Paulo Emilio Sales Gomes entre seus contemporâneos (1954-1960)

Palavras-chave: Crítica de Cinema, Paulo Emilio Sales Gomes, Campo Cinematográfico Brasileiro

Resumo

Este artigo analisa a inserção de Paulo Emilio Sales Gomes no subcampo da crítica de cinema paulista por meio de seus escritos da segunda metade dos anos 1950. Para tanto, buscamos, de início, descrever a correlação de forças no campo cinematográfico. A descrição do campo nos permitiu rever a validade do esquema que divide a crítica entre “esteticistas” e “críticos-históricos”. Antes que verificar diferenças no pormenor do método de avaliação, argumentamos que a crítica na década de 1950 se dividia, sobretudo, entre sensibilidades políticas distintas. Assim, a pesquisa indica que Paulo Emilio se destaca ao trafegar entre os diferentes grupos da crítica sem aderir integralmente a quaisquer das partes. O corpus analisado neste artigo foi composto por críticas e ensaios sobre cinema publicados na imprensa na década de 1950. Mobilizamos na análise os conceitos de campo e de habitus de Pierre Bourdieu com o objetivo de indicar as condicionantes sociais que explicam, em parte, as tomadas de posição da crítica no período, bem como ferramentas da análise de discurso francesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Turibio, Colégio Pedro II (CP2), Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Doutor em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil; mestre em História Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), em São Gonçalo, RJ, Brasil. Professor do Colégio Pedro II (CP2), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Referências

ANHEMBI. São Paulo: [s. n.], 1950-1962.

ALAMBERT, Francisco; CANHETE, Polyana Lopes. As bienais de São Paulo: da era do museu à era dos curadores (1951-2001). São Paulo: Boitempo, 2004.

AUTRAN, Arthur. Alex Viany: crítico e historiador. São Paulo: Perspectivas; Rio de Janeiro: Petrobras, 2003.

BARBOSA, Neusa. Rodolfo Nanni: um realizador persistente. São Paulo: Cultura, fundação padre Anchieta: Imprensa oficial, 2004. (Coleção aplauso cinema Brasil).

BAZIN, André. Bazin on global cinema, 1948-1958. Transleted and edited by Bert Cardullo. Austin: University of Texas Press, 2014.

BAZIN, André. O mito de Stálin no cinema soviético. In: O que é cinema? Tradução de Eloisa Araújo Ribeiro. São Paulo: Ubu Editora, 2018a. p. 64-80.

BAZIN, André. O western ou o cinema norte americano por excelência. In: O que é cinema? Tradução de Eloisa Araújo Ribeiro. São Paulo: Ubu Editora, 2018b. p. 257-268.

BERNARDET, Jean-Claude. O Autor no Cinema. São Paulo: Brasiliense/Edusp, 1994.

BERNARDET, Jean-Claude; GALVÃO, Maria Rita. Cinema: repercussões em caixa de eco ideológica (as ideias de ‘nacional’ e ‘popular’ no pensamento cinematográfico brasileiro). São Paulo: Brasiliense, 1983.

BLANCO, Alejandro. JACKSON, Luiz Carlos. Sociologia no espelho: ensaístas, cientistas sociais e críticos literários no Brasil e na Argentina (1930-1970). São Paulo: Editora 34, 2014.

BOURDIEU, Pierre. A distinção, crítica social do julgamento. Tradução de Daniela Kern; Guilherme J. F. Teixeira. São Paulo: Edusp; Porto Alegre, RS: Zouk, 2008a.

BOURDIEU, Pierre. As Regras da Arte. Gênese e Estrutura do Campo Literário. São Paulo: Companhia das Letras, 2008b.

BOURDIEU, Pierre. Economia das trocas simbólicas – São Paulo: Perspectiva, 2009.

CANDIDO, Antonio. Informe político. In: CALIL, Carlos Augusto; MACHADO, Maria Teresa (org.). Paulo Emilio: Um intelectual na linha de frente. São Paulo: Brasiliense; Rio de Janeiro: Embrafilme, 1986. p. 55-71.

CATANI, Afrânio Mendes. A aventura industrial e o cinema paulista (1930-1955). In: RAMOS, Fernão (org.). História do cinema brasileiro. São Paulo: Círculo do Livro, 1983. p. 189-297.

CATANI, Afrânio Mendes. O romance do gato preto: Carlos Ortiz e a história do cinema brasileiro. Estudos de cinema e audiovisual - SOCINE, São Paulo, ano VIII, p. 372-383, 2012.

CAVALCANTI e o Brasil. Anhembi, São Paulo, ano II, v. 2, n. 20, p. 283-284. jul. 1952.

CURSO de cinematografia patrocinado pela prefeitura de S. Paulo. Anhembi, São Paulo, ano II, v. 7, n. 19, p. 188-190, jun. 1952.

DUARTE, Benedito Junqueira. Ainda “O cangaceiro”. Anhembi, ano III, v. 10, n. 29, p. 407-408, abr. 1953.

DURAND, José Carlos. Arte, privilégio e distinção: artes plásticas, arquitetura e classe dirigente no Brasil, 1855/1985. São Paulo: Perspectiva, 2009.

EIKHENBAUM, Boris. A teoria do método formal. In: EIKHENBAUM et alii. Teoria da literatura. Formalistas Russos. Porto Alegre: Editora Globo, 1971.

ESPETÁCULOS para estudantes. Anhembi, ano III, v. 12, n. 36, p. 587, nov. 1953.

FUNDAMENTOS: REVISTA DE CULTURA MODERNA. São Paulo: 1948-1955.

GALVÃO, Maria Rita. Cinema brasileiro: 1930-1964. In: História geral da civilização brasileira. III. O Brasil Republicano. 4. Economia e cultura (1930-1964). Rio de Janeiro: Bertand Brasil, 1997.

GOMES, Paulo Emilio Sales. A ópera de cavalo e do pobre. In: MIRANDA, Marcelo; CICCARINI, Rafael (org.). Revista de cinema: antologia. Rio de Janeiro: Azougue, 2014. v. 1, p. 263-266.

GOMES, Paulo. Emilio Sales. Ante-estreias francesas. In: Crítica de cinema no suplemento literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981a. v. 1, p. 96-100.

GOMES, Paulo Emilio Sales. Arte e apologética. In: Crítica de cinema no suplemento literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981b. v. 1, p.193-197.

GOMES, Paulo. Emilio. Sales. As ideias de Malraux. In: Crítica de cinema no suplemento literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981c. v. 1, p. 219-221.

GOMES, Paulo Emilio Sales. Funções da cinemateca. In: Crítica de cinema no suplemento literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981d. v. 1, p. 95-98.

GOMES, Paulo Emilio Sales. Inocência do cinema. In: Crítica de cinema no suplemento literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981e. v. 1, p. 154-157.

GOMES, Paulo. Emilio Sales. Mitologia e verdade. In: Crítica de cinema no suplemento literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981f. v. 1, p. 379-383.

GOMES, Paulo Emilio Sales. O homem Eisenstein. In: Crítica de cinema no suplemento literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981g. v. 1, p. 227-232.

GOMES, Paulo Emilio Sales. O pensamento de Eisenstein. In: Crítica de cinema no suplemento literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981h. v. 1, p. 233-237.

GOMES, Paulo Emilio. Sales. O poder do cinema: um mito? In: Crítica de cinema no suplemento literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981i. p. 388-392.

GOMES, Paulo Emilio Sales. Os amantes ultrajados (I). In: Crítica de cinema no suplemento literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981j. v. 2, p. 161-165.

GOMES, Paulo Emilio Sales. Os festivais de cinema de 1949. Ladri di Biciclette. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 18 fev. de 1950.

GOMES, Paulo Emilio Sales. Veneza 52. Seleções anglo-saxônica e oriental. Anhembi, ano III, v. 9, n. 26, p. 392-399, jan. 1953.

LUCAS, Fábio. Sobre a crítica do cinema. In: MIRANDA, Marcelo; CICCARINI, Rafael (org.). Revista de cinema: antologia. Rio de Janeiro: Azougue, 2014. p. 205-209.

LUCAS, Meize Regina de Lucena. Ver, ler e escrever; a imprensa e a construção da imagem no cinema brasileiro da década de 1950. Revista brasileira de história, São Paulo, v. 28, n. 55, p. 19-40, 2008.

MAINGUENEAU. Dominique. Novas tendências em Análise do discurso. Campinas: Martins Fontes, 1997.

MORAES, Dênis de. O imaginário vigiado: a imprensa comunista e o realismo socialista no Brasil (1947-53). Rio de Janeiro: José Olympio, 1994.

MORIN, Edgar. Cultura de massas no século XX. 9. ed. Tradução de Maura Ribeiro Sardinha. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997. (Neurose, v. 1).

O ESTADO DE S. PAULO. São Paulo: Grupo Estado, 1875-.

ORTIZ, Renato. A Moderna tradição brasileira: cultura brasileira e indústria cultural. São Paulo: Brasiliense, 2001.

OTTONI, Décio Vieira. O cinema, a crítica e a bilheteria. Diário Carioca, 23 de outubro de 1952, p. 7.

PAIVA, Salvyano Cavalcanti de. Realismo: eis a solução! In: MIRANDA, Marcelo; CICCARINI, Rafael (org.). Revista de cinema: antologia. Rio de Janeiro: Azougue, 2014. v. 1, p. 155-167.

PINHEIRO FILHO, Fernando Antonio. Lasar Segall: arte em sociedade. São Paulo: Cosac Naify: Museu Lasar Segall, 2008.

PONTES, Heloísa. Destinos mistos: os críticos do Grupo Clima em São Paulo (1940-68). São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

PRADO, Décio de Almeida. Paulo Emilio quando jovem. In: CALIL, Carlos Augusto; Machado, Maria Teresa (org.). Paulo Emilio: Um intelectual na linha de frente. São Paulo: Brasiliense; Rio de Janeiro: Embrafilme, 1986. p. 15-26.

RAMOS, José Mário Ortiz Cinema, Estado e lutas culturais (anos 50/60;70). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

RENATO, Sérgio. Bráulio Pedroso: audácia inovadora. São Paulo: Imprensa Oficial, 2010.

REVISTA DE CINEMA. Minas Gerais: [s. n.], 1954-1957 / 1961-1964.

RIDENTI, Marcelo. Brasilidade Revolucionária: um século de cultura e política. São Paulo: Editora UNESP, 2010.

ROCHA, Glauber. Revolução do Cinema Novo. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

ROSENFELD, Anatol. Cinema: arte e cultura. Pesquisa e coordenação Nanci Fernandes. São Paulo: Editora Perspectiva, 2009.

ROSENFELD, Anatol. Na Cinelândia paulistana. Organização, introdução e notas Nanci Fernandes. São Paulo: Editora Perspectiva, 2002.

SALEM, Helena. Nelson Pereira dos Santos: o sonho possível do cinema brasileiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1987.

SALLES, Francisco Luiz de Almeida. Cinema e verdade: Marilyn, Buñuel, etc. por um escritor de verdade. Organização de Flora Cristina Bender e Ilka Bruhilde Laurito. São Paulo: Cinemateca Brasileira; Rio de Janeiro: Fundação do Cinema Brasileiro, 1988.

SALLES, Fritz Teixeira de. Conteúdo e forma no cinema (parte 2). In: MIRANDA, Marcelo; CICCARINI, Rafael (org.). Revista de cinema: antologia. Rio de Janeiro: Azougue, 2014. p. 145-154.

SAMPAIO, Helena. Evolução do ensino superior brasileiro (1808-1990). Documento de Trabalho 8/91. São Paulo: Núcleo de Pesquisa sobre Ensino Superior da Universidade de São Paulo, 1991.

SCHWARZ, Roberto. A imaginação como elemento político. In: CALIL, Carlos Augusto; Machado, Maria Teresa (org.). Paulo Emilio: Um intelectual na linha de frente. São Paulo: Brasiliense; Rio de Janeiro: Embrafilme, 1986.

SOUZA, José Inácio de Melo. Paulo Emílio no Paraíso. Rio de Janeiro: Record, 2002.

SOUZA, Miliandre Garcia. Do teatro militante à música engajada: a experiência do CPC da UNE (1958-1964). São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2007.

STAIGER, Janet. Interpreting films: studies in the historical reception of american cinema. New Jersey: Princeton, 1992.

UCHÔA, F. R. O Seminário de Cinema do MASP e a produção documental de Ozualdo Candeias (1955-66). Revista FAMECOS, Porto Alegre, v. 24, n. 2, 2017.

VIANY, Alex. A função do crítico de cinema. Fundamentos: Revista de cultura moderna, São Paulo, ano IV, n. 25, p. 27-29, fev. 1952.

VIANY, Alex. O realismo socialista no cinema e a revisão do método crítico In: MIRANDA, Marcelo; CICCARINI, Rafael (org.). Revista de cinema: antologia. Rio de Janeiro: Azougue, 2014. v. 1, p. 103-114.

XAVIER, Ismail. Sétima arte: um culto moderno. São Paulo: Perspectiva, 1978.

ZANATTO, Rafael Morato. Linguagem, estilo e expressão social: Paulo Emílio Sales Gomes em trans-form-ação (1946-53). In: ALMEIDA, Thiago; XAVIER, Nayara (org.). Paulo Emílio: legado crítico. São Paulo: Pró-reitoria de Cultua e Extensão Universitária – USP: Cinemateca Brasileira, 2017.

Publicado
2022-05-02
Como Citar
Turibio, T. (2022). Paulo Emilio Sales Gomes entre seus contemporâneos (1954-1960). Revista FAMECOS, 29(1), e41025. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2022.1.41025