Estado-nação, fronteiras, margens: redesenhando os espaços fronteiriços no Brasil contemporâneo

  • Marcos César Alvarez USP
  • Fernando Salla USP
Palavras-chave: Fronteira. Margem. Estado-nação. Brasil. Violência.

Resumo

A fronteira é aspecto fundamental do imaginário do estado moderno. Considera-se que as funções centralizadoras e ordenadoras do estado teriam como correlato as fronteiras, os limites da centralização estatal, espaços problemáticos de dominação e de conflito. Discussões contemporâneas nas Ciências Sociais, no entanto, apontam para novas possibilidades de análise, ao enfatizar a heterogeneidade das práticas de poder – que envolvem os dispositivos da soberania, das disciplinas e da gestão governamental. Deve-se pensar menos em fronteiras, como espaços limites e periféricos ao poder central, e mais em margens que se multiplicam e se deslocam tanto na periferia quanto no centro. A investigação em curso busca analisar as novas formas de ação estatal nas fronteiras brasileiras, como o Policiamento Especializado de Fronteira, o Programa Calha Norte e o Sistema Integrado de Saúde das Fronteiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos César Alvarez, USP
M
Fernando Salla, USP
Fernando Salla é doutor em Sociologia pela USP, pesquisador sênior do Núcleo de Estudos da Violência da USP, em São Paulo, SP, Brasil
Publicado
2013-08-08
Como Citar
Alvarez, M. C., & Salla, F. (2013). Estado-nação, fronteiras, margens: redesenhando os espaços fronteiriços no Brasil contemporâneo. Civitas - Revista De Ciências Sociais, 13(1), 09-26. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2013.1.12589