Proximidade e espaços televisivos no telejornalismo regional

O caso do MG1 Zona da Mata

Palavras-chave: Proximidade, MG1, Telejornalismo regional

Resumo

O artigo reflete e problematiza as perspectivas teóricas que se propõem a organizar e a conceituar os jornalismos locais e regionais, como as oriundas da Geografia, da Comunicação e da Sociologia. A noção de proximidade é discutida enquanto uma relação entre o usuário e os espaços televisivos de noticiários regionais. Com o intuito de refletir sobre sua aplicação na empiria, são desenvolvidos quatro operadores analíticos: canais de participação, espaço cênico, editorias/temáticas e retórica da transmissão direta. A análise foi realizada por meio da visualização de 12 edições do Praça 1 MG1 da TV Integração Zona da Mata e Campo das Vertentes de Minas Gerais. Foi identificado que a performance dos jornalistas, a organização das editorias, o efeito de presente constante e a inclusão de valores culturais que perpassam pela sociedade atuam como demarcadores simbólicos nas relações de proximidade do telejornal regional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Tarcísio Oliveira Filho, Universidade Federal de Roraima (UFRR), Boa Vista, RR, Brasil.

Doutor em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, MG, Brasil. Professor do Curso de Comunicação Social/Jornalismo da Universidade Federal de Roraima (UFRR), em Boa Vista, RR, Brasil.

Referências

AGUIAR, Sônia. Territórios do Jornalismo: geografias da mídia local e regional no Brasil. Petrópolis: Vozes/Editora PUC Rio, 2016.

CAMPONEZ, Carlos. Jornalismo de proximidade. Coimbra: Minerva, 2002.

CANNITO, Newton. A televisão na era digital: interatividade, convergência e novos modelos de negócio. São Paulo: Summus, 2010.

CASTELLS, Manuel. The power of identity. Chichester: Blackwell Publishing, 2010.

ECO, Umberto. Tevê: a transparência perdida. In: ECO, Umberto. Viagem na irrealidade cotidiana. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984. p. 182-204.

FECHINE, Yvana. O estatuto semiótico do tempo nas transmissões diretas do telejornalismo. In: FRANÇA, Vera; WEBER, Maria Helena; PAIVA, Raquel; SOVIK, Liv (org.). Livro do XI Compós: Estudos de Comunicação ensaios de complexidade. Porto Alegre: Sulina, 2003. p. 442-464.

FECHINE, Yvana. Televisão e Presença – uma abordagem semiótica da transmissão direta. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2008.

FONTCUBERTA, Mar. Temário. In: FONTCUBERTA, Mar; BORRAT, Héctor. Periódicos: sistemas complejos, narradores en interacción. Buenos Aires: La Crujía ediciones, 2006.

GLOBO. TV Integração Juiz de Fora. Disponível em: https://negocios8.redeglobo.com.br/Paginas/Exibidoras.aspx?e=91. Acesso em: 16 dez. 2019.

GOLDING, Peter; ELLIOT, Philip. Making the news. London: Longman, 1979.

GOMES, Itania. Metodologia de Análise de Telejornalismo. In: GOMES, Itania (org.). Gênero televisivo e modo de endereçamento no telejornalismo. Salvador: EDUFBA, 2011. p. 17-48. https://doi.org/10.7476/9788523211998.

GUTMANN, Juliana. Formas do telejornal: um estudo das articulações entre valores jornalísticos e linguagem televisiva. 2010. 270 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura Contemporâneas) – Faculdade de Comunicação Social, UFBA, Salvador, 2012.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 12. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2015.

HESS, Kristy; WALLER, Lisa. Local journalism in a digital world. London: Palgrave, 2017. https://doi.org/10.1057/978-1-137-50478-4.

HILL, Annette. Restyling Factual TV. London/New York: Routledge, 2007. https://doi.org/10.4324/9780203099735.

LAGE, Nilson. Ideologia e técnica da notícia. 4. ed. Florianópolis: Insular, 2012.

LEAL, Bruno. Do corpo como texto: na mídia, na rua. Revista Fronteiras (UNISINOS), [s. l.], v. 8, n. 2, p. 144-151, 2006. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/fronteiras/article/view/6128. Acesso em: 21 nov. 2019.

LEAL, Bruno; VALLE, Flávio. O telejornalismo entre a paleo e a neotevê. Contemporanea, [s. l.], v. 6, n. 1, p. 1-13, 2008. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/contemporaneaposcom/article/view/3513. Acesso em: 12 out. 2019.

MARTINO, Luís Mauro. Teoria das Mídias Digitais: linguagens, ambientes e redes. Petrópolis: Vozes, 2015.

MG1 Zona da Mata e Campo das Vertentes. Globoplay [on-line]. Disponível em: https://globoplay.globo.com/v/7690436/programa/. Acesso em: 20 dez. 2019.

OLIVEIRA FILHO, José Tarcísio. Proximidade no telejornalismo local e regional: uma proposta de sistematização. Revista Fronteiras – estudos midiáticos, [s. l.], v. 21, n. 2, p. 102-115, 2019. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/fronteiras/article/view/fem.2019.212.10. Acesso em: 3 dez. 2019. https://doi.org/10.4013/fem.2019.212.10.

OLIVEIRA FILHO, José Tarcísio. Proximidade em programas televisivos: perspectivas no telejornalismo local e regional. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO (COMPÓS), 27., 2018, Belo Horizonte. Anais [...]. Belo Horizonte: Compós, 2018.

PERUZZO, Cicilia. Mídia regional e local: aspectos conceituais e tendências. Comunicação & Sociedade, São Bernardo do Campo, Póscom-Umesp, v. 26, n. 43, p. 67-84, 2005. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO/article/view/8637. Acesso em: 08 nov. 2019. https://doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v26n43p67-84.

SCOLARI, Carlos (org.). Ecología de los medios: entornos evoluciones e interpretaciones. Barcelona: Gedisa Editoral, 2015.

SILVA, Gislene. Para pensar critérios de noticiabilidade. Estudos em Jornalismo e Mídia, [s. l.], v.2, n. 1, p. 95-107, 2005. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/2091. Acesso em 27 ago. 2019.

SOUSA, Jorge Pedro de. Comunicação regional e local na Europa Ocidental: situação geral e os casos português e galego. Covilhã: UBI, 2012. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/sousa-jorge-pedro-comunicacao-regional-na-europa-ocidental.pdf. Acesso em: 07 jul. 2019.

VILAS BÔAS, Valéria. Contar não é o mesmo que viver: jornalismo e subjetividade na atuação do repórter na televisão brasileira contemporânea. 2018. 370 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura Contemporâneas) – Faculdade de Comunicação Social, UFBA, Salvador, 2018.

WILLIAMS, Reymond. Televisão: tecnologia e forma cultural. Tradução Márcio Serelle; Mário F. I. Viggiano. São Paulo: Boitempo Editorial, 2016. [Livro Digital].

Publicado
2021-01-07
Como Citar
Filho, J. T. O. (2021). Proximidade e espaços televisivos no telejornalismo regional: O caso do MG1 Zona da Mata. Revista FAMECOS, 27, e36733. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2020.1.36733
Seção
Jornalismo