A desambiguação lexical durante a compreensão leitora em inglês como língua estrangeira

Palavras-chave: Desambiguação lexical. Compreensão leitora. Eye tracking.

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar a desambiguação lexical durante a compreensão leitora em inglês como língua estrangeira. Sabe-se que, para desambiguar uma palavra, o leitor normalmente recorre ao contexto; assim, a pesquisa está fundamentada teoricamente em questões que dizem respeito à definição de contexto, e abarca uma teoria lexical denominada Hipótese da Qualidade Lexical (HQL) que explica como as características das palavras (aspectos fonológicos e semânticos, por exemplo), são parte fundamental da compreensão leitora. Este trabalho faz parte de um projeto maior, ainda em andamento, que aqui, traz um estudo de caso que analisa a ambiguidade das palavras record e track em diferentes contextos de uso. Os resultados preliminares mostram que as características das palavras, bem como os diferentes tipos de contexto não estão desvinculados do fenômeno da desambiguação, mas o leitor nem sempre tem a ciência de que precisa desambiguar, ainda que compreenda o que leu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Blanco Riess, Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, RS

Doutora em Letras e Linguística pela PUC-RS. Bolsista Doc-Fix do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), Edital 04/2018.

Rosângela Gabriel, Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, RS

Docente permanente do Programa de Pós-graduação em Letras e Bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq na Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), Santa Cruz do Sul, RS, Brasil.

Referências

FILLMORE, Charles. Frames and the semantics of understanding. Quaderni di Semantica, Bologna, v. 6, n. 2, p. 222-254, 1985.

HOLMQVIST, K.; DEWHURST, R.; JARODZKA, H; VAN DE WEIJER, J. [TITLE]. Oxford: OUP, 2015.

JUFFS, Alan; HARRINGTON, Michael. Garden path sentences and error data in second language sentence processing. Language learning, Ann Arbor, Mich., US, v. 46, n. 2, p. 283-323, 1996. https://doi.org/10.1111/j.1467-1770.1996.tb01237.x

LANGACKER, R. Foundations of cognitive grammar. Theoretical prerequisites. Stanford, CA: Stanford University Press, 1987. v. 1.

LESK, Michael. Automatic sense disambiguation using machine-readable dictionaries: how to tell a pinecone from an ice cream cone. In: ANNUAL INTERNATIONAL CONFERENCE ON SYSTEMS DOCUMENTATION, 5., 1986, Canada. Proceedings [...]. Canada, ACM, 1986. p. 24-26. https://doi.org/10.1145/318723.318728

MCKEOWN, M.; BECK, I.; KUCAN, L. Bringing words to life: robust vocabulary instruction. Pittsburgh. New York: Guilford Press., 2002.

MODESTO, Marcello; MAIA, Marcus. Representation and processing of the inflected infinite in Brazilian Portuguese: an

eye-tracking study. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 25, n. 3, p. 1183-1224, jun. 2017. https://doi.org/10.17851/2237-2083.25.3.1183-1224

OGUSUKO, M. T.; LUKASOVA, K.; MACEDO, E. C.Movimentos oculares na leitura de palavras isoladas por jovens e adultos em alfabetização. Psicologia Teoria e Prática, São Paulo, n. 10, v. 1, p. 113-124, 2008.

PEGADO, Felipe; NAKAMURA, Kimihiro; BRAGA, Lucia W.; VENTURA, Paulo NUNES FILHO, Gilberto; PALLIER, Christophe; JOBERT, Antoinette; MORAIS, José; COHEN, Laurent; KOLINSKY, Régine; DEHAENE, Stanislas. Literacy breaks mirror invariance for visual stimuli: a behavioral study

with adult illiterates. Journal of Experimental Psychology, Arlington, v. 143, n. 2, p. 887-894, 2014. https://doi.org/10.1037/a0033198

PERFETTI, Charles. Reading ability. New York: Oxford University Press, 1985.

PERFETTI, Charles. Reading skills: lexical quality for comprehension. Scientific studies of Reading, London, v. 11, n. 4, p. 357-383. 2007. https://doi.org/10.1080/10888430701530730

PINTO, Maria da Graça Lisboa Castro; PEREIRA, Vera Wannmacher. Apresentação: Tecnologias, procedimentos de pesquisa e aplicações à linguagem e à comunicação numa perspectiva psicolinguística. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 50, n. 1, p. 5-6, jan./mar. 2015. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2015.1.20578

RAYNER, KEITH. Eye movements in reading and information processing: 20 years of research. Psychological bulletin, Arlington v. 124, n. 3, p. 372-422, 1998. https://doi.org/10.1037//0033-2909.124.3.372

ROSA, Kevin Dela; ESKENAZI, Maxine. Impact of word sense disambiguation on ordering dictionary definitions in vocabulary learning tutors. In: INTERNATIONAL FLORIDA ARTIFICIAL INTELLIGENCE RESEARCH SOCIETY CONFERENCE – FLAIRS CONFERENCE, 24., 2011. Proceedings [...]. Florida, 2011. p. 507-512.

RUMELHART, David E. Schemata: the building blocks of cognition. In: SPIRO, R. J.; BRUCE, Bertram C.; BREWER, W. F. (Ed). Theoretical issues in reading comprehension. London. Routledge, 2017. p. 33-58.

https://doi.org/10.4324/9781315107493-4

SANTOS, Sabrina Lopes dos; MAIA, Marcus; SAGUIE, Aline. Decisão lexical e rastreamento ocular na leitura de vocábulos com prefixos, raízes e sufixos com letras transpostas. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 43, n. 77, p. 87-97, maio/ago. 2018. https://doi.org/10.17058/signo.v43i77.11407

SARDINHA, Berber Tony. Preparação de material didático para Aprendizagem Baseada em Tarefas com WordSmith Tools e corpora. Calidoscópio, São Leopoldo, v. 4, n. 3, p. 148-155, set./dez. 2006.

SCHOTTER, Elizabeth R.; RAYNER, Keith. The work of the eyes during reading. In: POLLATSEK, Alexander; TREIMAN, Rebecca (Ed.). The Oxford handbook of reading. Oxford: Oxford Press, 2015. p. 44-62.

STEVENSON, Mark; WILKS, Yorick. Word sense disambiguation. In: MITKOV, R. The Oxford Handbook of Computational Linguistics. Oxford: OUP.2004

TAYLOR, Wilson. Cloze procedure: a new tool for measuring readability. Journal Quaterly, [S. l.], n. 30, p. 415-33, 1953. https://doi.org/10.1177/107769905303000401

VANYUKOV, Polina M., WARREN, Tessa; WHEELER, Mark E.; REICHLE, Erik D. The emergence of frequency effects in eye movements. Cognition, Amsterdam, v. 123, n. 1, p. 185-189, 2012. https://doi.org/10.1016/j.cognition.2011.12.011

WALTZ, David L.; POLLACK, Jordan B. Massively parallel parsing: a strongly interactive model of natural language interpretation. Cognitive Science, Norwood (NJ), v. 9, n. 1, p. 51-74, 1985. https://doi.org/10.1016/S0364-0213(85)80009-4

Publicado
2019-11-06
Como Citar
Riess, A. B., & Gabriel, R. (2019). A desambiguação lexical durante a compreensão leitora em inglês como língua estrangeira. Letras De Hoje, 54(2), 181-190. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2019.2.32529
Seção
Processamento da decodificação e da compreensão da leitura: consciência linguística e memória