Imagens da crise: tendências ficcionais de Rui Zink

  • Caroline Valada Becker Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Romance português, Crise, Contemporaneidade.

Resumo

O escritor Rui Zink, em uma “Nota do autor” inserida ao final do romance O Destino Turístico, explica que pretende criar uma “tetralogia sobre a crise”, composta por três romances e um livro de contos – O Destino Turístico (2008), A Instalação do Medo (2012), A Metamorfose e Outras Formosas Morfoses (2014) e Osso (2015). Efetivamente, a crise é o cerne dessas narrativas e une-se à temática da violência, do terrorismo e do medo, dando eco a problemas da Europa contemporânea. A ficção, portanto, mimetiza facetas do mundo empírico, e Rui Zink, por meio de enredos alegóricos e irônicos, desenha a condição humana contemporânea – desesperada, assustada e cruel. Aceitando a proposta do autor como chave de leitura (e não como aspecto limitador da análise), este artigo dedica-se ao estudo de tais obras (especificamente os romances) para mapear o signo da crise, utilizando algumas proposições de Zygmunt Bauman (2008, 2014).

********************************************************************

Images of the crisis: Rui Zink’s fictional patterns

Abstract: The writer Rui Zink, in an inserted “Author’s Note” at the end of the novel O Destino Turístico (The Tourist Destination), explains that he aims to create a “tetralogy about the crisis”, composed of three novels and a book of short stories – O Destino Turístico (2008), A Instalação do Medo (2012, The Installation of Fear), A Metamorfose e Outras Formosas Morfoses (2014, The Metamorphosis and Other Beautiful Morphosis), and Osso (2015, Bone). In fact, the crisis is at the core of theses narratives and joins the violence, the terrorism, and the fear, reflecting contemporary European problems. The fiction, thus, mimics facets of the empirical world; and Rui Zink, by means of allegoric and ironic plots, draws the contemporary human condition – desperate, frightened, and cruel. This article accepts the author’s proposal as a reading key (and not as an aspect limiting the analysis) and is dedicated to the study of such literary works (specifically the novels) in order to map the sign of the crisis, taking into consideration some propositions of Zygmunt Bauman (2008, 2014).

Keywords: Portuguese novel; Crisis; Contemporaneity.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Valada Becker, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduada em Letras (UFRGS), mestre e doutoranda em Teoria da Literatura (PUCRS).

Referências

BARTHES, Roland. A morte do autor. In: O rumor da língua. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BAUMAN, Zygmunt. Medo Líquido. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008.

BAUMAN, Zygmunt; DONSKIS, Leonidas. Cegueira moral: a perda da sensibilidade na modernidade líquida. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2014.

CARDOSO, Tatiana de Almeida Freitas R. A mundialização do terrorismo: a (re)definição do fenômeno após o 11 de Setembro. In: Direitos Humanos e Terrorismo. Borges , Rosa Maria Zaia; Amaral , Augusto Jobim do; Pereira , Gustavo Oliveira de Lima (Org.). Porto Alegre: EDIPUCRS, 2014.

SILVA, Vitor Manuel de Aguiar e. A comunicação literária. In: Teoria da literatura. 5. ed. Coimbra: Almadina, 1983. Vol. 1. FOUCAULT, Michel. O que é um autor. Lisboa: Vega, 2006.

ZINK, Rui. O Destino Turístico. Portugal: Teodolito, 2015.

ZINK, Rui. A Instalação do Medo. Portugal: Teodolito, 2012.

ZINK, Rui. Osso. Portugal: Teodolito, 2015b.

Publicado
2016-12-31
Como Citar
Becker, C. V. (2016). Imagens da crise: tendências ficcionais de Rui Zink. Letras De Hoje, 51(4), 519-525. https://doi.org/10.15448/1984-7726.2016.4.23654