Democracia deliberativa no Brasil: a expansão de um campo concentrado

Palavras-chave: Democracia deliberativa. Cientometria. Análise de redes sociais. Scielo.

Resumo

De cunho cientométrico, o estudo descreve as características centrais e identifica os polos institucionais mais relevantes da produção sobre democracia deliberativa presente em periódicos brasileiros altamente qualificados, a fim de delinear os contornos desse campo de pesquisa. Busca, ainda, com o uso da análise de redes sociais (ARS), mapear relações, no intuito de compreender suas estruturas e hierarquias. Nosso corpus analítico é composto de artigos publicados entre 2000 e 2016 em periódicos indexados na plataforma Scientific Electronic Library Online (Scielo). Os principais resultados são: o crescimento quantitativo da produção ao longo do período analisado; o aumento da coautoria pari passu o das pesquisas empíricas; a concentração geográfica e institucional; e, a distribuição da produção em diferentes áreas do conhecimento, porém com preponderância da Ciência Política e da baixa articulação entre diferentes disciplinas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Rossi Horochovski, Universidade Federal do Paraná, UFPR, Curitiba, PR

Doutor em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, Florianópolis, SC, Brasil). Professor do curso de Administração Pública e dos Programas de Pós Graduação em Ciência Política e em Desenvolvimento Territorial Sustentável da Universidade Federal do Paraná (UFPR, Curitiba, PR, Brasil).

Augusto Junior Clemente, Universidade Federal do Paraná, UFPR, Curitiba, PR

Doutor em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs, Porto Alegre, RS, Brasil). Professor do curso de Administração Pública da Universidade Federal do Paraná (UFPR, Curitiba, PR, Brasil) e do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas da Universidade Federal do Pampa (Unipampa, São Borja, RS, Brasil).

Rafael Cardoso Sampaio, Universidade Federal do Paraná, UFPR, Curitiba, PR

Doutor em Comunicação e Cultura Contemporânea pela Universidade Federal da Bahia (UFBA, Salvador, BA, Brasil). Professor do departamento de Ciência Política e dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação Social e Ciência Política, da Universidade Federal do Paraná (UFPR, Curitiba, PR, Brasil). Atualmente, realiza estágio pós doutoral no Programa de Pós-graduação em Ciência Política da Universidade Federal de Minas Gerais.

Ricardo Fabrino Mendonça, Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Belo Horizonte, MG

Doutor em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil). Professor do departamento e do Programa de Pós Graduação em Ciência Política, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil). Atualmente, é professor visitante da University of California Irvine (EUA), com apoio da Fulbright. É bolsista de produtividade do CNPq.

Referências

ABERS, Rebecca; KECK, Margaret. Comitês de Bacia no Brasil: uma abordagem política no estudo da participação social. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, São Paulo, v. 6, n. 1, p. 55-68, 2004. Disponível em: https://doi.org/10.22296/2317-1529.2004v6n1p55. Acesso em: 16 out. 2019.

ALMEIDA, Débora Rezende de. Pluralização da representação política e legitimidade democrática: lições das instituições participativas no Brasil. Opinião Pública, Campinas, v. 20, n. 1, p. 96-117, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-62762014000100005. Acesso em: 16 out. 2019.

AVRITZER, Leonardo. Participatory institutions in democratic Brazil. Baltimore: Johns Hopkins, 2009.

AVRITZER, Leonardo. Teoria democrática e deliberação pública. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, São Paulo, n. 50, p. 25-46, 2000. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-64452000000200003. Acesso em: 16 out. 2019.

BJÖRNEBORN, Lennart; INGWERSEN, Peter. Toward a basic framework for webometrics. Journal of the American Society for Information Science and Technology, New York, v. 55, n. 14, p. 1216-1227, 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1002/asi.20077. Acesso em: 16 out. 2019.

BLONDEL, Vincent D. et al. Fast unfolding of communities in large networks. Journal of Statistical Mechanics: Theory and Experiment, v. 2008, p. 1-13, 2008.

BROADUS, Robert N. Toward a definition of bibliometrics. Scientometrics, Amsterdam, v. 12, n. 5-6, p. 373-379, 1987Disponível em: https://doi.org/10.1007/BF02016680. Acesso em: 16 out. 2019.

CLEMENTE, Augusto Junior; JULIANO, Maíra Cabral. A produção do conhecimento em cidadania no Brasil: uma análise a partir do Scielo (1992-2011). Tomo, São Cristóvão, n. 23, p. 173-216, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.21669/tomo.v0i23.2109. Acesso em: 16 out. 2019.

COSTA, Sérgio. As cores de Ercília: esfera pública, democracia, configurações pós-nacionais. Belo Horizonte: UFMG, 2002.

CUNHA, Eleonora Schettini Martins. Efetividade deliberativa de Conselhos de Assistência Social. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.

DÉGENNE, Alain; FORSÉ, Michel. Introducing social networks. Philadelphia: Sage, 1999.

ELSTUB, Stephen; ERCAN, Selen; MENDONÇA, Ricardo Fabrino. Editorial introduction: the fourth generation of deliberative democracy, Critical Policy Studies, v. 10, n. 2, p. 139-151, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1080/19460171.2016.1175956. Acesso em: 16 out. 2019.

FARIA, Claudia Feres; SILVA, Viviane Petinelli; LINS, Isabella Lourenço. Conferências de políticas públicas: um sistema integrado de participação e deliberação? Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 7, p. 249-284, 2012. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-33522012000100011. Acesso em: 16 out. 2019.

FREEMAN, Linton C.; ROEDER, Douglas J.; MULHOLLAND, Robert R. Centrality in social networks: II. Experimental results. Social networks, v. 2, n. 2, p. 119-141, 1979. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/0378-8733(79)90002-9. Acesso em: 16 out. 2019.

GOMES, Wilson; MAIA, Rousiley. Comunicação e democracia: problemas e perspectivas. São Paulo: Paulus, 2008.

GUGLIANO, Alfredo Alejandro. O impacto das democracias participativas na produção acadêmica no Brasil: teses e dissertações (1988-2002). BIB: Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, São Paulo, n. 59, p. 43-60, 2005. https://doi.org/10.17666/bib8401/2018

HABERMAS, Jürgen. The theory of communicative action. Boston: Beacon Press, 1987. (Lifeworld and System: A Critique of Functionalist Reason, v. 2).

KIM, Meen Chul; ZHU, Yongjun; CHEN, Chaomei. How are they different? A quantitative domain comparison of information visualization and data visualization (2000-2014). Scientometrics, Amsterdam, v. 107, n. 1, p. 123-165, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1007/s11192-015-1830-0. Acesso em: 16 out. 2019.

LUBAMBO, Catia; COELHO, Denilson Bandeira; MELO, Marcus André (org.). Desenho institucional e participação política. Petrópolis: Vozes, 2005.

MAIA, Rousiley. Mídia e deliberação. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

MENDONÇA, Ricardo Fabrino. Mitigating systemic dangers: the role of connectivity inducers in a deliberative system. Critical Policy Studies, [s. l.], v. 10, n. 2, p. 171-190, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/19460171.2016.1165127. Acesso em: 16 out. 2019.

MIGUEL, Luís Felipe. Deliberacionismo e os limites da crítica: uma resposta. Opinião Pública, Campinas, v. 20, n. 1, p. 118-131, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-62762014000100006. Acesso em: 16 out. 2019.

NACKE, Otto. Informetría: un nuevo nombre para una nueva disciplina. Definición, estado de la ciencia y principios de desarrollo. Revista Española de Documentación Científica, [s. l.], v. 6, n. 3, p. 183-204, 1983.

NALIMOV, Vassili V.; MUL’CHENKO, Zinaida Maksimovna. Measurement of science: study of the development of science as an information process. Washington: Foreign Technology Division, 1971.

PIRES, Roberto Rocha C. (org.). Efetividade das instituições participativas no Brasil: estratégias de avaliação. Brasília: IPEA, 2011.

PRITCHARD, Alan. Statistical bibliography or bibliometrics. Journal of Documentation, New York, v. 25, n. 4, p. 348-349, 1969.

QIU, Junping et al. Informetrics: theory, methods and applications. New York: Springer, 2017.

SAMPAIO, Rafael Cardoso; BARROS, Samuel Anderson Rocha; MORAIS, Ricardo. Como avaliar a deliberação online? Um mapeamento de critérios relevantes. Opinião Pública, Campinas, v. 18, n. 2, p. 470-489, 2012. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-62762012000200010. Acesso em: 16 out. 2019.

SCHERER-WARREN, Ilse; LÜCHMANN, Lígia Helena Hahn (org.). Movimentos sociais e participação: abordagens e experiências no Brasil e na América Latina. Florianópolis: UFSC, 2011.

SILVA, Edson Armando; PEREIRA, Marco Aurélio Monteiro. Balanço aos 20: a Revista de História Regional no campo historiográfico brasileiro. Revista de História Regional, Ponta Grossa, v. 21, n. 2, p. 307-337, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.5212/Rev.Hist.Reg.v.21i2.0001. Acesso em: 16 out. 2019.

YANG, Siluo; YUAN, Qingli; YU, Yongaho. Are scientometrics, informetrics and bibliometrics different? [S. l.: s. n.], 2018. No prelo.

Publicado
2019-12-13
Como Citar
Horochovski, R. R., Clemente, A. J., Sampaio, R. C., & Mendonça, R. F. (2019). Democracia deliberativa no Brasil: a expansão de um campo concentrado. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 19(3), 583-604. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2019.3.33518
Seção
Dossiê: História, desenvolvimento e ensino da Ciência Política