Novas mídias, mobilização transnacional e as reestruturações das esferas públicas

  • Markus S. Schulz
Palavras-chave: globalização, democracia, internet, esfera pública, movimentos sociais, Chiapas.

Resumo

A difusão acelerada das novas tecnologias interativas de comunicação confere urgência à questão sobre seu potencial democrático. Este artigo sustenta que deliberação pública está no centro da democracia. Enquanto a globalização econômica provoca a necessidade por regulação política global, são necessárias estruturas de sociedade civil ativa em nível global como uma contraforça democrática. O caso do movimento zapatista é um exemplo relativamente raro de colaboração efetiva entre atores de base dos hemisféricos sul e norte. Para um estudo empírico analisa-se como distintas interfaces midiáticas foram utilizadas para criar vínculos transnacionais entre os camponeses maias rebeldes em Chiapas e seus apoiadores em outras regiões do México e em cidades ao redor do mundo. Esses vínculos ajudaram os rebeldes a sobreviver e catalizar mobilização transnacional acima da regulação global. A transformação das redes de comunicação e a construção de alianças sugerem que esferas públicas são dinâmicas e em constante processo de reestruturação. Seu potencial democrático depende, em grande medida, da sua apropriação por atores sociais criativos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-10-17
Como Citar
Schulz, M. S. (2007). Novas mídias, mobilização transnacional e as reestruturações das esferas públicas. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 7(2), 108-128. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2007.2.3527