Contribuições bakhtinianas para um feminismo dialógico

Palavras-chave: Alteridade, Ato ético, Diálogo, Heterodiscurso, Feminismo dialógico

Resumo

Há mais de 170 anos, feministas questionam o conceito de mulheridade, observando como a definição do que é ser mulher perpassa múltiplas e complexas questões. A diversidade da categoria “mulher” impulsionou a construção de vários conceitos, teorias e metodologias no arcabouço feminista, tais como a interseccionalidade, o lugar de fala, a teoria do ponto de vista, os saberes localizados, o feminismo negro, o feminismo decolonial, o feminismo dialógico, entre outros. Lídia Puigvert e Márcia Tiburi têm teorizado sobre o feminismo dialógico, demonstrando que é possível pensar em um feminismo que, por meio de um posicionamento ético, como um lugar de fala e de escuta, de diálogo e de solidariedade entre diferentes vozes, perceba as desigualdades sociais e lute contra as diversas formas de opressão. Neste artigo, visamos desenvolver uma reflexão a partir do cotejamento de ideias propostas por Lídia Puigvert e Márcia Tiburi sobre o feminismo dialógico com alguns conceitos propostos por Mikhail Bakhtin, verificando de que modo o pensamento bakhtiniano pode colaborar para um feminismo dialógico. Com esta reflexão, é possível observar que muitos conceitos elaborados por Bakhtin, como diálogo, relações dialógicas, heterodiscurso, posições axiológicas, ato ético, alteridade e excedente de visão, podem contribuir para um feminismo dialógico, tanto como teoria quanto como práxis, iluminando facetas de uma abordagem de alto poder heurístico para promover espaços democráticos plurais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria da Glória Di Fanti, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Professora-pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Letras da Escola de Humanidades da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PPGL/PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

Débora Luciene Porto Boenavides, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutoranda em Linguística no Programa de Pós-Graduação em Letras da Escola de Humanidades da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PPGL/PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil, com bolsa do CNPq.

Luciane Alves Branco Martins, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Doutoranda em Linguística no Programa de Pós-Graduação em Letras da Escola de Humanidades da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PPGL/PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil, com bolsa da CAPES/PROEX.

Referências

AKOTIRENE, C. Interseccionalidade. São Paulo: Pólen, 2019.

BAJTIN, M. Hacia una filosofía del acto ético [1920-1924/1986]. De los borradores y otros escritos. Tradução de Tatiana Bubnova. Barcelona: Anthropos; San Juan: Universidad de Puerto Rico, 1997.

BAKHTIN, M. Reformulação do livro sobre Dostoiévski [1961-1962]. In: BAKHTIN, M. Estética da criação verbal [1979]. Tradução de Paulo Bezerra. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003a. p. 337-357.

BAKHTIN, M. [1922-1924. O autor e a personagem na atividade estética. In: BAKHTIN, M. Estética da criação verbal [1979]. Tradução de Paulo Bezerra. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003b. p. 3-192.

BAKHTIN, M. Problemas da poética de Dostoiévski [1963]. Tradução de Paulo Bezerra. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010a.

BAKHTIN, M. Para uma filosofia do ato responsável [1920-1924/1986]. Tradução de Valdemir Miotello e Carlos A. Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010b.

BAKHTIN, M. O discurso no romance [1930-1936]. In: BAKHTIN, M. Teoria do romance I: a estilística. Tradução, prefácio, notas e glossário de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2015. p. 19-242.

BAKHTIN, M. Por uma metodologia das ciências humanas [1975]. In: BAKHTIN, M. Notas sobre literatura, cultura e ciências humanas. Organização, tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2017. p. 57-79.

BAKHTINE, M. Pour une philosophie de l´acte [1920-1924/1986] Tradução de Ghislaine C. Bardet. Paris: Editions L’Age d´Homme, 2003.

BEAUVOIR, S. O Segundo Sexo [1949] Tradução de Sérgio Milliet. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BEZERRA, P. Breve glossário de alguns conceitos-chave. In: BAKHTIN, M. Teoria do romance I: a estilística. Tradução, prefácio, notas e glossário de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2015. p. 243-249.

CRENSHAW, K. Demarginalizing the Intersection of Race and Sex: A Black Feminist Critique of Antidiscrimination Doctrine, Feminist Theory and Antiracist Politics. University of Chicago Legal Forum, Chicago, n. 1, p. 139-167, 1989. Disponível em: https://chicagounbound.uchicago.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1052&context=uclf. Acesso em: 20 abr.

DI FANTI, M. G. C. Notas sobre a alteridade em Bakhtin. In: DI FANTI, Glória; PASCHOAL, C.; CARDOSO, Daniela; BOENAVIDES, D. et al. (org.). Círculo de Bakhtin: alteridade, diálogo e dialética. Porto Alegre: Polifonia, 2020. p. 7-28. Disponível em: https://www.editorapolifonia.com.br/img/livros/Circulo%20de%20Bakhtin-%20alteridade,%20dialogo%20e%20dialetica.pdf. Acesso em: 20 abr. 2021.

FREUD, S. Algumas consequências psíquicas da diferença anatômica entre os sexos. In: FREUD, S. Obras completas, volume 16: O eu e o id, “autobiografia” e outros textos [1923-

. Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. p. 284-299.

HARAWAY, D. “Gênero” para um dicionário marxista: a política sexual de uma palavra. Cadernos Pagu, Campinas, v. 22, p.201-246, 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cpa/n22/n22a09.pdf. Acesso em: 20 abr. 2021.

LÓPEZ-MUÑOZ, J. M.; DI FANTI, M. G. C; MALCORRA, B. Discursos (in)tolerantes e democracia pluralista. Letrônica, Porto Alegre, v. 3, n. 2, p. 1-8, 2020. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/letronica/article/view/37655/26134. Acesso em: 20 abr. 2021.

MOUFFE, C. Politique et agonisme. Rue Descartes, Paris, v. 67, n. 1, p. 18-24, 2010. Disponible sur: https://www.cairn.info/revue-rue-descartes-2010-1-page-18.htm. Accès dans: 20 abr. 2021.

MOUFFE, C. Por um modelo agonístico de democracia. Tradução de Pablo Sanges Ghetti. Rev. Sociol. Polít., Curitiba, n. 25, p. 11-23, nov. 2005. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/rsp/article/view/7071. Acesso em: 17 abr. 2021.

NARVAZ, M. G. KOLLER, S. H. Metodologias feministas e estudos de gênero: articulando pesquisa, clínica e política. Revista Psicologia em Estudo, Maringá, v. 11, n. 3, p. 647-654, set./dez. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/pe/v11n3/v11n3a20.pdf. Acesso em: 11 abr. 2021.

PUIGVERT, L. Las otras mujeres. Barcelona: El Roure editorial, 2001a.

PUIGVERT, L. Igualdade de Diferenças. In: BECK-GERNSHEIM, E.; BUTLER, J.; PUIGVERT, L. Mujeres y transformaciones sociales. Barcelona: El Roure, 2001b. p. 93-107.

PUIGVERT, L; RUÍZ, L. Teoria feminista do século XXI: as vozes das outras mulheres. Revista Fórum, Braga, v. 33, p. 45-58, jan./jun. 2003. Disponível em: https://revistas.uminho.pt/index.php/forum/article/view/2169/2334. Acesso em: 11 abr. 2021.

RIBEIRO, D. Lugar de fala. São Paulo: Pólen, 2019.

SCHWARCZ, L. Sobre o autoritarismo brasileiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

STAM, R. Bakhtin e a crítica midiática. Tradução de Simone do Vale. In: RIBEIRO, A. P.; SACRAMENTO, I. (org.). Mikhail Bakhtin: linguagem, cultura e mídia. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010. p. 331-387.

TIBURI, M. Feminismo dialógico. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO, 11., 2018, Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis: UFSC, 2018. p. 1-10.

TIBURI, M. Feminismo em comum: para todas, todos e todes. 11 ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Ventos, 2019.

TIBURI, M. Feminismo dialógico: notas para a fundamentação de um projeto epistemológico e ético-político. No prelo.

Publicado
2021-12-31
Como Citar
Fanti, M. da G. D. ., Boenavides, D. L. P. ., & Martins, L. A. B. . (2021). Contribuições bakhtinianas para um feminismo dialógico. Letras De Hoje, 56(3), 570-583. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2021.3.42205
Seção
Dossiê: Estudos Bakhtinianos Contemporâneos