A democracia no Brasil não é um mal-entendido

  • Maria Francisca Pinheiro Coelho UNB
Palavras-chave: Democracia. Cultura política. Instituições. Esfera pública. Esfera privada.

Resumo

A ideia deste trabalho surgiu da famosa frase de Sérgio Buarque de Holanda, em Raízes do Brasil: “A democracia no Brasil foi sempre um lamentável mal-entendido.” Para o autor, inspirado nos tipos ideais weberianos e sob um olhar comparativo, o Brasil com seu homem cordial – aquele que age mais pelo coração do que pela razão – e com o predomínio do espaço privado sobre o público não se apresentava como um solo receptivo aos valores de igualdade da democracia. O texto pretende sugerir que a institucionalização das regras do jogo democrático relativiza o peso da cultura, sem, contudo, alterar seus traços no ritmo compatível com as mudanças das normas. O Brasil, com todos os problemas decorrentes de uma sociedade desigual e hierárquica, situa-se atualmente entre as democracias mais consolidadas da América Latina, que mais interagem e que apresentam disposição para o diálogo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Francisca Pinheiro Coelho, UNB
Doutora em sociologia pela UnB, com pós-doutorado na New School for Social Research (Nova York, EUA), e professora titular do Departamento de Sociologia da UnB, em Brasília, DF, Brasil.
Publicado
2014-04-11
Como Citar
Coelho, M. F. P. (2014). A democracia no Brasil não é um mal-entendido. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 14(1), 126-136. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2014.1.16186
Seção
Dossiê