Atenção ao parto de mulheres estrangeiras em uma maternidade pública de São Paulo

  • Cláudia Medeiros de Castro Universidade de São Paulo
  • Régia Cristina Oliveira Universidade de São Paulo
  • Mayara Cristina Silva Custódio Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Imigração estrangeira. Práticas discursivas. Atenção ao parto.

Resumo

Realizamos pesquisa que teve como objetivo geral conhecer os sentidos da atenção ao parto, construídos por profissionais de saúde que atenderam mulheres estrangeiras em um hospital maternidade do município de São Paulo. Acessamos 1248 Declarações de Nascidos Vivos de filhos de estrangeiras produzidas em 2012 e realizamos entrevistas com 10 profissionais de saúde. Os resultados indicam que no período estudado 20% dos partos foram de estrangeiras, sendo 85% bolivianas. Temas que surgiram nas entrevistas: as contradições do país onde não há discriminação; a língua como aproximação e barreira; a submissão das mulheres bolivianas e as diferenças culturais no parto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAENINGER, Rosana. O Brasil na rota das migrações latino-americanas. In: Rosana Baeninger (Org.). Imigração boliviana no Brasil. Campinas: Núcleo de Estudos da População-Unicamp, 2012. p. 9-18.

CABRUJA, Teresa; IÑIGUEZ Lupicinio; VÁSQUEZ Félix. Cómo construimos el mundo: relativismo, espacios de relación y narratividad. Anàlisi. v. 25, p. 61-94, 2000.

CAMARGO Jr. Kenneth Rochel. Biomedicina, saber e ciência: uma abordagem crítica. São Paulo: Hucitec, 2003.

CAPONI, Sandra. Da compaixão à solidariedade: uma genealogia da assistência médica. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2000.

COSTA, Jurandir Freire. Ordem médica e norma familiar. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

DIAS, Sonia Ferreira; GAMA, Ana Filipa; ROCHA, Cristianne Maria Famer. Conhecimentos sobre o uso de contraceptivos e prevenção de DST: a percepção de mulheres imigrantes. Cadernos de Saúde Pública, v. 26, n. 5, p. 1003-1012, 2010.

DINIZ, Carmem Simone Grilo. Humanização da assistência ao parto no Brasil: os muitos sentidos de um movimento. Ciência e Saúde Coletiva, v. 3, n. 10, p. 627-637, 2005.

DOMINGUES, Rosa Maria Soares Madeira et al. Processo de decisão pelo tipo de parto no Brasil: da preferência inicial das mulheres à via de parto final. Cadernos de Saúde Pública, v. 30, suplemento, S101-S116, 2014.

FONSECA, Cláudia. Anatomia de uma maternidade: pesquisadores, profissionais de saúde e pacientes num quadro hospitalar {Originalmente: 1992, Quelques réflexions ethnologiques sur une maternité française. Ethnos} <http://files.claudialwfonseca.webnode.com.br/200000057-604af61453/Anatomia%20de%20uma%20maternidade, %202010.pdf> (19 dez. 2014).

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: a vontade de saber 1. São Paulo: Edições Graal, 2006.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1987.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

GUALDA, Dulce Maria Rosa. Eu conheço minha natureza: a expressão cultural do parto. Curitiba: Editora Maio, 2002.

ILLES, Paulo; TIMÓTEO, Gabrielle Louise Soares; FIORUCCI, Elaine da Silva. Tráfico de pessoas para fins de exploração do trabalho na cidade de São Paulo. Cadernos Pagu, v. 31, p. 199-217, 2008 (7 ago. 2013).

JORDAN, Brigitte. Birth in four cultures: a crosscultural investigation of childbirth in Yucatan, Holland, Sweden and the United States. Long Grove, Waveland, Press, 1993.

MADI, M. C. C.; CASSANTI, A. C.; SILVEIRA C. Estudo das representações sociais sobre gestação em mulheres bolivianas no contexto da atenção básica em saúde na área central da cidade de São Paulo. Revista Saúde e Sociedade, v. 18, suplemento 2, p. 67-71, 2009.

OTIS, Kelsey E.; BRETT, John A. Barriers to hospital birth: why do many Bolivian women give birth at home? Revista Panamericana de Salud Pública, v. 24, n. 1, p. 43-53, 2008.

PREFEITURA de São Paulo. Coordenação de Epidemiologia e Informação. Atenção o pré-natal na cidade de São Paulo. Boletim CEInfo, v. 5, n. 1, 2014.

SILVA, Sydney A. da. Bolivianos em São Paulo: dinâmica cultural e processos identitários. In: Rosana Baeninger (Org.). Imigração boliviana no Brasil. Campinas: Núcleo de Estudos de População, 2012. p. 19-34.

SIMMEL, Georg. O estrangeiro. Revista Brasileira de Sociologia da Emoção, v. 4, n. 12, p. 265-271, 2005.

SOUCHAUD, Sylvain; BAENINGER, Rosana. Collas e cambas: do outro lado da fronteira: aspectos da distribuição diferenciada da imigração boliviana em Corumbá, Mato Grosso do Sul. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 25, n. 2, p. 271-286, 2008.

SOUZA, João Paulo; PARPINELLI, Mary Angela; AMARAL, Eliana;

CECATTI, Jose Guilherme. Assistência obstétrica e complicações graves na América Latina e Caribe: análise das informações obtidas a partir de critérios demográficos de saúde. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 21, n. 6, p. 396-401, 2007.

SPINK, Mary Jane (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano. São Paulo: Cortez, 1999.

RODRÍGUEZ, Lilia. Factores sociales y culturales determinantes en salud: la cultura como una fuerza para incidir en cambios em politicas de salud sexual y reproductiva. In: III Congresso da Associação Latino Americana de População, ALAP, Córdoba, Argentina, 2008 <http://www.ossyr.org.ar/pdf/bibliografia/2.6.pdf> (13 jun. 2015).

TORNIQUIST, Carmen Suzana. Paradoxos da Humanização em uma maternidade no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, sup. 2, p. S419-S427, 2003.

WALDMAN, Tatiana Chang. Movimentos migratórios sob a perspectiva do direito à saúde: imigrantes bolivianas em São Paulo. Revista de Direito Sanitário, v. 12, n. 1, p. 90-114, 2011.

Publicado
2015-09-08
Como Citar
Castro, C. M. de, Oliveira, R. C., & Custódio, M. C. S. (2015). Atenção ao parto de mulheres estrangeiras em uma maternidade pública de São Paulo. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 15(2), e59-e74. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2015.2.17563