Sobre a Revista

Em novembro de 1988, foi lançada a Revista de Medicina da PUCRS, com o objetivo de divulgar a produção científica da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Em 2004, o "Projeto Scientia Medica" trouxe em seu contexto o novo nome da revista - Scientia Medica. Tinha como objetivo principal estimular uma produção científica dos professores, profissionais, alunos de pós-graduação e da graduação da Medicina, institutos de pesquisa e cursos da área da saúde, tanto na Universidade quanto nas demais regiões do país. A partir disso, a revista abriu suas instituições e passou a aceitar artigos vários de várias instituições.

Em 2006, a Scientia Medica passou a contar com um novo corpo editorial. Nesse mesmo ano, foi implementado o Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER), que tornou mais fácil e prático o processo editorial. Ambos os formatos, impresso e eletrônico, continham sempre o mesmo conteúdo científico.

Entre 2006 e 2015 uma publicação apresentou um desenvolvimento aprimorado, ampliação a abrangência geográfica de seus colaboradores, alcançando a internacionalização e obtendo várias indexações importantes. Em 2015, encerrou a edição impressa, cujo ISSN era 1806-5562, e passou a ser publicada sob forma electrónica.

Contribuir para a divulgação do conhecimento científico nas diversas áreas da Medicina e de outras Ciências da Saúde, com enfoque interdisciplinar e com abrangência regional, nacional e internacional.

Esta revista emprega o sistema de revisão por pares (peer review) no processamento de manuscritos ocorrendo para publicação. Todos os artigos passam por uma avaliação inicial pelos editores, para verificar se o assunto está dentro do foco e escopo da revista e se as normas do periódico e os padrões de qualidade especificados estão cumpridos. Ainda nessa fase inicial, o original é inserido em um software especializado em identificação de plágio, para verificar possíveis similaridades excessivas com textos já publicados. Caso não sejam cumpridos os requisitos básicos para publicar na Scientia Medica, uma submissão pode ser rejeitada logo após esses passos e os autores serão informados dos motivos. Se os requisitos básicos primeiros cumpridos, o manuscrito é enviado a pelo menos dois revisores externos, especialistas no campo correspondente, que avaliação do artigo adicionando comentários, sugerindo mudanças e dando uma opinião sobre sua aceitação para publicação. Se as revisões principais discordantes, um terceiro ou mais revisores serão designados. Os documentos podem sofrer revisão estatística sempre que necessário. Scientia Medica usa uma revisão por pares tipo duplo-cego, pela qual autores e revisores são cegos um para o outro.

As diretrizes para revisores são fornecidas automaticamente pelo sistema operacional de publicação quando o revisor convidado está disponível para uma revisão. Elas incluem tópicos como confidencialidade, conflitos de interesses e orientação sobre os aspectos práticos da revisão. Declarações sobre os princípios éticos seguidos pela Scientia Medica em relação ao processo de avaliação por pares estão incluídos na seção "Princípios de Ética e Boas Práticas na Publicação Acadêmica", mais abaixo.

Depois de receber as avaliações, o editor para uma decisão de aceitar, recusar ou requerer uma revisão do artigo pelos autores. Quando necessário, o Conselho Editorial é consultado. As mudanças sugeridas são encaminhadas aos autores para sua resposta e revisão do artigo. O original revisado dos autores autores é então revisado pelo editor ou pelos mesmos pareceristas, para assegurar que os requisitos foram atendidos. Desde a submissão até a decisão editorial, todo o processo pode ser rastreado eletronicamente pelo autor, consultando o site por meio do nome de usuário e senha que são fornecidos ao registrador.

A decisão editorial leva em consideração os seguintes critérios: cumprimento das regras da revista, originalidade, pesquisa e contribuição para o tema. Essa decisão é independente de interesse comercial ou de qualquer outro interesse concorrente. A decisão editorial final e as razões para a mesma são sempre comunicadas aos autores.

Scientia Medica não exclui de consideração estudos com resultados que não são estatisticamente considerados ou são inconclusivos. De acordo com as recomendações do ICMJE, tais estudos podem fornecer evidências que, combinadas com outros estudos, podem ajudar a responder questões importantes, ou de outra forma serem valiosas para outros pesquisadores que consideram fazer trabalhos semelhantes.

Fluxo contínuo.

Este periódico oferece acesso aberto a todo o seu conteúdo, seguindo o princípio de que tornar livre o acesso à pesquisa científica gera um maior intercâmbio global de conhecimento.

A Scientia Medica é membro do Comitê de Ética em Publicação (Comitê de Ética em Publicação - Cope ) e segue seus princípios de ética, transparência e integridade na publicação.

Segue como Recomendacoes fazer Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas ( Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas - ICMJE ) para uma Condução, Elaboração de Relatórios, edição e Publicação de Trabalhos Acadêmicos em Revistas Médicas.

É membro também da Associação de Editoras Acadêmicas de Acesso Aberto ( Open Access Scholarly Publishers Association - OASPA ), que representa associações dedicadas a manter as melhores práticas na publicação científica de acesso aberto.

A autoria se baseia-se nos quatro critérios seguintes:

  • contribuições substanciais para a concepção ou delineamento do trabalho; ou aquisição, análise ou interpretação de dados para o trabalho;
  • elaborar o trabalho ou revisá-lo criticamente em seu conteúdo intelectual;
  • aprovação final da versão a ser publicada;
  • concordância em prestar contas dos aspectos do trabalho, assegurando que questões relacionadas com a exatidão e integridade de qualquer parte do trabalho sejam apropriadamente investigadas e resolvidas.

Todos os designados como autores devem atender aos quatro critérios de autoria, e todos que atendem a quatro critérios devem ser identificados como autores.

Os colaboradores que não atendem aos critérios devem ser mencionados nos agradecimentos.

Ao submeter o manuscrito, os autores garantem que o trabalho não foi publicado nem está sendo analisado por outra revista.

Não são aceitáveis ​​cópias literais de trechos já publicadas, a não ser em casos excepcionais, na forma de citação.

Quando for necessário copiar as palavras de outro autor, use as normas de citação.

Antes ou após a publicação, os autores e revisores devem notificar o editor se algum erro for identificado no artigo.

A editora e os editores estão dispostos a publicar correções, esclarecimentos, retratações e desculpas quando necessário. Os autores devem cooperar com os editores nas correções ou retratações.

A Scientia Medica segue as diretrizes do Cope para retratar ou corrigir artigos. São considerados corretos para identificar e impedir a publicação de artigos com erros ou nos quais ocorreram erros má conduta na pesquisa.

O manuscrito em revisão é um documento privilegiado e protegido de qualquer forma de exploração. A equipe editorial e os revisores externos são instruídos a não citar um manuscrito antes que ele seja publicado e a não distribuir ou usar as informações nele contidas para o avanço de sua própria pesquisa.

Durante uma revisão, o manuscrito não deve ser considerado nem discutido com outros, e ninguém mais deve estar relacionado na revisão, exceto, em casos especiais, pessoas a quem pode ser solicitado específico. Nesse caso, o revisor mantém a responsabilidade de garantir a confidencialidade. O revisor deve informar o editor sobre outras pessoas que fizeram comentários sobre uma revisão.

Os interesses conflitantes podem ocorrer pessoais, financeiros, intelectuais, profissionais, políticos ou religiosos, e podem ocorrer com autores, revisores e editores.

  • Autores: Scientia Medica exige que todos os autores declarem quaisquer conflitos de interesses e não financeiros relevantes e publiquem pelo menos que aqueles que sofrem a percepção do leitor de um artigo. As percepções de conflitos de interesses são tão importantes quanto os conflitos de interesses reais. Sempre que existir uma relação entre autores e qualquer organização pública ou privada, o que pode gerar um conflito de interesses, essa possibilidade é comunicada e especificada no artigo. No caso de não existirem conflitos, ISSSO é.
  • Revisores: nenhum sistema de revisão por pares utilizado pela Scientia Médica, o manuscrito é enviado ao revisor sem a identificação dos autores. No entanto, se o revisor reconhecer os autores ou instituição, pode haver um conflito de interesses. Para manter a imparcialidade do processo de revisão por pares, o revisor deve determinar se o manuscrito pode ser julgado imparcialmente. Se houver qualquer interesse concorrente, o revisor deve informar imediatamente o editor, para que outro revisor seja designado. O processo de avaliação por pares utilizado pela Scientia Médica e as diretrizes para autores são em detalhes na seção "Processo de Avaliação por Pares", no menu SOBRE, "POLÍTICAS".
  • Editores: os editores não serão envolvidos em decisões sobre os artigos nos quais os tipos de conflito de interesse, por exemplo, se trabalham na mesma instituição ou têm um relacionamento pessoal com os autores. Cada submissão é tratada por um editor sem qualquer conflito de interesse em relação ao manuscrito e aos autores.

A fonte de financiamento da pesquisa precisa ser declarada e publicada e, se aplicável, seu papel na concepção, condução, análise ou relato da pesquisa será declarado e publicado.

As decisões editoriais são baseadas na qualidade e na qualidade de um manuscrito. As decisões não são influenciadas por interesses comerciais, relações pessoais ou agendas, ou outros interesses secundários.

A Scientia Médica dispõe de um Conselho Editorial multiinstitucional para ajudar a estabelecer e manter políticas editoriais, apoiar decisões editoriais e expressões de opinião potencialmente controversas.

Artigos originais e relatórios de casos necessários de aprovação de um Comitê de Ética em Pesquisa institucional. Os autores obrigatórios o documento de aprovação do Comitê de Ética. No artigo, declarar na seção de Métodos que os padrões éticos para experimentação humana foram seguidos e informar o nome da instituição e o número do documento de aprovação (o Parecer Consubstanciado).

O material publicado deve seguir todos os padrões éticos da Declaração de Helsinque de 1964 e suas posteriores mudanças. Pesquisas realizadas no Brasil devem atender aos requisitos da Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde.

Se pertinente, um consentimento deve ter sido criado de todos os participantes adultos e / ou dos pais ou responsáveis ​​legais de menores ou adultos incapacitados, e um termo de consentimento padrão de adolescentes e crianças. A confidencialidade da identidade do paciente é sempre preservada.

No caso de estudo experimental com animais, a manutenção e o cuidado dos animais obedecem às diretrizes da autoridade ou agência do país ou instituição para o uso humano de animais em pesquisa.

Os editores estão atentos às preocupações com a conduta ética da pesquisa. Eles podem pedir conselhos de membros do Conselho Editorial com competência específica nessa área, e podem exigir mais garantias ou evidências de autores ou de suas instituições. Os artigos podem ser rejeitados por razões éticas, mesmo que a pesquisa tenha aprovação de um comitê de ética.

Dados de catalogação

Ficha catalográfica elaborada pelo Setor de Tratamento da Informação da Biblioteca Central da PUCRS.

Política de taxas para submissão de artigos e Taxas para Processamento de Artigos (APCs)

Este periódico não cobra taxas para publicação.

Cobertura temática codificada de acordo com a classificação do CNPq, identificando primeiro e segundo níveis

  • Área Principal: Medicina
  • Qualis: B2 (conforme portaria DOU n ° 145)
  • Período: 2017-2020