The people deprived of their liberty and the tuberculosis

Epidemiological profile in Porto Alegre/RS

Keywords: tuberculosis, pulmonary tuberculosis, prisioners, health management

Abstract

Introduction: the tuberculosis is one of the oldest infectious diseases in the world, caused by the bacterium Mycobacterium Tuberculosis, is transmitted through air – aerosols. According to the World Health Organization, about 100 million people are infected each year, and about 8-10 million will develop the disease.

Aims: the following article aims to describe the epidemiological profile of tuberculosis in the city of Porto Alegre/RS, in deprived of liberty population (DLP) in the period 2015-2017.

Methods: this is a descriptive study with a quantitative approach, based on data available in the Notification and Injury System, on reported cases of incidence in the city, observing the general population and the prisioners.

Results: as a result, in 2017 the general population dropped by 1.378 new cases and DLP grew to 167 events. The cure rate among cases of the general population was 53,87% while in the DPL it was 77,3%. Death occurred in 75,4% of prison patients and in 16,6% of the general population, abandonment cases represent 26,1 among the inmates and 19,24% of the general population.

Conclusions: according to the results presented, it is evident that tuberculosis prevails in the prisioners and the structural conditions of prisons, demonstrating some difficulties in guaranteeing the right to access to health.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Fabíola Bastos Giergowicz, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Bacharel em Saúde Coletiva. Especialista em Gestão em Saúde (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

Ibrahim Clós Mahmud, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Médico, especialista em Saúde da Família (UFCSPA) e Geriatria Clínica (PUCRS). Mestre em Gerontologia Biomédica (Escola de Medicina da PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil.

References

World Health Organization (WHO). Global tuberculosis report 2016 [Internet]. Geneva: WHO; 2016 [citado 2019 Fev 11]. Disponível em: https://apps.who.int/medicinedocs/en/d/Js23098en/

Superintendência dos Serviços Penitenciários (SUSEPE). Cadeia Pública de Porto Alegre [Internet]. Porto Alegre: SUSEPE; [2018] [citado 2018 Nov 2018]. Disponível em: http://www.susepe.rs.gov.br/conteudo.php?cod_menu=203&cod_conteudo=21.

World Health Organization (WHO). Global tuberculosis report 2017 [Internet]. Geneva: WHO; 2017 [citado 2019 Fev 11]. Disponível em: https://www.who.int/tb/publications/global_report/gtbr2017_main_text.pdf?u%20a=1.

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS). Programa Nacional de Controle da Tuberculose, Brasília, DF; Ministério da Saúde; 2017a.

Santos MNA, Sá AMM. Living with tuberculosis in prison: the challenge to achieve cure. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2014;23(4):854-861. https://doi.org/10.1590/0104-07072014000840013

Reis AJ, David SMM, Nunes LS, Valim ARM, Possuelo LG. Recent transmission of drug-resistant Mycobacterium tuberculosis in a prison population in southern Brazil. J. Bras. Pneumol [Internet]. 2016; 42(4):286-289. https://doi.org/10.1590/s1806-37562016000000023

Brasil. Ministério da Saúde. Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2003 [citado 2019 Mar 15]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/plano_nacional_saude_sistema_penitenciario_2ed.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP) [Internet]. Brasília, DF; Ministério da Saúde; 2014a [citado 2018 Nov 18]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2014/pri0001_02_01_2014.html.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Estimativas populacionais. Brasília: IBGE; 2010.

Porto Alegre. Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Plano Municipal de Porto Alegre 2018-2021 [Internet]. Porto Alegre: SMS; 2017 [citado 2019 Abr 12]. Disponível em: http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/sms/usu_doc/plano_municipal_de_saude_-_pms_2018-2021_-_revisado_em_16_01_18.pdf

Brasil. Lei nº 6.259 de 30 de outubro de 1975. Dispõe sobre as organizações de Vigilância Epidemiológica, sobre o Programa Nacional de Imunizações, estabelece normas relativas à notificação compulsória de doenças, e dá outras providências. DOU, 31 out, 1975.

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Portaria nº. 104, de 25 de janeiro de 2011. Define as terminologias adotadas em legislação Nacional, conforme o disposto no Regulamento Sanitário Internacional 2005 (RSI 2005), a relação de doenças, agravos e eventos em saúde pública de notificação compulsória em todo o território nacional e estabelece fluxo, critérios, responsabilidades e atribuições aos profissionais e serviços de saúde. Brasília, DF; Ministério da Saúde; 2011a.

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS). Departamento de Vigilância Epidemiológica. Sistema de Informação de Agravos de Notificação–Sinan: normas e rotinas. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2017a.

Porto Alegre. Secretaria Municipal de Saúde. Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde. Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Bol. Epidemiol [Internet]. 2017 fev;(64):1-7, [citado em 2019 Fev 5]. Disponível em: http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/cgvs/usu_doc/boletimepidemiologico-cgvs-sms-pmpa-64.pdf

Acosta LMW, Bassanesi SL. The Porto Alegre paradox: social determinants and tuberculosis incidence. Rev. Bras. Epidemiol [Internet]. 2014;17(2): 88-101. https://doi.org/10.1590/1809-4503201400060008

Brasil. Portal da Saúde (PS). Ministério da Saúde (MS). Tuberculose [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2011b [citado 2019 Mar 10]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/area.cfm?id_area=1527.

Iseman MD. Tuberculose. In: Goldman L, Ausiello D. Cecil: Tratado de Medicina Interna. 22. ed. Rio de Janeiro: Campus-Elsevier; 2005. p. 2211-2220.

Sánchez A, Larouzé B. Controle da tuberculose nas prisões, da pesquisa à ação: a experiência do Rio de Janeiro, Brasil. Ciênc. Saúde Coletiva [Internet]. 2016; 21(7):2071-2079. https://doi.org/10.1590/1413-81232015217.08182016

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS). Programa Nacional de Controle da Tuberculose. Situação da Tuberculose no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2014b.

Andrade CH, Pasqualoto KFM, Zaim MH, Ferreira EI. Abordagem racional no planejamento de novos tuberculostáticos: inibidores da InhA, enoil-ACP redutase do M. tuberculosis. Rev. Bras. Ciênc. Farm [Internet]. 2008; 44(2):167- 179. https://doi.org/10.1590/S1516-93322008000200002

Brasil. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Lei Orgânica da Saúde. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, set. 1990.

Brasil. Presidência da República. Lei no 7.210, de 11 de julho de 1984. Institui a Lei de Execução Penal. DOU, 13 jul, 1984.

Soares Filho MM, Bueno PMMG. Demografia, vulnerabilidades e direito à saúde da população prisional brasileira. Ciênc. Saúde Coletiva [Internet]. 2016; 21(7):1999-2010. https://doi.org/10.1590/1413-81232015217.24102015

Fabrini VCN, Carvalho BG, Mendonça FF, Guariente MHD. Cuidado a pessoas com tuberculose privados de liberdade e a educação permanente em saúde. Trab. Educ. Saúde [Intenet]. 2018; 16(3):1057-1077. https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00166

Souza KMJ, Sá LD, Palha PF, Nogueira JÁ, Villa TCS, Figueiredo DA. Abandono do tratamento da tuberculose e relações de vínculo com a equipe de saúde da família. Rev. Esc. Enferm USP [Internet]. 2010;44(4):904-911. https://doi.org/10.1590/S0080-62342010000400007

Marcolino ABL, Nogueira JA, Ruffino-Netto A, Moraes RM, Sá LD, Villa TCS, et al. Avaliação do acesso às ações de controle da tuberculose no contexto das equipes de saúde da família de Bayeux - PB. Rev. Bras. Epidemiol [Intenet]. 2009;12(2):144-57. https://doi.org/10.1590/S1415-790X2009000200005

Costa PV, Senna AL, Oliveira LGD, Siqueira RCAG, Figueiredo SP. Demora no diagnóstico da tuberculose pulmonar em cinco municípios da região metropolitana do Rio de Janeiro, Brasil, 2009-2010. Cad. Saúde Colet. 2012;20(2):195-202.

Oliveira HB & Moreira Filho DC. Recidivas em tuberculose e seus fatores de risco. Rev. Panam. Salud. Publica. 2000 abr;7(4):231-41. https://doi.org/10.1590/S1020-49892000000400004

Silva Junior VB, Silva MTA, Cruz DF. The Interface between Infectious and Parasitic Diseases and the Family Healthcare Program in Brazil. Rev. bras. Ciênc. Saúde [Internet]. 2018; 24(4):325-332. https://doi.org/10.4034/RBCS.2018.22.04.05

Brasil. Ministério da Justiça (MJ). Portaria Interministerial no. 1.777, de 09 de setembro de 2003. Brasília: Ministérios da Justiça e Saúde; 2003.

Rio Grande do Sul. Secretaria Estadual de Saúde (SES) [Internet]. Porto Alegre: SES; 2016 [citado 2019 Jan 10]. Disponível em: http://www.saude.rs.gov.br/saude-prisional.

Published
2020-11-03
How to Cite
Bastos Giergowicz, F., & Clós Mahmud, I. (2020). The people deprived of their liberty and the tuberculosis: Epidemiological profile in Porto Alegre/RS. Scientia Medica, 30(1), e37951. https://doi.org/10.15448/1980-6108.2020.1.37951
Section
Original Articles