O lúdico e o afetivo e suas implicações na cognição

  • Albino Trevisan Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS
Palavras-chave: lúdico, afetivo, cognição, estudar, educar, inter-relação.

Resumo

Neste excerto, pretende-se, a partir da má fama que a tarefa de estudar goza entre os estudantes, apresentar alguns elementos teóricos aos profissionais da educação, a fim de, quem sabe, passar-lhes algumas ideias úteis, no sentido de aperfeiçoarem suas formas pedagógicas práticas para amenizar tal problema. Para isso, imaginou-se que, explorando um pouco os estudos existentes hoje nos avanços científicos da psicologia e da neurologia, com relação ao papel do lúdico e do afetivo e suas implicações na cognição, talvez se consiga passar-lhes alguma inspiração para o bom exercício de sua função.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Albino Trevisan, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Ir. Albino- Trevisan Mestre em Educação, tem se dedicado ao desenvolvimento de estudos sobre alfabetização e à construção de materiais de ensino. Vem desenvolvendo princípios para uma metodologia de alfabetização alicerçados nos processos de aprendizado da leitura e da escrita e nos planos da consciência linguística da criança. É pedagogo, psicólogo e teólogo. Criador de metodologia de alfabetizar e de ensino da matemática; doutorando em educação pela PUCRS.

Referências

ARANTES, Valéria Amorim (org.). Afetividade na Escola: Alternativas Teóricas e Práticas. São Paulo: Summus, 2003.

ARAÚJO, Ulisses F. A dimensão afetiva da psique humana e a educação em valores. In: ARANTES, Valéria Amorim (org.). Afetividade na Escola: Alternativas Teóricas e Práticas São Paulo: Summus, 2003.

ARENDT, Hannah. A condição humana. São Paulo, Forense/Edusp, 1981.

BATISTA, João. Vida de José Bento Marcelino Champagnat. Tradução brasileira do original escrito em 1856 por Ir. Ângelo M. Camatta. São Paulo: Edições Loyola, 1989.

BECHARA, Antoîne. O papel positivo da emoção na cognição. In ARANTES, Valéria Amorim (org.). Afetividade na Escola: Alternativas Teóricas e Práticas. São Paulo: Summus, 2003.

DE LENVAL, H. Lubienska. A educação do homem consciente. 2. ed., São Paulo: Editora Flamboyant, 1958.

DELORS, Jacques. Os quatro Pilares da Educação. UNESCO, MEC, Cortez Editora. São Paulo, 1999.

FREIRE, Paulo e SCHOR, Ira. MEDO E OUSADIA. Tradução de Adriana Lopez, Editora Paz e Terra S/A, 12ª edição, São Paulo, SP, 2008.

GALVÃO, Izabel. Expressividade e emoções segundo a perspectiva de Wallon. In ARANTES, Valéria Amorim (org.). Afetividade na Escola: Alternativas Teóricas e Práticas São Paulo: Summus, 2003.

GARDNER, Howard. Estruturas da Mente: A Teoria das Inteligências Múltiplas. Porto Alegre: Artmed, 1994.

KUPFER, Maria Cristina Machado; MACHADO, Maria Cristina Machado. Afetividade e cognição: uma dicotomia em discussão. In ARANTES, Valéria Amorim (org.). Afetividade na Escola: Alternativas Teóricas e Práticas. São Paulo: Summus, 2003.

LEME, Maria Isabel da Silva. Cognição e afetividade na perspectiva da psicologia cultural. In ARANTES, Valéria Amorim (org.). Afetividade na Escola: Alternativas Teóricas e Práticas. São Paulo: Summus, 2003.

MACINTYRE, A.. Trás la virtud. Barcelona: Crítica, 1987.

MATURANA, Humberto R.; VARELA. Francisco J. Tradução: MARIOTTI, Humberto; DISKIN, Lia. A Árvore do Conhecimento. 2.ª ed., São Paulo, SP, 2002.

MOSQUERA, Juán José Mouriño; STÖBAUS, Claus Dieter. O Professor, Personalidade Saudável e Relações Interpessoais. In ENRICONE, Délcia (org.). Ser Professor. 3ª ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

MOSQUERA, Juan J. Mouriño. Psicodinâmica do aprender. Editora Sulina, Porto Alegre, R.S., 1984.

MORAES, Renate Jost de. O Inconsciente sem Fronteiras. Aparecida: Editora Santuário, 1995.

OLIVEIRA. Marta Kohl de e REGO, Teresa Cristina. Vygotsky e as complexas relações entre cognição e afeto. In: ARANTES, Valéria Amorim (org.). Afetividade na Escola: Alternativas Teóricas e Práticas. São Paulo: Summus, 2003.

RICOEUR, P. Tiempo y narración. v. 3, Madrid: Taurus, 1996.

SASTRE, Genoveva e MORENO, Montserrat. O significado afetivo e cognição das ações. In ARANTES, Valéria Amorim (org.). Afetividade na Escola: Alternativas Teóricas e Práticas. São Paulo: Summus, 2003.

SOUZA, Maria Thereza Costa Coelho de. O desenvolvimento afetivo segundo Piaget. In ARANTES, Valéria Amorim (org.). Afetividade na Escola: Alternativas Teóricas e Práticas. São Paulo: Summus, 2003.

VYGOTSKY, Lev Simonev. La imaginación y el arte en la infancia. Madrid, Akal Bolsillo, 1982.

Publicado
2011-12-31
Como Citar
Trevisan, A. (2011). O lúdico e o afetivo e suas implicações na cognição. Caderno Marista De Educação, 8. Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/caderno-marista-de-educacao/article/view/37210
Edição
Seção
Artigos