O uso da estratégia de alongamento compensatório em crianças com desenvolvimento fonológico normal e desviante

  • Carolina Lisbôa Mezzomo
  • Helena Bolli Mota
  • Roberta Freitas Dias
  • Vanessa Giacchini
Palavras-chave: acústica da fala, onset complexo, aquisição fonológica, atraso de fala, alongamento compensatório.

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivo investigar, com auxílio da análise acústica, a presença de alongamento compensatório em casos de simplificação do onset complexo (OC) na fala de crianças com desenvolvimento fonológico normal (GDFN) e desviante (GDFE). Para tanto, analisou-se a fala de 28 crianças, monolíngües, falantes do português brasileiro, de ambos os sexos, com idades entre 1:0 e 8:0 anos. A análise temporal dos segmentos foi realizada com o auxílio do software de áudio-processamento, o PRAAT, versão 4.4.16 (BOERSMA e WEENINK, 2006). Os resultados mostraram maior ocorrência de alongamento compensatório a partir da análise acústica, em comparação com a análise perceptual. Verificou-se, nos OCs formados por fricativa, o emprego da estratégia principalmente pelo GDFE. Nos OCs com “plosiva+líquida” o GDFN e o GDFE utilizaram o alongamento compensatório de forma semelhante. Não se constatou diferenças quanto ao gênero. A análise acústica mostrou ser capaz de validar o conhecimento fonológico em relação à presença do OC, quando este ainda não é preenchido com os segmentos-alvo, apontando para a necessidade do uso da espectrografia para a realização de descrições fonológicas mais confiáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Mezzomo, C. L., Mota, H. B., Dias, R. F., & Giacchini, V. (2009). O uso da estratégia de alongamento compensatório em crianças com desenvolvimento fonológico normal e desviante. Letras De Hoje, 43(3). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/5607
Seção
Artigos