O declínio do welfare state e a emergência do estado prisional: tempos de um novo puritanismo?

  • Erni J. Seibel

Resumo

O debate sobre o declínio do welfare state e a identificação do delineamento de novas formas de proteção social é uma questão que adquiriu um relativo grau de maturidade nas agendas de pesquisa e na produção acadêmica. Os termos político – sociais dessa transição, de uma forma clássica de proteção para formatos institucionais ainda não muito definidos é que a nosso ver carecem de uma observação mais apurada e sistemática. Queremos propor neste trabalho, de caráter ensaístico, que a transição referida vem acontecendo no âmbito de um movimento com contornos de um neopuritanismo com a função de regular um processo seletivo e excludente de um novo perfil de trabalhador. Salientamos que este processo se dá nos moldes da transição que ocorreu no movimento de transformação das relações capitalistas no inicio do século XX, quando se acontece a passagem do modelo de produção manufatureira para a forma fabril, em outras palavras, a introdução da produção nos moldes taylorista-fordista. Palavras-chave: Welfare state; Violência; Pós-fordismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-12-28
Como Citar
Seibel, E. J. (2006). O declínio do welfare state e a emergência do estado prisional: tempos de um novo puritanismo?. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 5(1), 93-107. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2005.1.36