Fansubbers brasileiros e suas políticas de mediação nas redes digitais

Palavras-chave: Capital subcultural, Mediação cultural, Fansubbers

Resumo

O artigo discute as práticas do fandom on-line de animês, com enfoque particular no circuito alimentado pelos fansubbers e seu sistema de colaboração, que consiste na tradução, legendagem e distribuição informal de produtos audiovisuais da Ásia oriental – geralmente animês – no universo das redes digitais. A partir de uma pesquisa com inspiração etnográfica com os agentes envolvidos na atividade de tradução e de distribuição desses produtos no Brasil, o texto apresenta as políticas ativas e plurais que norteiam a atividade colaborativa dos fansubbers locais e que, por sua vez, denunciam uma disputa por capital subcultural própria a esses fãs-produtores em suas comunidades on-line. Fundamentalmente, o artigo apresenta um contraponto à ideia da cultura de fãs de animês representada pelos fansubbers brasileiros como uma comunidade homogênea, com motivações e condutas em comum partilhadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Krystal Cortez Luz Urbano, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, RJ, Brasil.

Doutora em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense, com Mestrado em Comunicação pelo mesmo programa; professora da Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, RJ, Brasil; coordenadora adjunta do Grupo de Pesquisa em Mídia e Cultura Asiática Contemporânea (MidiÁsia).

Referências

ANNET, Sandra. Imagining Transcultural Fandom: Animation and Global Media Communities. Transcultural Studies, [s. l.], v. 2, n. 2, p. 164-188, dez. 2011.

BAYM, Nancy; BURNETT, Robert. Amateur Experts: International Fan Labor in Swedish Independent Music. International Journal of Cultural Studies, [s. l.], v. 12, n. 5, p. 433-449, 2009. https://doi.org/10.1177/1367877909337857

BOOTH, Paul. Digital Fandom: new media studies. New York: Peter Lang Publishing, 2010. https://doi.org/10.3726/978-1-4539-1654-4

BOURDIEU, Pierre. O mercado dos bens simbólicos. In: BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1974.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: critério social do julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2008.

CAMPANELLA, Bruno. O fã na cultura da divergência: hierarquia e disputa em uma comunidade on-line. Contemporânea: Revista de Comunicação e Cultura, Salvador, v. 10, n. 3, p. 474-489, 2012.

CAMPBELL, Colin. O consumidor artesão: cultura, artesania e consumo em uma sociedade pós-moderna. Antropolítica, Niterói, n. 17, v. 2, p. 45-67, 2004.

CHIN, Bertha; MORIMOTO, Lori Hitchcock Morimoto. Towards a Theory of Transcultural Fandom. Participations: Journal of Audience & Reception Studies, [s. l.], v. 10, n. 1, p. 92-108, 2013.

COOPER-CHEN, Anne. Cartoon planet: the cross-cultural acceptance of Japanese animation. Asian Journal of Communication, [s. l.], v. 22, n. 1, p. 44-57, 2012. https://doi.org/10.1080/01292986.2011.622774

ĆWIEK-ROGALSKA, Karolina; HOŁY-ŁUCZAJ, Magdalena; ŁUCZAJ, Kamil. Fansubbers. The case of the Czech Republic and Poland. Journal of Comparative Research in Anthropology and Sociology, [s. l.], v. 5, n. 2, p. 175-198, 2014.

DENISON, Rayna. Anime fandom and the liminal spaces between fan creativity and piracy. International Journal of Cultural Studies, [s. l.], v. 14, n. 5, p. 449-466, 2011. https://doi.org/10.1177/1367877910394565

DÍAZ-CINTAS, Jorge; MUÑOZ-SÁNCHEZ, Pablo. Fansubs: audiovisual translation in an amateur environment. The Journal of Specialised Translation, [s. l.], n. 6, p. 37-52, jul. 2006.

FERRER SIMÓ, María Rosario. Fansubs y scanlations: la influencia del aficionado en los criterios profesionales. Puentes, La Plata, AR, n. 6, p. 27-43, 2005.

FREIRE FILHO, João. Reinvenções da resistência juvenil: Os estudos culturais e as micropolíticas do cotidiano. Rio de Janeiro: Mauad, 2007.

IWABUCHI, Koichi. Recentering Globalization: Popular Culture and Japanese Transnationalism. London: Duke University Press, 2002. https://doi.org/10.1215/9780822384083

JENKINS, Henry. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2009.

JENKINS, Henry. When piracy becomes promotion: how unauthorized copying made Japanese animation profitable in the United States. Reason Online, dez. 2006. Não paginado.

JENKINS, Henry. Textual Poachers: Television Fans and Participatory Culture. New York: Routledge, 1992.

LAMARRE. Thomas. An introduction to Otaku Movement. Enter Text, [s. l.], v. 4, n. 1, p. 151-187, 2004.

LEE, Hye-Kyung. Cultural consumer and copyright. Creative Industries Journal, [s. l.], v. 3, n. 3, p. 235-250, 2010. https://doi.org/10.1386/cij.3.3.237_1

LEE, Hye-Kyung. Participatory media fandom: A case study of anime fansubbing. Media Culture Society, [s. l.], v. 33, n. 8. p. 1131-1147, 2011. https://doi.org/10.1177/0163443711418271

LEONARD, Sean. Progress against the law: anime and fandom, with the key to the globalization of culture. International Journal of Cultural Studies, [s. l.], v. 8, n. 3, p. 281-305, 2005. https://doi.org/10.1177/1367877905055679

LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. 2. ed. Tradução de Luiz Paulo Rouanet. São Paulo: Loyola, 1999a.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: editora 34, 1999b.

LUYTEN, Sonia Bibe. Cultura Pop Japonesa: mangá e anime. São Paulo: Hedra, 2005.

MONTE, Sandra. A presença do animê na TV brasileira. São Paulo: Ed. Laços, 2010.

MENDONÇA, Bruno Henrique Marques de. Modos de compartilhamento dos grupos de legendas: utilização das redes sociais e dos dispositivos da cultura digital para a produção de legendas artesanais. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Linguagens) - Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, 2014.

NAGADO, Alexandre. Almanaque da Cultura Pop Japonesa. Via Lettera, 2007.

NAPIER, Susan. From Impressionism to Anime: Japan as Fantasy and Fan Cult in the Mind of the West. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2007.

RONG, Zongxiao. Hybridity within peer production: The power negotiation of Chinese fansub groups. Dissertation (MSc in Media, Communication and Development) - Department of Media and Communications, London School of Economics and Political Science, 2014.

SATO, Cristiane A. Japop. O poder da cultura pop japonesa. São Paulo: NSP-Hakkosha, 2007.

SIGILIANO, Daiana; BORGES, Gabriela. Fansubbing: o diálogo entre a competência midiática e a produção dos fãs da ficção seriada. Animus: Revista Interamericana de Comunicação Midiática, Santa Maria, RS, v. 18, n. 38, p. 249-268, 2019. https://doi.org/10.5902/2175497736067

SPOLIDÓRIO, Samira M. Comunidades Online e Legendas de Fãs: Novas Formas de Produzir e Consumir Legendas. Campinas. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) - Instituto de Estudos da Linguagem (UNICAMP), Campinas, 2017.

THORNTON, Sarah. Club cultures: Music, media and subcultural capital. Connecticut: Wesleyan University Press, 1996.

URBANO, Krystal Cortez Luz. Legendar e distribuir: o fandom de animês e as políticas de mediação fansubber nas redes digitais. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Instituto de Arte e Comunicação Social, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2013.

VIRILIO, Paul. Velocidade e política. São Paulo, Estação Liberdade, 1996.

Publicado
2021-01-07
Como Citar
Urbano, K. C. L. (2021). Fansubbers brasileiros e suas políticas de mediação nas redes digitais. Revista FAMECOS, 27, e36716. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2020.1.36716
Seção
Cibercultura