Pontos de inflexão para a análise do pensamento vianniano: as posições de Oliveira Vianna sobre a entrada de 3.000 chineses no Brasil e o seu trabalho de consultor jurídico (1932-1940)

  • Felipe Fontana Universidade Federal de São Carlos
Palavras-chave: Oliveira Vianna. Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio. Primeiro Governo Vargas. Imigração no Brasil. Pensamento vianniano.

Resumo

Oliveira Vianna é um relevante expoente de nosso pensamento social e político e é justamente por isso que encontramos muitos estudos que buscam esmiuçar determinadas questões de seu pensamento ou compreender as raízes do mesmo. No entanto, se há certa facilidade em localizar trabalhos dedicados à revista do autor e de sua teoria, o mesmo não ocorre quando o interesse é investigar, por meio dos relatórios/pareceres técnicos produzidos por Vianna, a especificidade do trabalho político desenvolvido por ele entre os anos de 1932 e 1940. Nessa direção, este artigo apresentará pontualmente as posições de Vianna acerca da introdução de 3.000 chineses no Brasil. Elas estão explicitadas em um parecer técnico encaminhado por ele, através do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, ao Ministério das Relações Exteriores. A realização de tal tarefa nos auxilia tanto na complexificação de algumas interpretações sobre o pensamento vianniano, quanto para dimensionarmos parte a especificidade de seu trabalho político como statemaker. Por fim, encontramos nesse parecer uma clara intersecção entre o Oliveira Vianna intelectual e o Oliveira Vianna consultor jurídico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Fontana, Universidade Federal de São Carlos
Cientista Social formado pelo Departamento de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Maringá (DCS-UEM) e Mestre em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais desta mesma instituição (PGC-UEM). Teve, durante a Iniciação Científica (PIBIC), experiência no campo da Sociologia, com ênfase em Teoria Sociológica e no Pensamento Durkheimiano. Contudo, suas principais pesquisas após a graduação se vinculam ao Pensamento Social e Político Brasileiro. No mestrado, se dedicou ao estudo profundo dos vínculos existentes entre o pensamento de Oliveira Vianna e o de Émile Durkheim; ou seja, investigou os usos realizados pelo intelectual brasileiro em relação a determinados conceitos e noções fixados nas elaborações teóricas do sociólogo francês. Atualmente, se encontra em processo de doutoramento pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade Federal de São Carlos (PPG-Pol/UFSCar). Nesse sentido, sua atenção está voltada para o trabalho desenvolvido por Oliveira Vianna como consultor jurídico no Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio entre os anos de 1932 e 1940. Para além da valiosa compreensão das especificidades inerentes a esta atividade política realizada pelo intelectual fluminense, o pesquisador também está interessado em compreender os vínculos entre as ideais do autor brasileiro e o conteúdo de seus pareceres e relatórios encaminhados para esta instituição sem, contudo, desconsiderar o contexto social e político no qual Oliveira Vianna e seu pensamento estavam imersos. Por fim, vale destacar que o pesquisador integra o grupo de pesquisa Ideias, Intelectuais e Instituições; tal grupo está inscrito no âmbito das atividades do PPG-Pol/UFSCar, especificamente na Linha de Pesquisa Teoria e Pensamento Político.

Referências

BASTOS, Elide Rugai. Oliveira Vianna e a Sociologia no Brasil (um debate sobre a formação do povo). In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 405-428.

BITTENCOURT, André Veiga. O Brasil e suas diferenças: uma leitura genética de populações meridionais do Brasil. Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia do IFCS, UFRJ. Rio de Janeiro, 2011.

BRANDÃO, G. Marçal. Ideias e intelectuais: modos de usar. Lua Nova, v. 54, 2001, p. 55-78.

BRANDÃO, G. Marçal. Linhagens do pensamento político brasileiro. São Paulo: Aderaldo & Rothschild, 2007.

BRASIL JÚNIOR, Antônio Silveira. Uma sociologia brasileira da ação coletiva: Oliveira Vianna e Evaristo de Moraes Filho. Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia do IFCS, UFRJ. Rio de Janeiro, 2007.

BRASIL JÚNIOR, Antônio da Silveira. Intelectuais e statemakers: Oliveira Vianna, Evaristo de Moraes Filho e a ação coletiva no Brasil. Estudos Históricos, v. 23, n. 46, p. 301-320, 2010 <10.1590/S0103-21862010000200005>.

BRESCIANI, Maria Stella Martins. O charme da ciência e a sedução da objetividade: Oliveira Vianna entre intérpretes do Brasil. 2. ed. São Paulo: Unesp, 2007.

CARVALHO, José Murilo. A utopia de Oliveira Viana. Estudos Históricos, v. 4, n. 3, p. 82-99, 1991

(12 nov. 2016).

CARVALHO, José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

CARVALHO, José Murilo. As duas cabeças de Oliveira Vianna. In: Gunter Axt;, Fernando Schüler (orgs.). Intérpretes do Brasil. Porto Alegre: Arte e Oficio, 2004. p. 155-176.

DÓRIA, Carlos Alberto. O “pré-capitalismo” na formação do povo

brasileiro. In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 215-240.

DRAIBE, Sônia. Rumos e metamorfoses: estado e industrialização no Brasil 1930-1960. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

FARIA, Luiz de Castro. A obra de Oliveira Vianna: uma tentativa de reconstrução. In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 273-296.

FAUSTO, Boris. A Revolução de 30. In: Carlos Guilherme Mota (org.). Brasil em Perspectiva. 4. ed. São Paulo: Difusão Europeia, 1968. p. 227-255.

FONTANA, Felipe. A presença de Durkheim em Oliveira Vianna: contribuições ao pensamento social e político brasileiro. Pós-Graduação em Ciências Sociais, PGC-UEM. Maringá, 2013.

Garcia NETO, Paulo M. A questão social na Era Vargas. In: Carlos G. Mota; Natasha S. C. Salinas (orgs.). Os juristas na formação do estado-nação brasileiro. São Paulo: Saraiva, 2010. p. 223-254.

GOMES, Ângela de Castro. A representação de classes na Constituinte de 1934. In: Revista de Ciência Política, v. 21, n. 3, p. 53-116, 1978 <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rcp/article/view/59838/0> (maio 2016).

GOMES, Ângela de Castro. A práxis corporativa de Oliveira Vianna. In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 43-62.

GOMES, Ângela de Castro. Oliveira Vianna: um statemaker na Alameda São Boaventura. In: André Botelho; Lilia Moritz Schwarcs (orgs). Um enigma chamado Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2009. p. 144-159.

IANNI, Octávio. Estilos de pensamento. In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 429-438.

IGLESIAS, Francisco. Leitura historiográfica de Oliveira Vianna. In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 313-350.

LAMOUNIER, Bolivar. Formação de um pensamento político autoritário na Primeira República. In: Sérgio Buarque Holanda (org.). História geral da civilização brasileira. Tomo 3, v. 3. São Paulo: Difel, 1985, p. 343-374.

LIPPI OLIVEIRA, Lucia. Uma leitura das leituras de Oliveira Vianna. In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 241-272.

MADEIRA, Marcos Almir. Posição e atualidade de Oliveira Vianna. In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 187-212.

MANNHEIM, Karl. Ideologia e utopia. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.

MORAES, João Quartim. Oliveira Vianna e a democratização pelo alto. In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 87-130.

ODÁLIA, Nilo. Oliveira Vianna e a teoria do estado. In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 145-156.

ODALIA, Nilo. As formas do mesmo: ensaios sobre o pensamento historiográfico de Vernhagen e Oliveira Vianna. São Paulo: Editora Unesp, 1997.

PAIM, Antonio. Oliveira Vianna no pensamento brasileiro In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 297-312.

PÉCAUT, Daniel. Os intelectuais e a política no Brasil: entre o povo e

a nação. São Paulo: Ática, 1990.

QUEIROZ, Paulo E. de Souza. A Sociologia Política de Oliveira Vianna. São Paulo: Convívio, 1975.

RAMOS, Jair de Souza. Ciência e racismo: uma leitura crítica de raça e assimilação em Oliveira Vianna. História, Ciências, Saúde, v. 10, n. 2, p. 573-601, p. 573-601, 2003 <10.1590/S0104-59702003000200005>.

SALLUM, Brasilio. Metamorfoses do estado brasileiro no final do século XX. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 18, n. 52, p. 35-55, 2003 <10.1590/S0102-69092003000200003>.

SANTOS, Wanderley Guilherme. Décadas de espanto e uma apologia democrática. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

SANTOS, Wanderley Guilherme. Ordem burguesa e liberalismo político. São Paulo: Cidades, 1978.

SOLA, Lourdes. O Golpe de 37 e o Estado Novo. In: Carlos Guilherme Mota (org.). Brasil em perspectiva. 4. ed. São Paulo: Difusão Europeia, 1968. p. 256-282.

TÔRRES, Vasconcelos. Oliveira Vianna: sua vida e sua posição nos estudos brasileiros de Sociologia. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1956.

VIANNA, Luiz Werneck. Liberalismo e sindicalismo no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra: 1978.

VIANNA, Luiz Werneck. Americanistas e iberistas: a polêmica de Oliveira Vianna com Tavares Bastos. In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 351-404.

VIANNA, Luiz Werneck. A revolução passiva. 2. ed. Rio de Janeiro: Revan, 2004.

VIANNA, Oliveira. Instituições políticas brasileiras. Brasília: Senado Federal, 1999.

VIANNA, Oliveira. Populações meridionais do Brasil. 4. ed. São Paulo: Nacional, 1938.

VIANNA, Oliveira. Raça e assimilação. 4. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1959.

VIEIRA, Evaldo. Oliveira Vianna e o estado corporativo. São Paulo: Grijalbo, 1976.

WEHLING, Arno. O estado colonial na obra de Oliveira Vianna. In: Élide Rugai Bastos; João Quartim Moraes (orgs.). O pensamento de Oliveira Vianna. Campinas: Unicamp, 1993. p. 63-86.

Publicado
2017-05-09
Como Citar
Fontana, F. (2017). Pontos de inflexão para a análise do pensamento vianniano: as posições de Oliveira Vianna sobre a entrada de 3.000 chineses no Brasil e o seu trabalho de consultor jurídico (1932-1940). Civitas - Revista De Ciências Sociais, 17(1), 177-196. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2017.1.24706