dos documentos e arquivos nas artes visuais. Letras De Hoje, 45(4). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/8547
Seção
OS ESCRITORES E SEUS PAPÉIS: reflexões acerca do processo de criação