Lucro, cuidado e parentesco: traçando os limites do “tráfico” de crianças

  • Claudia Fonseca UFRGS
Palavras-chave: Adoção de crianças. Parentesco. Antropologia do direito. Tecnologias reprodutivas.

Resumo

Com foco no contexto brasileiro, proponho neste artigo discutir como determinadas noções envolvendo dinheiro, cuidado e parentesco subjazem às leis que decretam o término do relacionamento entre pais de nascimento e seus filhos que foram adotados por outras famílias. Inspirada em discussões de biopolítica, considero as leis e a legislação como parte das “novas tecnologias reprodutivas”. Apoiando-me numa etnografia multi-situada no Brasil, que me levou das vilas de Porto Alegre à observação de procedimentos no Juizado da Infância e da Juventude, bem como a entrevistas com pais adotivos, introduzo na análise o tema do dinheiro para melhor entender alguns argumentos usados para justificar o processo de “desparenteamento” típico da adoção plena. Investigo então como as tecnologias legais em torno da adoção influenciam os sentimentos, assim como as práticas, de certas mães de nascimento e adotivas no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Fonseca, UFRGS
Doutora em Etnologia pela Université de Paris X (Nanterre, França), professora do PPG em Antropologia Social da Ufrgs em Porto Alegre, RS, Brasil, e da Universidade Nacional de San Martin (Unsam) em Buenos Aires, Argentina.
Publicado
2014-01-30
Como Citar
Fonseca, C. (2014). Lucro, cuidado e parentesco: traçando os limites do “tráfico” de crianças. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 13(2), 269-291. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2013.2.15481