O cérebro imanente

Introdução à neurofilosofia de Catherine Malabou

Palavras-chave: Neurofilosofia, Cérebro, Plasticidade, Biopolítica, Malabou

Resumo

O artigo pretende apresentar a neurofilosofia de Catherine Malabou em alguns dos seus principais eixos. Para tanto, após dividir a obra da filósofa em quatro segmentos, dirige-se aos estudos sobre o cérebro que investigam as questões epistemológicas e políticas que as neurociências colocam para as humanidades. A investigação se dá em três momentos: a) Que fazer do nosso cérebro?, que propõe superar o dualismo como modelo da resistência às neurociências e incorporar a biologia no altermundismo; b) os textos que criticam a noção atual de biopolítica como chave para exclusão da problemática neuronal e biológica das principais questões ético-políticas do nosso tempo; e, finalmente c) a questão da inteligência artificial e como o problema do cérebro colabora para a construção de um novo paradigma na educação e na política a partir da relação com o cérebro azul artificial. Finalmente, conclui propondo uma internalização da problemática neurofilosófica como superação do gap natureza/simbólico que mantém as humanidades presas a uma ideia de transcendência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Moysés Pinto Neto, Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), Canoas, RS, Brasil.

Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Professor na Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), em Canoas, RS, Brasil.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Reflexões sobre a Peste: ensaios em tempos de pandemia. Tradução de Isabella Marcatti. São Paulo: Boitempo, 2020.

BENSUSAN, Hilan. Linhas de animismo futuro. Brasília: IEB Mil Folhas, 2017.

BONNEUIL, Christophe; FRESSOZ, Jean-Baptiste. The Shock of the Anthropocene. Tradução de David Fernbach. London: Verso Books, 2016. Edição Kindle.

CHAKRABARTY, Dipesh. O Clima da História: quatro teses. Sopro, [S. I.], n. 91, jun. 2013.

DAMASIO, Roberto. Texto introdutório. In: JOHNSTON, Adrian; MALABOU, Catherine. Self and emotional life: philosophy, psychanalysis and neuroscience. New York: Columbia University Press, 2013.

DERRIDA, Jacques. No apocalypse, not now. In: DERRIDA, Jacques. Psyché: inventions de l’autre. Paris: Galilée, 1987-1998. t. 1.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos. Tradução de Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro: Editora 34, 1994.

KANT, Immanuel. Crítica da Razão Pura. 7. ed. Tradução de Manuela Pinto dos Santos e Alexandre Morujão. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010.

KANT, Immanuel. Crítica da Razão Prática. Trad. Valerio Rohden. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

KIRBY, Vicki. Original science: nature deconstructing itself. Derrida Today, Edinburgh, v. 13, n. 1, 2010.

MALABOU, Catherine. Contagion: State of Exception or Erotic Excess? Agamben, Nancy and Bataille. Crisis and Critique, [S. I.], v. 7, n. 3, p. 221-226, 2020.

MALABOU, Catherine. Métamorphoses de l’intelligence: que faire de leur cerveau bleu? Paris: PUF, 2017.

MALABOU, Catherine. Une seule vie. Résistance biologique, résistance politique. Esprit, Paris, n. 411, v. 2015/1, p. 30-40, jan. 2015.

MALABOU, Catherine. The King’s Two (Biopolitical) Bodies. Representations, [S. I.], v. 127, n. 1, p. 98-106, 2014.

MALABOU, Catherine. Avant demain: Épigenèse et rationalité. Paris: PUF, 2014b.

MALABOU, Catherine. L’Avenir de Hegel: plasticité, temporalité, dialectique. Paris: Vrin, 2012.

MALABOU, Catherine. Que faire de notre cerveau? 2. ed. Paris: Bayard, 2011.

MALABOU, Catherine. Like a sleeping animal: philosophy between presence and absence. Inaesthetics, Berlin, n. 2, p. 79-89, 2011b.

MALABOU, Catherine. Ontologie de l’Accident: essai sur la plasticité destructice. Paris: Léo Scheer, 2009a.

MALABOU, Catherine. Changer de différence: le féminin et la question philosophique. Paris: Galilée, 2009b.

MALABOU, Catherine. Les Nouveaux Blessés: de Freud à la neurologie, penser les traumatismes contemporains. Paris: Bayard, 2007a.

MALABOU, Catherine. The end of writing? Gramatology and plasticity. The European Legacy: towards new paradigms, Cambridge, v. 12, n. 4, p. 431-444, 2007b.

MALABOU, Catherine. La plasticité au soir de l’écritura: dialetique, destruction, déconstruction. Paris: Léo Scheer, 2005.

JOHNSTON, Adrian; MALABOU, Catherine. Self and emotional life: philosophy, psychanalysis and neuroscience. New York: Columbia University Press, 2013.

MOORE, Jason. Capitalism in the web of life: ecology and the accumulation of capital. London: Verso, 2015.

PINTO NETO, Moysés. Plasticidade Destrutiva, Filosofia Messiânica e Ecologia: notas sobre o fim do mundo. Sopro, Florianópolis, n. 81, dez. 2012.

PINTO NETO, Moysés. Grafemática e Plasticidade: diálogos entre Derrida e Malabou. In: Correia, A., Nunes, R. G.; Utteiche, L. C.; Valdério, F.; Williges, F. Ceticismo, Dialética e Filosofia Contemporânea. Coleção XVII Encontro ANPOF: ANPOF, 2017. p. 218-230.

Publicado
2022-02-04
Como Citar
Neto, M. P. (2022). O cérebro imanente: Introdução à neurofilosofia de Catherine Malabou. Veritas (Porto Alegre), 67(1), e40662. https://doi.org/10.15448/1984-6746.2022.1.40662
Seção
Filosofia & Interdisciplinaridade