Webjornalismo participativo: repensando algumas questões técnicas e teóricas

  • Virginia Fonseca Antonine Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Cristiane Lindemann Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Internet, jornalismo, webjornalismo participativo

Resumo

O advento das tecnologias digitais e da rede mundial de computadores resultou em um novo suporte midiático, que vem trazendo modificações significativas ao campo da comunicação. Um exemplo recente é o jornalismo participativo na Internet, que possibilita a qualquer cidadão transformar-se em produtor de notícias. Neste artigo, procura-se refletir sobre essa prática à luz das teorias, conceitos e ideais do jornalismo tradicional, a fim de identificar mudanças, adaptações ou rupturas entre um e outro modo de produção e circulação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Virginia Fonseca Antonine, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Professora da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Cristiane Lindemann, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Mestranda Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Referências

BARROS FILHO, Clóvis de. Ética na comunicação: da informação ao receptor. Colaborador: Pedro Lozano Bartolozzi. São Paulo: Moderna, 1995.

BRAMBILLA, Ana Maria. Jornalismo open source: discussão e experimentação do OhmyNews International. Porto Alegre: UFRGS, 2006. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Informação) - Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, UFRGS, 2006.

BRUNS, Axel. Gatewatching, not gatekeeping: collaborative online news. Media International Australia, n. 107, p. 31-44, 2003. Disponível em: http://eprints.qut.edu.au/archive/00000189/.

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. A Era da Informação: economia, sociedade e cultura. v. 1. São Paulo: Paz e Terra, 1999a.

CAVALCANTI, Mario Lima. A aposta do Estadão no jornalismo participativo. Último Segundo [200?] Disponível em: http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=354ASP005. Acesso em: 2 ago. 2006.

HOHLFELDT, A.; MARTINO, L. C.; FRANÇA, V. V. Teorias da comunicação: conceitos, escolas e tendências. Petrópolis (RJ): Vozes, 2001.

LEMOS, André. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 2. ed. Porto Alegre: Sulina, 2004.

LÉVY, Pierre. As Tecnologias da Inteligência. São Paulo: Editora. 34, 1993.

MAFFESOLI, Michel. A comunicação sem fim (teoria pós-moderna da comunicação). In: MARTINS, Francisco Menezes; SILVA, Juremir Machado da. (orgs). A genealogia do Virtual: Comunicação, Cultura e Tecnologias do Imaginário. Porto Alegre: Sulina, 2004.

MARCONDES FILHO, Ciro. Comunicação e jornalismo: a saga dos cães perdidos. São Paulo: Hacker Editores, 2000.

MEDINA, Cremilda de Araújo. Notícia: um produto à venda: jornalismo na sociedade urbana e industrial. São Paulo: Alfa-Omega, 1978.

MELO, José Marques de. A opinião no jornalismo brasileiro. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

MIELNICZUK, Luciana. Jornalismo na Web: uma contribuição para o estudo do formato da notícia na escrita hipertextual. Salvador: UFBA, 2003. Tese (Doutorado em Comunicação) - Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporânea, Universidade Federal da Bahia, 2003.

MOURA, Catarina. O jornalismo na era Slashdot. 2002. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/moura-catarinajornalismo-slashdot.pdf. Acesso em: 24 jul. 2006.

PENA, Felipe. Teoria do jornalismo. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2006.

PRIMO, Alex. Interação mútua e interação reativa: uma proposta de estudo. Revista da Famecos, n. 12, p. 81-92, jun. 2000.

PRIMO, Alex Fernando Teixeira; RECUERO, Raquel da Cunha. Hipertexto Cooperativo: Uma Análise da Escrita Coletiva a partir dos Blogs e da Wikipédia. Revista da FAMECOS, n.22, p. 54-65, Dez. 2003a.

PRIMO, Alex. Quão interativo é o hipertexto? Da interface potencial à escrita coletiva. Revista Fronteiras: estudos midiáticos, v. V, n. 2, p. 125-142, Dez. 2003b. Disponível em: http://www6.ufrgs.br/limc/PDFs/quao_interativo_hipertexto.pdf.

PRIMO, Alex; TRÄSEL, Marcelo. Webjornalismo participativo e a produção aberta de notícias. UNIRevista, v. 1, n. 3, julho/2006. Disponível em: www.unirevista.unisinos.br. Acesso em: 10 ago. 2006.

REVISTA ÉPOCA. Você faz a notícia: como funcionam os sites Digg.com e OhMyNews – onde o cidadão comum é o jornalista – e qual é o real poder deles. Edição 430, ago. 2006.

RÜDIGER, Francisco. Introdução às teorias da cibercultura: perspectivas do pensamento tecnológico contemporâneo. Porto Alegre: Sulina, 2003. 151 p.

SEÇÃO FOTO REPÓRTER. Disponível em: www.estadao.com.br/imagens/fotoreporter. Acesso em: 2 ago. 2006.

SEÇÃO "VC REPÓRTER". Disponível em: www.terra.com.br/vcreporter. Acesso em: 2 ago. 2006.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo: Porque as notícias são como são. v. 1. Florianópolis: Insular, 2004.

WOLF, Mauro. Teorias da comunicação. Tradução de Maria Jorge Vilar de Figueiredo. 4 ed. Lisboa: Presença, 1995. 247 p.

WOLTON, Dominique. Internet, e depois?: uma teoria crítica das novas mídias. Tradução: Isabel Crosseti. Porto Alegre: Sulina, 2003. 232 p.

Publicado
2008-04-14
Como Citar
Antonine, V. F., & Lindemann, C. (2008). Webjornalismo participativo: repensando algumas questões técnicas e teóricas. Revista FAMECOS, 14(34), 86-94. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2007.34.3457
Seção
Jornalismo e Produção