As fontes populares na cobertura sobre segurança da CBN Rio

Palavras-chave: Fontes, Rádio expandido, Radiojornalismo, Segurança, Cidadão comum

Resumo

O artigo realiza uma análise sobre a interação com os ouvintes no radiojornalismo da CBN Rio do Janeiro na temática de segurança e como o cidadão comum é selecionado a partir da complexificação da ideia de fonte popular para o noticiário local. Utiliza-se a perspectiva multimetodológica com a coleta dos áudios do programa ao longo de uma semana ao lado de uma observação sistemática e de entrevistas com os profissionais da emissora com foco na forma de confiabilidade exercida e os valores compartilhados pelos jornalistas na escolha das vozes. Diferencia os conceitos de interação, acesso e participação, bem como as variáveis que levam à ausência do cidadão comum, mesmo com acesso a plataformas oriundas da cultura digital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luãn José Vaz Chagas, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, MT, Brasil.

Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), no Rio de Janeiro, RJ, Brasil; professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM) e da Faculdade de Comunicação e Artes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Cuiabá, MT, Brasil.

Referências

ALSINA, Miquel Rodrigo. A construção da Notícia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

BARBOSA, Thiago. Entrevista realizada no dia 13 de agosto de 2018. Rio de Janeiro, 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BERGER, P. L., LUCKMANN, T. Modernidade, pluralismo e crise de sentido: a orientação do homem moderno. Petrópolis: Vozes, 2004.

BRUNS, Axel. Gatekeeping, Gatewatching, Realimentação em Tempo Real: novos desafios para o Jornalismo. Brazilian Journalism Research. v. 7, n. 2, 2011.

CARPENTIER, Nico. Participation and Interactivity: Changing Perspectives. The Construction of an Integrated Model on Access, Interaction and Participation. In: V. NIGHTINGALE; T. DWYER (eds.), New Media Worlds. Challenges for Convergence. Melbourne, Oxford University Press, p. 214-230, 2007.

CARPENTIER, Nico. The concept of participation. If they have acess and interact, do they really participate? Revista Fronteiras – Estudos Midiáticos, vol. 14, n° 2, maio/agosto de 2012.

CASCARDO, Rafaela. Entrevista realizada no dia 18 de agosto de 2018. Rio de Janeiro, 2018.

CHAGAS, L. J. V.. A seleção das fontes via WhatsApp no BandNews Rio, 1ª edição, e os conceitos de participação, interação e acesso. Novos Olhares, v. 7, p. 53-63, 2018b.

CHAGAS, Luãn J. V.. Gatewatching and Collective Curation: Selecting Popular Radio Journalism Sources at Bandnews Rio FM. Brazilian Journalism Research, v. 14, p. 900-917, 2018a.

CHAPARRO, Manuel Carlos. Pragmática do jornalismo: buscas práticas para uma teoria da ação jornalística. São Paulo: Summus Editorial, 1994.

DE KEYSER, Jeroen; RAEYMAECKERS, Karin; PAULUSSEN, Steve. Are Citizens Becoming Sources? A Look into the Professional Contacts of Flemish Journalists. . In: FRANKLIN, Bob; CARLSON, Matt (org.). Journalists, sources and credibility. Londres: Routledge, 2011.

ELÍAS, Carlos. Adaptación de la metodología de “observación participante” al estudio de los gabinetes de prensa como fuentes periodísticas. Madrid: Empiria, Revista de Metodología de Ciencias Sociales, n. 6, 2003.

FRANKLIN, Bob. Sources, credibility and the continuing crisis of UK journalism. In: FRANKLIN, Bob; CARLSON, Matt (org.). Journalists, sources and credibility. Londres: Routledge, 2011.

GANS, Herbert J. Deciding what's news: a study of CBS Evening News, NBC Nightly News, Newsweek and Time. New York: Vintage, 1980.

GASKEL, G. Entrevistas individuais e grupais. In: BAUER, M. W.; GASKEL, G. (orgs.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Tradução de Pedrinho A. Guarechi. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HALL, Stuart et al. (1999). A produção social das notícias: o mugging nos mídia. In: TRAQUINA, Nelson (Org.). Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1999.

HERSCOVITZ, Heloiza Golbspan. Análise de Conteúdo em Jornalismo. In: LAGO, Cláudia e BENEETTI, Márcia. (Orgs.). Metodologia de Pesquisa em Jornalismo. Petrópolis: Editora Vozes, 2007.

KISCHINHEVSKY, Marcelo. Métodos de pesquisa qualitativa aplicada à comunicação radiofônica. In: MOURA, Cláudia Peixoto de; LOPES, Maria Immacolata Vassallo de (orgs.). Pesquisa em Comunicação: metodologias e práticas acadêmicas. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2016b.

KISCHINHEVSKY, Marcelo. Rádio e mídias sociais: mediações e interações radiofônicas em plataformas digitais de comunicação. Rio de Janeiro: Mauad X, 2016a.

KISCHINHEVSKY, Marcelo; CHAGAS, Luãn. Diversidade não é igual a pluralidade – Proposta de categorização das fontes no radiojornalismo. Galáxia. Revista do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica, v. 1, n. 36, dez. 2017.

LOPEZ, Débora Cristina. Radiojornalismo hipermidiático: tendências e perspectivas do jornalismo de rádio all news brasileiro em um contexto de convergência tecnológica. Covilhã: UBI/LabCom Books, 2010.

MANNING, Paul. News and News Sources: A Critical Introduction. Londres: Sage, 2001.

MEDITSCH, Eduardo. O Rádio na Era da Informação – Teoria e técnica do novo radiojornalismo. Florianópolis: Insular, 2001.

MOLOTCH, Harvey; LESTER, Marilyn. A notícia como procedimento intencional: acerca do uso estratégico de acontecimentos de rotina, acidentes e escândalos. In: TRAQUINA, Nelson (Org.). Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1999.

NEVEU, Érick. Sociologia do jornalismo. São Paulo: Loyola, 2006.

O’NEILL, Deirdre; O’CONNOR, Catherine. The passive journalist: how sources dominate local news. Londres: Journalism Practice, v. 2, n. 3, 2008.

PATHERSON, C. Why ethnography? In: PATHERSON, C.; DOMINGO, D. (orgs.). Making online news: the ethnography of new media production. New York: Peter Lang, 2008.

PINTO, Manuel. Fontes jornalísticas: contributos para o mapeamento do campo. In Comunicação e Sociedade. Braga: Vol. 14 (1-2), p. 277-294, Universidade do Minho, 2000.

PORTO, Ricardo. Entrevista realizada no dia 17 de agosto de 2018. Rio de Janeiro, 2018.

REICH, Zvi. Source Credibility as a Journalistic Work Tool. In: FRANKLIN, Bob; CARLSON, Matt (org.). Journalists, sources and credibility. Londres: Routledge, 2011.

REICH, Zvi. Why citizens still rarely serve as news sources: validating a tripartite model of circumstantial, logistical, and evaluative barriers. International Journal of Communication, vol. 9, 2015.

RODRIGUES, Rute Imanishi; ARMSTRONG, Karolina. A Intervenção Federal no Rio de Janeiro e as organizações da sociedade civil. Rio de Janeiro: Ipea – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 2019.

SANT’ANNA, Francisco. Mídia das fontes: um novo ator no cenário jornalístico brasileiro: um olhar sobre a ação midiática do Senado Federal. Brasília: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 2009.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora USP, 2006.

SANTOS, Bianca. Entrevista realizada no dia 17 de agosto de 2018. Rio de Janeiro, 2018.

SCHMITZ, Aldo A. Fontes de notícias: ações e estratégias das fontes no jornalismo. Florianópolis: Combook, 2011.

SHOEMAKER, Pamela J., VOS, Tim P.. Teoria do gatekeeping: seleção e construção da notícia. Porto Alegre: Editora Penso, 2011.

SOLEY, L. W.. The news shapers: the sources who explain the news. New York: Praeger Publishers, 1992.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do jornalismo: Porque as notícias são como são. Vol. 1. Florianópolis: Insular, 2005.

TRIVIÑOS, Augusto N. S.. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Editora Atlas, 1987.

Publicado
2021-01-07
Como Citar
Chagas, L. J. V. (2021). As fontes populares na cobertura sobre segurança da CBN Rio. Revista FAMECOS, 27, e38273. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2020.1.38273
Seção
Jornalismo