Mulheres no tráfico de drogas: retratos da vitimização e do protagonismo feminino

  • Mariana Barcinski Clark University, Massachusetts, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, RS
  • Sabrina Daiana Cúnico Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), RS, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, RS
Palavras-chave: Mulheres. Tráfico de drogas. Vitimização. Protagonismo.

Resumo

A partir das histórias relatadas por duas mulheres com um longo envolvimento passado na rede do tráfico de drogas em favelas do Rio de Janeiro, este ensaio tem por objetivo problematizar a tradicional vitimização e submissão com que usualmente a literatura caracteriza as trajetórias de mulheres criminosas. O que as histórias dessas mulheres atestam é que a possibilidade de ocuparem posições masculinas e obterem o respeito e o prestigio atribuído aos homens traficantes são grandes motivadores para o ingresso e a permanência de mulheres na rede do tráfico de drogas. Neste sentido, é pela apropriação de características e comportamentos masculinos, tais como a violência e a submissão de outras mulheres, que elas confirmam seu limitado poder.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Barcinski, Clark University, Massachusetts, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, RS
Professora doutora da Faculdade de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
Sabrina Daiana Cúnico, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), RS, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, RS

Doutoranda em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Referências

ADLER, Freda. Sisters in crime. New York: McGraw Hill, 1975.

ALMEIDA, Vanessa Ponstinnicoff de. Repercussões da violência na construção da identidade feminina da mulher presa: um estudo de caso. Psicologia ciência e profissão, v. 26, n. 4, p. 604-619, 2006.

ASSIS, Simone Gonçalves de; CONSTANTINO, Patrícia. Filhas do mundo: infração juvenil e feminina no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2001.

BARCINSKI, Mariana. Women in drug trafficking: the identity construction of Brazilian reformed criminals. Saarbrücken: VDM, 2008.

BARCINSKI, Mariana; CAPRA-RAMOS, Carine; WEBER, João; DARTORA, Tamires. O Marianismo e a vitimização de mulheres encarceradas: formas alternativas de exercício do poder feminino. Ex aequo, n. 28, p. 87-100, 2013.

CARLEN, Pat. Women, crime, feminism and realism. In: Stevi Jackson et al. (orgs.). Women’s studies: essential readings. New York: New York University Press, 1993. p. 314-316.

CECCHETTO, Fátima. Violência e estilos de masculinidade. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

FARIA, Thaís Dumêt. Mulheres no tráfico de pessoas: vítimas e agressoras. Cadernos Pagu, n. 31, p. 151-172, 2008 <10.1590/S0104-83332008000200008>.

GILLIGAN, Carol. In a different voice: psychological theory and women’s development. Cambridge: Harvard University Press, 1982.

GOMES, Romeu. A dimensão simbólica da violência de gênero: uma discussão introdutória. Athenea Digital, n. 14, p. 237-243, 2008.

GREGORY, Jeanne. Sex, class and crime. In: Stevi Jackson et al. (orgs.), Women’s studies: essential readings. New York: New York University Press, 1993. p. 316-317.

HEIDENSOHN, Frances. Women and crime. New York: New York University Press, 1985.

MEDRADO, Benedito; LYRA, Jorge. Por uma matriz feminista de gênero para os estudos sobre homens e masculinidades. Estudos feministas, v. 16, n. 3, p. 809-840, 2008 <10.1590/S0104-026X2008000300005>.

MILLER, Jean Baker. Towards a new psychology of women. Boston: Beacon Press, 1986.

NARVAZ, Martha Giudice; KOLLER, Silva Helena. Famílias e patriarcado: da prescrição normativa à subversão criativa. Psicologia & Sociedade, v. 18, n. 1, p. 49-55, 2006 <10.1590/S0102-71822006000100007>.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. A síndrome do pequeno poder. In: Maria Amelia Azevedo; Viviane Nogueira de Azevedo Guerra (orgs.). Crianças vitimizadas: a síndrome do pequeno poder. São Paulo: Iglu Editora, 1989. p. 13-21.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. Violência de gênero: o lugar da práxis na construção da subjetividade. Lutas Sociais, n. 2, p. 59-79, 1997.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. Já se mete a colher em briga de marido e mulher. São Paulo em Perspectiva, v. 13, n. 4, p. 82-91, 1999 <10.1590/S0102-88391999000400009>.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. Contribuições feministas para o estudo da violência de gênero. Cadernos Pagu, n. 16, p. 115-136, 2001.

SCHRAM, Pamela. J.; KOONS-WITT, Barbara. Gendered (in)justice: theory and practice in feminist criminology. Long Grove: Waveland Press, 2004.

SOARES, Barbara Musumeci; ILGENFRITZ, Iara. Prisioneiras: vida e violência atrás das grades. Rio de Janeiro: Garamond, 2002.

STEFFENSMEIER, Darrell; ALLAN, Emilie. Gender and crime: toward a gendered theory of female offending. Annual Review of Sociology, v. 22, p. 459-487, 1996 <10.1146/annurev.soc.22.1.459>.

Publicado
2016-05-19
Como Citar
Barcinski, M., & Cúnico, S. D. (2016). Mulheres no tráfico de drogas: retratos da vitimização e do protagonismo feminino. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 16(1), 59-70. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2016.1.22590
Seção
Mulheres e violência