O objeto, o método e a metodologia na pesquisa da circulação e midiatização (inferências a partir da obra Ethnographie de l’exposition)

Palavras-chave: Midiatização, Circulação, Epistemologia da comunicação

Resumo

Este artigo desenvolve reflexões a partir da obra intitulada Ethnographie de l’exposition (VERÓN; LEVASSEUR, 1989). Essa escolha tem como referência nossa percepção sobre a riqueza do objeto, do método e da metodologia explícitos e implícitos nesse estudo para se pensar a linhagem de pesquisa-midiatização e processos sociais. A partir de nossas hipóteses de partida (primeira parte deste artigo), apresentamos a obra, de forma sistemática (segunda parte). Na terceira parte, desenvolvemos um conjunto de inferências singulares, tentando nos apropriar dessa investigação como um caso – estudo sobre um meio singular –, para inferências epistemológicas e metodológicas na perspectiva da midiatização e da circulação. Finalmente, apontamos questões sobre a relação entre a abordagem semioantropológica de Verón e os conceitos de campos sociais e de habitus em Bourdieu (apontando o horizonte dessa investigação em curso).

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jairo Getúlio Ferreira, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), São Leopoldo, RS, Brasil.

Doutor em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, Brasil; Mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, Brasil; pós-doutor em comunicação pela Universidade Nacional de Rosário (UNR), em Rosário, Santa Fé, Argentina; professor titular do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Porto Alegre, RS, Brasil.

Referências

BOURDIEU, Pierre. Les rites comme actes d’institution. Actes de la recherche en sciences sociales, [S. l.], v. 43, p. 58-63, jun. 1982. Disponível em: https://www.persee.fr/doc/arss_0335-5322_1982_num_43_1_2159. Acesso em: 01 dez. 2019. https://doi.org/10.3406/arss.1982.2159

BOURDIEU, Pierre; DARBEL, Alain. L’amour de l’art: Les musées et leur public. Paris: Editions de Minuit, 1966.

BOURDIEU, Pierre. La distinción: criterios y bases sociales del gusto. 2. ed. Madrid: Taurus, 2000.

FAUSTO NETO, Antonio. Fragmentos de uma “analítica” da midiatização. Matrizes, São Paulo, v. 1, p. 89-105, 2008. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/matrizes/article/view/38194. Acesso em: 01 dez. 2019. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v1i2p89-105

FERREIRA, Jairo. Uma abordagem triádica dos dispositivos midiáticos. Líbero (FACASPER), São Paulo, v. 1, p. 1-15, 2006.

FERREIRA, Jairo. Midiatização: dispositivos, processos sociais e de comunicação. E-Compós, Brasília, v. 10, p. 1-15, 2007. https://doi.org/10.30962/ec.v10i0.196

FERREIRA, Jairo. O caso como referência do método: possibilidade de integração dialética do silogismo para pensar a pesquisa empírica em comunicação. InTexto, Porto Alegre, v. 27, p. 161-172, 2012.

FERREIRA, Jairo. Uncertainty and indeterminacy in Brazilian social and media formation: references to think of the problem of recognition in the public space. ESSACHESS - Journal for Communication Studies, [S. l.], v. 10, p. 269-287, 2017.

FERREIRA, Jairo. Meios, dispositivos e médium: genealogia e prospecções na perspectiva da midiatização. In: FERREIRA, Jairo; ROSA, Ana Paula; BRAGA, José Luiz; FAUSTO NETO, Antônio; GOMES, Pedro Gilberto. (org.). Entre o que se diz e o que se pensa: onde está a midiatização?. Santa Maria: FACOS-UFSM, 2018. V. 1. p. 283-298.

GOMES, Pedro Gilberto. Dos meios à midiatização: um conceito em evolução. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2017.

LACEY, Hugh. Pluralismo metodológico, incomensurabilidade e o status científico do conhecimento tradicional. Scientiæ Studia, São Paulo, v. 10, n. 3, p. 425-53, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1678-31662012000300002&script=scriptsci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 01 dez. 2019. https://doi.org/10.1590/S1678-31662012000300002

LAHIRE, Bernard. O homem plural. Petrópolis: Vozes, 2002. Disponível em: https://pt.slideshare.net/lolanascimento315/homem-pluralosdeterminantesdaacao. Acesso em: 01 dez. 2019.

MARIANI-ROUSSET, Sophie. Espace public et publics d’expositions: Les parcours: une affaire à suivre. In: GROSJEAN, Michèle; THIBAUD, Jean Paul (org.). L’espace urbain en méthodes. Marseille: Parenthèses, 2008. Disponível em: http://www.siclone.org/articles/espace-public.pdf. Acesso em: 01 dez. 2019.

MARX, Karl. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858. São Paulo: Boitempo, 2011.

MIÈGE, Bernard; FERREIRA, Jairo; FAUSTO NETO, Antonio; AQUINO BITTENCOURT, Maria Clara J. (org.). Operações de midiatização: das máscaras da convergência às críticas ao tecno-determinismo. Santa Maria: FACOS-UFSM, 2016. Disponível em : https://www.midiaticom.org/operacoes-de-midiatizacao-miege/. Acesso em: 01 dez. 2019.

HJARVARD, Stig. Da Mediação à Midiatização: a institucionalização das novas mídias. Revista Parágrafo, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 51-62, 2015. Disponível em: http://revistaseletronicas.fiamfaam.br/index.php/recicofi/article/view/331. Acesso em: 01 dez. 2019.

VERÓN, Eliseo. La semiosis social 2: Ideas, momentos, interpretantes. Buenos Aires: Paidós, Planeta, 2013.

VERÓN, Eliseo; LEVASSEUR, Martine. Ethnographie de l’exposition: l’espace, le corps et le sens. Paris: Centre Georges Pompidou, 1989.

VERÓN, Eliseo. Teoria da midiatização: uma perspectiva semioantropológica e algumas de suas consequências. Matrizes, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 13-19, jan./jun. 2014. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/matrizes/article/view/82928. Acesso em: 01 dez. 2019.

Publicado
2020-11-13
Como Citar
Ferreira, J. G. (2020). O objeto, o método e a metodologia na pesquisa da circulação e midiatização (inferências a partir da obra Ethnographie de l’exposition). Revista FAMECOS, 27, e36636. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2020.1.36636
Seção
Pensamento Midiático Comunicacional