Uma nota sobre o padrão entoacional das sentenças VS em português brasileiro

  • Izabel Christine Seara
  • Maria Cristina Figueiredo Silva

Resumo

A literatura especializada assume que a ordem VS no português brasileiro (doravante PB) está em vias de desaparecimento. No entanto, há construções em que esta ordem é obrigatória, como no caso de sentenças com o verbo ter existencial ou o verbo dar em exemplos como os de (1) abaixo: (1) a. Tinha uma luva no armário b. Deu o número na loto Nosso objetivo aqui será tentar estabelecer o(s) padrão(ões) entoacional(ais) das sentenças apresentadas em (1) a fim de compará-lo(s) com o(s) padrão(ões) entoacional(ais) das sentenças em (2), para as quais se assume na literatura que a ordem SV é largamente preferida: (2) a. Surgiu um cometa no céu b. Faltou o aluno na reunião O experimento consiste na leitura de sentenças em contextos “neutros” (como manchetes de jornais) e em situações de elicitação após uma pequena estória que fornece, ao seu final, os itens lexicais relevantes para serem usados pelo informante. A tentativa aqui é a de verificar também se há diferenças significativas em padrões entoacionais obtidos via leitura ou via produção (quase) espontânea. Com este experimento, esperamos mostrar os possíveis padrões entoacionais de sentenças VS em PB com os diferentes tipos de verbos inacusativos. Palavras-chave – padrão entoacional; ordem VS; português brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Seara, I. C., & Silva, M. C. F. (2008). Uma nota sobre o padrão entoacional das sentenças VS em português brasileiro. Letras De Hoje, 42(3). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/2795
Seção
Artigos