Des prisons médiatiques et des prisonniers: L’institution carcérale et la pénalité face aux évolutions de l’espace public

  • Gwenola Ricordeau
Palavras-chave: Prisão, Detento, Realidade virtual, Debates públicos, Punição

Resumo

O artigo enfoca as relações entre o espaço público, os prisioneiros e a instituição carcerária, onde se negocia continuamente as fronteiras do público/privado. A qualificação da prisão como uma “instituição total” é cada vez mais discutido, uma vez que sua crescente abertura ao exterior e processo de democratização permite aos prisioneiros o acesso à informação global e até mesmo a sua liberdade de expressão. Mas os encarcerados, assim como seus familiares, estão excluídos dos debates recorrentes sobre a necessária reforma prisional. A normalização das condições de detenção faz as sentenças se parecerem jogos (tipo “reality-show”), em que o dentro é cada vez mais difícil de se distinguir do fora, invadido pelo monitoramento de vídeo e fenômenos virtuais. As evoluções das penas se traduzem por uma revolução do e no espaço privado do condenado. Palavras-chave: Prisão; Detento; Realidade virtual; Debates públicos; Punição

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2009-10-20
Como Citar
Ricordeau, G. (2009). Des prisons médiatiques et des prisonniers: L’institution carcérale et la pénalité face aux évolutions de l’espace public. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 9(1), 77-86. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2009.1.5570