O perfil editorial do jornalismo independente no Brasil e na França

Palavras-chave: Perfil editorial, Jornalismo independente, Brasil, França

Resumo

O aumento significativo de sites de jornalismo independentes configura um terreno fértil para experimentações jornalísticas no ecossistema digital. Diante de novas formas de pensar, de fazer e de financiar o jornalismo, este recorte de estudo de uma pesquisa de doutorado sobre cultura e novas práticas jornalísticas busca responder como se configuram as novas possibilidades editoriais das mídias digitais no Brasil e na França (nascidas a partir de 2010). A análise dos textos extraídos da aba “Quem somos” de 108 sites dos dois países oferece pistas quanto a forma de exploração e tratamento do conteúdo jornalístico: no Brasil, com ênfase no conteúdo combativo, em prol das causas sociais; na França, focado nas possibilidades de formatação da notícia via aprimoramento do método de trabalho do jornalista. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Tainá Amaral Horn, Université Lumière Lyon 2 (Lyon 2), Lyon, França.

Doutora em Ciências da Informação e da Comunicação pela Université Lumière Lyon 2, em Lyon, França; mestre em Comunicação pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, PR, Brasil. Integrante do Grupo de Pesquisa Internacional JADN (Jornalismo na era digital). Jornalista.

Referências

ABRAMO, Perseu. Padrões de manipulação na grande imprensa. São Paulo: Editora Perseu Abramo, 2004.

ANDERSON, Chris.; BELL, Emily; SHIRKY, Clay. Jornalismo pós-industrial: adaptação aos novos tempos. Tradução de Ada Félix. Revista de Jornalismo ESPM, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 30-89, 2013.

ALSINA, Miguel. La construcion de la noticia. Barcelona: Paidós, 1989.

APRESENTAÇÃO. In: Justificando, [2019]. Disponível em: https://www.justificando.com/apresentacao. Acesso em: 13 set. 2019.

ATLAS DA NOTÍCIA. Mapeando o jornalismo local no Brasil, [S. l.], 2019. Disponível em: https://www.atlas.jor.br. Acesso em: 12 maio 2020.

ATTON, Chris.; HAMILTON, James. Alternative journalism. Thousand Oaks: Sage Publications, 2008.

BADOAURD, Romain. Le désenchantement de l’internet. Limoges: FYP Editions, 2017.

BAUMAN, Zygmunt. A cultura no mundo líquido moderno. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

BE DIAF, Linda. Journalistes 2.0: usages et dilemmes des journalists contemporains. Paris: L’Harmattan, 2014.

BERGER, Peter.; LUCKMANN, Thomas. A sociedade como realidade objetiva. In: BERGER, Peter; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. Petrópolis: Vozes, 1985. p. 69-126.

BRONOSKY, Marcelo. Manuais de redação e jornalistas: estratégias de apropriação. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2017.

BRUNS, Alex. Gatekeeping, gatewatching, realimentação em tempo real: Novos desafios para o jornalismo. Brazilian Journalism Research, Brasília, v. 7, n. 2, p. 119-141, 2011. https://doi.org/10.25200/BJR.v7n2.2011.342.

CAMARGO, Brigido V.; JUSTO, Ana M. Iramuteq: um software gratuito para análise de dados textuais. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 21, n. 2, p. 513-518, 2013. http://dx.doi.org/10.9788/TP2013.2-16.

CANAVILHAS, João. Webjornalismo: 7 características que marcam a diferença. Covilhã: Universidade da Beira Interior, 2014.

CASTELLS, Manuel. Fim de Milênio: A Era da Informação, Economia, Sociedade e Cultura. Tradução de Klauss Brandini Gerhardt e Roneide Venancio Majer. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CHARON, Jean-Marie; FLOCH, Patrick. La presse en ligne. Paris, Éd. La Découverte, 2011.

CHARRON, Jean; BONVILLE, Jean. Natureza e transformação do jornalismo. Florianópolis Editora Insular, 2016.

CHOMSKY, Noam; HERMAN, Eduward. Manufacturing Consent: The Political Economy of the Mass Media. Pantheon Books: New York, 1988.

DEL VECCHIO DE LIMA, Myrian R.; CAETANO, Kati. E. Implicações epistemológicas da pesquisa sobre novas práticas jornalísticas: por onde começar? Revista FAMECOS, Porto Alegre, v. 22, n. 3, p. 61-76, 2015. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2015.3.19898.

DEUZE, Mark; WITSCHGE, Tamara. O que o jornalismo está se tornando. Parágrafo, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 7-21, 2016. ISSN: 2317-4919.

FERNANDES, Kamila. B. Informação e engajamento político: a produção de sentido no jornalismo alternativo visual no Brasil, na Espanha e em Portugal. 2019. Tese (Doutorado em Ciências da Informação e da Comunicação) – Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2019.

FIGARO, Roseli.; NONATO, Cláudia.; GROHMANN, Rafael. As mudanças no mundo do trabalho do jornalista. São Paulo: Atlas, 2013.

FIGUEIRA, João. Jornalismo como instrumento de resistência. [Entrevista concedida à Guilherme Carvalho e Marcelo Engel Bronosky]. Revista Brasileira de Ensino de Jornalismo, Brasília, DF, v. 9, n. 24, p. 185-196, 2019. ISSN: 1981-4542.

FLICHY, Patrice. Internet et le débat démocratique. Réseaux, Champs-sur-Marne, v. 4, n. 150, p.159-185, 2008. https://www.cairn.info/revue-reseaux1-2008-4-page-159.htm#. Acesso em: 12 jun. 2019.

FÓRUM DE SEGURANÇA BRASILEIRO. Anuário Brasileiro de Segurança Pública, São Paulo, 2019. Disponível em: http://www.forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2019/10/Anuario-2019-FINAL_21.10.19.pdf. Acesso em: 12 out. 2020.

HORN, Aline T. A. Médias, Culture et Journalisme Numérique au XXIème siècle: La “résistance” dans la manière de “penser”, “faire” et “financer” des nouveaux médias au Brésil et en France. 2020. Tese (Doutorado em Ciências da Informação e da Comunicação) – Universidade Lumière Lyon 2, Lyon, França, 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Desigualdades Sociais por Cor ou Raça no Brasil. [S. l.], 2019. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101681_informativo.pdf. Acesso em: 6 maio 2020.

INSTITUTO PAULO MONTENEGRO. [S. l.], 2017. Disponível em: https://ipm.org.br/inaf. Acesso em: 13 jun. 2020.

KURPIEL, Solange. Internet Media Dreamin: un idéal démocratique incarné par le journalisme alternatif en ligne au Brésil et en France. 2019. Tese (Doutorado em Ciências da Informação e da Comunicação) – Universidade Lumière Lyon 2, Lyon, França e Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil, 2019.

LONGHI, Raquel. O turning point da grande reportagem multimídia. Famecos, Porto Alegre, v. 21, n. 3, p. 897-917, 2014. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2014.3.18660.

MARCHAND, Pascal; RATINAUD, Pierre. L’analyse de similitude appliqueé aux corpus textueles: les primaires socialistes pour l’election présiden tielle française. Liège, Belgique, 2012. Disponível em: https://bit.ly/3nSgTgA. Acesso em: 14 jun. 2020.

MEDIA OWNERSHIP MONITOR BRASIL. São Paulo, 2019. Disponível em: https://brazil.mom-rsf.org/br/. Acesso em: 11 maio 2020.

MONNERAT, Alessandra. Em ano de eleições, 62% das cidades brasileiras não terão cobertura de jornalismo local. Estadão, São Paulo, 11 dez. 2019. Disponível em: https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,em-ano-de-eleicoes-62-das-cidades-brasileiras-nao-terao-cobertura-de-jornalismo-local,70003122042. Acesso em: 3 mar. 2020.

NEVEU, Erik. As notícias sem jornalistas: uma ameaça real ou uma história de terror? SBPJor, Brasília, DF, v. 6, n. 1, p. 29-57, 2010.

NEXO Políticas Públicas. In: Nexo, [2019]. Disponível em: https://pp.nexojornal.com.br/sobre/Sobre-o-Nexo-Pol%C3%ADticas-P%C3%BAblicas. Acesso em: 13 set. 2019.

PAIXÃO, Patrícia. Linha editorial no Jornalismo brasileiro: conceito, gênese e contradições entre a teoria e a prática. Revista Alterjor, São Paulo, v. 1 n. 17, p. 90-108, 2018. ISSN: 2176-1507.

PALÁCIOS, Marcos. Memória: Jornalismo, memória e história na era digital. In: CANAVILHAS, João (org.). Webjornalismo: 7 características que marcam a diferença. Covilhã: Universidade da Beira Interior, 2014. p. 89-110.

PEREIRA, Fábio Henrique; ADGHIRNI, Zélia. O jornalismo em tempos de mudanças estruturais. Intexto, Porto Alegre, v. 1, n. 24, p. 38-57, 2017.

PERUZZO, Cicilia. Possibilidades, realidade e desafios da comunicação cidadã na web. MATRIZes, São Paulo, v. 12, n. 3, p. 77-100, 2018. http://dx.doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v12i3p77-100.

PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO. Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH) da Organização das Nações Unidas (ONU). New York, 2019. Disponível em: http://hdr.undp.org/sites/default/files/hdr_2019_pt.pdf. Acesso em: 15 jul. 2020.

PRIMO, Alex. O aspecto relacional das interações na Web 2.0. E-compós, Brasília, DF, v. 9, p. 1-21, 2007. https://doi.org/10.30962/ec.153.

QUI sommes-nous? In: Enlarge your Paris, [2019]. Disponível em: https://www.enlargeyourparis.fr/a-propos/qui-sommes-nous. Acesso em: 15 set. 2019.

QUI sommes-nous. In: Actu.fr, [2019]. Disponível em: https://actu.fr/qui-sommes-nous. Acesso em: 15 set. 2019.

ROTHBERG, Danilo. [Entrevista cedida à] Observatório da Ética Jornalística. Objethos Observatório da ética jornalística, Florianópolis, 2016. Disponível em: https://is.gd/t4xRT5. Acesso em: 21 mar. 2020.

RUELLAN, Denis. Le Professionalisme du Flou. Identité et savoir-faire des journalistes français. Grenoble: Presses Universitaires de Grenoble, 2003.

SALAVERRÍA, Ramón. Ecosistema de Cibermedios en Espanã. Palestra ministrada no XI Congresso internacional de ciberjornalismo, 12 novembro de 2019, realizado em Bilbao, Espanha.

SALVIATI, Maria Elisabeth. Manual do Aplicativo Iramuteq. Planaltina, 2017. Disponível em: http://www.iramuteq.org/documentation/fichiers/manual-do-aplicativo-iramuteq-par-maria-elisabeth-salviati. Acesso em: 2 jun. 2020.

SEMBRAMEDIA. Report Inflection point impact, threats, and sustainability: a study of latin american digital media entrepreneurs. [S. l.], 2016. Disponível em: http://data.sembramedia.org/?lang=pt-br. Acesso em: 3 jul. 2020.

SERAFÍNOVÁ, Danusa; MATHIEN, Michel. L’expression médiatique de la diversité culturelle en Europe centrale et orientale. Bruxelles: Bruylant Edition, 2013.

SIM, nós somos feministas. In: AzMina, 2019. Disponível em: https://azmina.com.br/instituto-azmina/quem-somos. Acesso em: 13 set. 2019.

THOMPSON, John. A interação mediada na era digital. MATRIZes, São Paulo, v. 12, n. 3, p. 17-44, 2018. http://dx.doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v12i3p17-44. Acesso em: 3 out. 2020.

TUCHMAN, Gaye. Making News: a study in the construction of reality. New York: The Free Press, 1978.

VENANCIO, Rafael Duarte. Jornalismo e linha editorial: Construção das notícias na imprensa partidária e comercial. Rio de Janeiro: E-papers, 2009.

VÉRON, Eliseo. Construire l’événement. Paris: Éditions de Minuit, 1981.

Publicado
2022-06-23
Como Citar
Horn, A. T. A. (2022). O perfil editorial do jornalismo independente no Brasil e na França. Revista FAMECOS, 29(1), e41612. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2022.1.41612