O dispositivo confessional no documentário e os seus efeitos

Palavras-chave: Dispositivo confessional, Identidade e subjetividade, Documentário brasileiro, Performance confessional

Resumo

O artigo aborda o ato da confissão em filmes e vídeos documentários. Trata-se de um falar de si para dispositivos de gravação de imagem e som, em uma relação dúbia de espelho e janela. Refletimos sobre as várias formas de ativação e atualização desses recursos, voltadas para as construções de identidades e de subjetividades, ensejadas por relações de conhecimento e de poder. O texto inspeciona algumas dessas formas em documentários brasileiros e destaca o sentido da performance confessional, como aspecto dominante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gilberto Alexandre Sobrinho, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil.

Doutor em Comunicação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), em Campinas, SP, Brasil; professor do Departamento de Multimeios, Mídia e Comunicação, no Instituto de Artes, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), em Campinas, SP, Brasil.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é um dispositivo?. Outra travessia, Florianópolis, v. 01, n. 05, p. 9-16, 2005.

AGOSTINHO, Santo. Confissões: De magistro (Do Mestre). 4. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

ATWELL, Lee. Word is Out and Gay U.S.A. In: ROSENTHAL, Alan; CORNER, John (org.). New Challenges for documentary. Manchester: Manchester University Press, 2005. p. 220-229.

AUMONT, Jacques. A imagem. 7. ed. Campinas: Papirus, 2002.

BRUZZI, Stella. New documentary. Londres: Routledge, 2006. https://doi.org/10.4324/9780203967386.

BUTLER, Judith. Relatar a si mesmo: Crítica da violência ética. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: A vontade de saber. 17. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

NAGIB, Lúcia. O Cinema da Retomada: Depoimentos de 90 Cineastas dos anos 90. São Paulo: Editora 34, 2002.

NICHOLS, Bill. La representación de la realidade: Cuestiones y conceptos sobre el documental. Barcelona: Paidós, 1991.

NICHOLS, Bill. A voz do documentário. In: RAMOS, Fernão (org.). Teoria contemporânea do cinema. São Paulo: SENAC, 2005. v. 2.

NICHOLS, Bill. Blurred Boundaries: questions of meaning in contemporary culture. Bloomington: Indiana University Press, 1994.

NICHOLS, Bill. Speaking Truths with Film: Evidence, Ethics, Politics in Documentary. Berkeley: University of California Press, 2016. https://doi.org/10.1525/9780520964587.

RAMOS, Fernão. Mas afinal... O que é mesmo documentário. São Paulo: SENAC, 2008.

RENOV, Michael. Video Confessions. In: RENOV, Michael; SUDERBUR, Erika. Resolutions: Contemporary video practices. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1996. p. 78-101.

SACRAMENTO, Igor. Depois da revolução, a televisão: Cineastas de esquerda no jornalismo televisivo dos anos 1990. São Carlos: Pedro & João Editores, 2011.

SARKAR, Bhasar, WALKER, Janet. (org.). Documentary Testimonies: Global Arquives of Suffering. Nova Iorque e Londres: Routledge, 2010. https://doi.org/10.4324/9780203883419

SCHECHNER, Richard. Performance Studies: An Introduction. Londres: Routledge, 2002.

XAVIER, Ismail. O cinema brasileiro moderno. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

Publicado
2020-12-22
Como Citar
Sobrinho, G. A. (2020). O dispositivo confessional no documentário e os seus efeitos. Revista FAMECOS, 27, e37567. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2020.1.37567
Seção
Audiovisual