Aquisição de língua: uma perspectiva Ecolinguística

  • Elza Kioko Nakayama Nenoki Couto Universidade Federal de Goiás
  • Eliane Marquez da Fonseca Fernandes Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: Ecolinguística, Aquisição da linguagem, Língua, Povo, Meio ambiente

Resumo

Resumo: Levando em conta que a língua pode ser entendida como um complexo processo que compreende relações naturais, mentais e sociais, este artigo discute o processo de aquisição de primeira língua da perspectiva da Ecolinguística. Assim sendo, começa pela apresentação de um breve resumo das investigações tradicionais sobre assunto, como as que surgiram na linha das propostas de Chomsky, bem como as de Piaget e Vygotsky. A Ecolinguística encara a língua como uma teia ou rede de interações que envolvem pelo menos uma população e seu meio ou território, formando o que se chama ecossistema linguístico ou comunidade linguística. Como o conceito central é interação, e a própria língua é interação, adquirir a primeira língua é adaptar-se ao como se dá a interação nesse ecossistema. De modo geral, adquirir língua é adaptar-se. Palavras-chave: Ecolinguística; aquisição da linguagem; língua; povo; meio ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elza Kioko Nakayama Nenoki Couto, Universidade Federal de Goiás
Professora da Graduação e Pós-Graduação em Letras e Linguìstica da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás. Pós-doutorado em Letras pela UnB
Eliane Marquez da Fonseca Fernandes, Universidade Federal de Goiás
Professora da Graduação e Pós-Graduação em Letras e Linguística na linha de pesquisa: Língua, texto e discurso. Pós-Doutorado em Língua e ensino pela UnB
Publicado
2013-09-09
Como Citar
Couto, E. K. N. N., & Fernandes, E. M. da F. (2013). Aquisição de língua: uma perspectiva Ecolinguística. Letras De Hoje, 48(3), 290-298. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fale/article/view/12615
Seção
Parte 1 – Alfabetização, Leitura e Escrita: Concepções Teóricas