Notas sobre o documentário contemporâneo

Palavras-chave: Ensaio fílmico, Dispositivo, Filmes em primeira pessoa

Resumo

Neste artigo, apresento um panorama da produção contemporânea do documentário, ressaltando a sua complexidade e destacando algumas das suas tendências mais instigantes, a exemplo da proliferação dos dispositivos, da emergência dos filmes em primeira pessoa, da consagração do ensaio e da retomada dos arquivos com fins de ressignificação. No entanto, apesar do esforço analítico, é preciso lembrar que uma das características do documentário, na contemporaneidade, se refere à complexidade das práticas fílmicas que, não raro, conjugam diferentes procedimentos numa única obra, o que nos impede de investir em classificações rigorosas. Portanto, o texto se apresenta, prioritariamente, como um mapeamento e exploração desse campo artístico em sua multiplicidade, mas sem propósitos conclusivos ou assertivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laécio Ricardo de Aquino Rodrigues, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, PE

Doutor em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em Campinas, SP, Brasil; professor do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em Recife, PE, Brasil.

Referências

ADORNO, Theodor. O ensaio como forma. In: ADORNO, Theodor. Notas de literatura I. São Paulo: Editora 34, 2003.

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? E outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.

ARTIÈRES, Philippe. Arquivar a própria vida. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n. 21, 1998. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2061. Acesso em: 15 set. 2019.

ASTRUC, Alexandre. Nascimento de uma nova vanguarda: A “câmera-stylo”. In: OLIVEIRA, Luís Miguel (org.) Nouvelle vague. Catálogo da Cinemateca Portuguesa: Ciência gráfica, 1999.

BERNARDET, Jean Claude. Cineastas e imagens do povo. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

BERNARDET, Jean Claude. A migração das imagens. In: Teixeira, Francisco Elinaldo. (org.) Documentário no Brasil: Tradição e transformação. São Paulo: Summus, 2004.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. 8. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 2012.

BENJAMIN, Walter. Baudelaire e a modernidade. Belo Horizonte: Autêntica editora, 2017.

BENSE, Max. O ensaio e sua prosa. Revista Serrote, [s. l.], n. 16, 2014. Disponível em: https://www.revistaserrote.com.br/2014/04/o-ensaio-e-sua-prosa/. Acesso em: 14 set. 2019.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína (org.) Usos & abusos da história oral. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1996.

BRASIL, André. Formas do antecampo: performatividade no documentário brasileiro contemporâneo. Revista Famecos, Porto Alegre, v. 20, n. 3, p. 578-602, set./dez. 2013. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/viewArticle/14512. Acesso em: 5 set. 2019. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2013.3.14512.

COMOLLI, Jean-Louis. Ver e poder – A inocência perdida: cinema, televisão, ficção, documentário. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

COMOLLI, Jean-Louis; LINDEPERG, Sylvie. Imagens de arquivos: imbricamento de olhares. Entrevista com Sylvie Lindeperg. Catálogo do forumdoc. Belo Horizonte: Filmes de Quintal/FAFICH-UFMG, 2010. https://doi.org/10.14409/ccd.v1i4.3981.

CORRIGAN, Timothy. O filme-ensaio: desde Montaigne e depois de Marker. Campinas: Papirus, 2015.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Imagens apesar de tudo. Lisboa: KKYM, 2012.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Diante do tempo. Belo Horizonte: EDUFMG, 2015.

FARGE, Arlette. O sabor do arquivo. São Paulo: Edusp, 2009.

FELDMAN, Ilana. “Um filme de”: dinâmicas de inclusão do olhar do outro na cena documental. Revista Devires, Belo Horizonte, v. 9, n. 1, p. 50-65, out. 2012. Disponível em: http://www.fafich.ufmg.br/~devires/v9n1/download/03-ilana.pdf. Acesso em: 16 ago. 2019.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas “estados da arte”. Educação & Sociedade, [s. l.], ano XXIII, n. 79, p. 257-272, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v23n79/10857.pdf. Acesso em: 30 jul. 2019. https://doi.org/10.1590/S0101-73302002000300013.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. 26. ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

LINDEPERG, Sylvie. O destino singular das imagens de arquivo. Revista Devires, Belo Horizonte, v. 12, n. 1, p. 12-27, ago. 2015. Disponível em: http://www.fafich.ufmg.br/devires/index.php/Devires/article/view/342. Acesso em: 12 jun. 2019.

MESQUITA, Cláudia. Retratos em diálogo: notas sobre o documentário brasileiro recente. Novos Estudos, São Paulo, 86. ed., v. 29, n. 1, p. 104-118, mar. 2010. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-33002010000100006. Acesso em: 12 ago. 2019. https://doi.org/10.1590/S0101-33002010000100006.

MIGLIORIN, Cezar. Eu sou aquele que está de saída: dispositivo, experiência e biopolítica no documentário contemporâneo. 2008. 292 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura) – Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2008.

RASCAROLI, Laura. How the essay film thinks. Nova York: Oxford University Press, 2017. https://doi.org/10.1093/acprof:oso/9780190238247.001.0001.

RASCAROLI, Laura. The personal camera: subjective cinema and the essay film. Nova York: Wallflower Press, 2009.

RENOV, Michael. The subject of documentary. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2004.

RODRIGUES, Laécio Ricardo de Aquino. Notas sobre o dispositivo no documentário contemporâneo. Galáxia. São Paulo, n. 30, p. 138-148, dez. 2015. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/galaxia/article/view/20160. Acesso em: 18 maio 2019.

RODRIGUES, Laécio Ricardo de Aquino. Uma vocação chamada documentário. In: RICARDO, Laécio; FERRAZ, Txai; VIDAL, Thais (org.). Cinema e universidade: diferentes convergências. Recife: EDUFPE, 2017. Disponível em: http://www.movfestival.com/2017/pt/ebook/. https://doi.org/10.1590/1982-25542015220160.

SIBILIA, Paula. O show do eu: a intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

SOUTO, Mariana. O direto interno, o dispositivo de infiltração e a mise-en-scène do amador – notas sobre Pacific e Doméstica. Revista Devires, Belo Horizonte, v. 9, n. 1, p. 66-85, 2012. Disponível em: http://www.fafich.ufmg.br/~devires/v9n1/download/04-mariana.pdf. Acesso em: 18 maio 2019.

TEIXEIRA, Francisco Elinaldo (org.). O ensaio no cinema. São Paulo: Hucitec, 2015.

TEIXEIRA, Francisco Elinaldo. Cinemas não narrativos: experimental e documentário – passagens. São Paulo: Alameda, 2012.

WEINRICHTER, Antonio (org.). La forma que piensa. Tentativas en torno al cine-ensayo. Fondo de Publicaciones del Gobierno de Navarra, 2007. Disponível em: http://mpison.webs.upv.es/ensayo_audiovisual/archivos/la_forma_que_piensa.pdf. Acesso em: 7 nov. 2018.

Publicado
2020-09-17
Como Citar
de Aquino Rodrigues, L. R. (2020). Notas sobre o documentário contemporâneo. Revista FAMECOS, 27, e35896. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2020.1.35896
Seção
Audiovisual