Literatura e cidade rizomáticas

Palavras-chave: Rizoma. Cidade. Literatura.

Resumo

Gilles Deleuze e Félix Guattari apresentam em Mil Platôs o conceito de “rizoma” que se faz na multiplicidade própria que a filosofia suscita. No estudo dos autores, há uma conexão de linhas que se ligam umas às outras na mesma estrutura que as raízes das plantas possuem. Desse modo, o presente estudo desenvolve uma argumentação na relação que a literatura brasileira contemporânea compreende acerca da construção do urbano dentro de sua ficcionalidade. Mais do que representar, os livros seriam expressões rizomáticas tanto na sua ficção quanto na construção urbana que as ações de suas personagens desenvolvem por entre as cidades. Com isso, os livros e as cidades apresentariam formas rizomáticas que estão conectadas umas às outras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Natã Mello Botton, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Mestre e doutorando, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

ABREU, Mauricio de Almeida. A Evolução Urbana do Rio de Janeiro. 2. ed. Rio de Janeiro: IPLANRIO/ZAHAR, 1988. https://doi.org/10.17771/pucrio.acad.19192

DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. Rio de Janeiro: Editora da UERJ, 2012.

DALCASTAGNÈ, Regina. A cidade como uma escrita possível. In: DALCASTAGNÈ, Regina. AZEVEDO, Luciene. (org.). Espaços possíveis na literatura brasileira contemporânea. Porto Alegre: Zouk, 2015. p. 85-100. https:// doi.org/10.17851/2358-9787.24.1.203-206

DAVIS, Mike. Planeta favela. Trad. Beatriz Medina. São Paulo: Boitempo, 2006.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Trad. Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995. v. 1.

FREITAG, Barbara. Teorias da cidade. 4. ed. Campinas, SP: Papirus, 2015.

GOMES, Renato Cordeiro. Todas as cidades, a cidade. 2. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

GOMES, Renato Cordeiro. A cidade, a literatura e os estudos culturais: do tema ao problema. Ipotesi: revista de estudos literários, Juiz de fora, v. 3, n. 2, p. 19-30, 2009. Disponível em: http://www.ufjf.br/revistaipotesi/files/2009/12/ACIDADE-A-LITERATURA-E-OS-ESTUDOS1.pdf. Acesso em: nov. 2015. https://doi.org/10.17851/2317-2096.19.3.29-45

HARVEY, David. Condição pós-moderna. Uma pesquisa sobre as Origens da Mudança Cultural. Trad. Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves. 12. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2003.

IANNI, Octávio. A era do globalismo. In: OLIVEIRA, Flávia Arlanch Martins de (org.). Globalização, regionalização e nacionalismo. São Paulo: Editora Unesp, 1999. p. 15-41.

LEHNEN, Leila. Cartografias móveis: mapeando as margens na literatura brasileira contemporânea. In: DALCASTAGNÈ, Regina. AZEVEDO, Luciene (org.). Espaços possíveis na literatura brasileira contemporânea. Porto Alegre: Zouk, 2015. p. 118-135. https://doi.org/10.17851/2358-9787.24.1.203-206

OUELLET, Pierre. Palavras migratórias. In: HANCIAU, Nubia. DION, Sylvie. (org.). A literatura na história a história na literatura: textos canadenses em tradução. Rio Grande: Editora da FURG, 2013, p. 145-170.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Botton, A. N. M. (2019). Literatura e cidade rizomáticas. Letras De Hoje, 54(4), 451-458. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2019.4.32945
Seção
Formas e efeitos do descentramento na ficção contemporânea