Cinema, entretenimento e consumo: uma história de amor

  • Patrícia Burrowes Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Marketing, entretenimento, ficção

Resumo

Aponto, neste artigo, a presença do marketing em produções culturais desde a primeira indústria do cinema, até os atuais ARG - Alternate Reality Games -, tentando acompanhar  os  deslizamentos  que  ocorrem  nessa  presença  ao longo do tempo. Procuro observar o  modo como a complexa relação entre realidade e ficção serve ao propósito de vender bens, serviços e idéias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Burrowes, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O país dos briquedos. Reflexões sobre história e sobre o jogo. In: Infância e história: destruição da experiência e origem da história. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

BURROWES, Patrícia. Prontoparaoconsumo. In: CAIAFA, J. e ELHAJJI, M. (orgs): Comunicação e sociabilidade: cenários contemporâneos. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

______. Viagem ao território da publicidade. In: Comunicação, mídia e consumo. São Paulo, ESPM, v. 2, n. 5, nov. 2005.

CREAMER, Matthew. Bud’s walled beer garden: a review of Bud.tv. In: Advertising Age, 12 fev. 2007.

DELEUZE, Gilles. Post-Scriptum sobre as sociedades de controle. In: Conversções, 1972-1990. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

EPSTEIN, Edward Jay. Have you ever tried to sell a diamond?. In: The Atlantic monthly. 1982. Disponível em: http://www.theatlantic.com/doc/198202/diamond Acesso em: 4 abr. 2007.

FERREIRA GOMES, Renata C. L. O design da narrativa como simulação imersiva. In: LEMOS, A., BERGER, C. e BARBOSA, M. Livro da XIV Compós, 2005: Narrativas midiáticas contemporâneas. Porto Alegre: Sulina, 2006.

FOUCAULT, Michel. Ceci n’est pas une pipe. Paris: Scholies/Fata Morgana, 1973.

GUATTARI, Felix. Caosmose: um novo paradigma estético.São Paulo: Ed. 34, 1992.

KELLER, Alexandra. Disseminações da modernidade: representação e desejo do consumidor nos primeiros catálogos de venda por correspondência.” In: CHARNEY L.e SCHWARTZ, V. O cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

MACHADO, Arlindo. Apresentação. In: DUBOIS, P. Cinema, vídeo, Godard. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.

McGONIGAL, J.’This is not a game’: Immersive aesthetics and collective play. Melbourne DAC 2003. Disponível em: http://www.seanstuart.org/beast/mcgonigal/notagame/paper.pdf Acesso em: 14 abr. 2007.

MORIN, Edgar. As estrelas: mito e sedução no cinema. Rio de Janeiro: José Olímpio, 1989.

ROJAS, Peter. A conspiracy of conspiracy gamers. In: Wired, September, 2001. http://www.wired.com/print/culture/lifestyle/news/2001/09/46672 Acesso em: 13 set. 2007.

SODRÉ, Muniz. Antropológica do espelho: uma teoria da comunicação linear e em rede. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2002.

STUART, Sean. The A.I. Web Game. Disponível em: http://seanstuart.org/beast/intro Acesso em: 17 abr. 2007.

Publicado
2008-09-13
Como Citar
Burrowes, P. (2008). Cinema, entretenimento e consumo: uma história de amor. Revista FAMECOS, 15(35), 44-50. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2008.35.4092
Seção
Espetáculo Midiático