Iniciativas internacionais: um estudo comparativo sobre a construção da comunicação organizacional no Brasil e na França1

Palavras-chave: Comunicação organizacional. Construção de disciplina. França e Brasil.

Resumo

Por meio de uma pesquisa exploratória, de caráter teórico-reflexivo, sobre a evolução da institucionalização cognitiva e social de um campo de disciplina, este artigo procura mostrar os desafios da construção da comunicação organizacional entre dois países – a França e o Brasil. A comunicação internacional e a comunicação intercultural são utilizadas pelas práticas profissionais e acadêmicas por intermédio da influência política e econômica dos Estados Unidos. O texto esclarece as particularidades e os pontos de interação de cada tipo de comunicação, visando assim compreender as nuances, os pontos de conexão e as pistas de colaboração entre elas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alice Zozima Paris Rego de Souza, Université de Toulon, Toulon

Doutorado em Sciences de l’Information et de la Communication pela Université de Toulon/ França, sob a orientação de Eric Boutin, em cotutela com a Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, sob a co-orientação de Margarida Maria Krohling Kunsch. Mestrado em Pesquisa em Sciences de l’Information et de la Communication no laboratório I3M (Information, Milieux, Médias et Médiations) e mestrado em Communication et Multimedias E-Redactionnel, ambos na Université de Toulon (França). Graduação em Lettres, Culture & Nouveaux Médias pela Université de la Rochelle (França) e em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco.

Margarida Maria Krohling Kunsch, Universidade de São Paulo, São Paulo (SP)

Professora titular da Universidade de São Paulo (USP). Ex diretora (2013-2017) da Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP), é pró-reitora adjunta de Cultura e Extensão Universitária da USP (gestão 2018-2021). Livre-docente em Teorias e Processos de Comunicação Institucional, doutora e mestre em Ciências da Comunicação pela ECA-USP. Coordenadora do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Gestão Estratégica em Comunicação Organizacional e Relações Públicas da ECA-USP. Autora dos livros Planejamento de relações públicas na comunicação integrada, Relações públicas e modernidade: novos paradigmas na comunicação organizacional e Universidade e comunicação na edificação da sociedade. Organizadora de quase 40 coletâneas de Ciências da Comunicação, Comunicação Organizacional e Relações Públicas.

Referências

AGBOBLI, Christian. La communication internationale: état des lieux et perspectives de recherche pour le XXIe siècle. Communiquer – Revue de Communication Sociale et Publique, n. 15, p. 65‑84, 2015. https://doi.org/10.4000/communiquer.1678

AGBOBLI, Christian; SOTELO, Carmen Rico de. La communication internationale, le développement et l’interculturalité: la pratique du stage, son imaginaire et son enjeu thèorique. In: SAINT-CHARLES Johanne; MONGEAU, Pierre (org.). Communication: horizons de pratiques et de recherche. Québec: Presse de l’Université du Québec, 2005. p. 185-214. Disponível em: https://books.google.fr/books?hl=fr&id=0yb5C1i2CsUC&q=agbobli#v=snippet&q=agbobli&f=false. Acesso em: 30 abr. 2019. https://doi.org/10.4000/rfsic.955

BOIRY, Philippe A. Des public-relations aux relations publiques: la doctrine européenne de Lucien Matrat. Paris: L’Harmattan, 2003. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2006.31.3404

BOURDIEU, Pierre. La cause de la science. Actes de la recherche en sciences sociales, v. 106‑107, p. 3-10, 1995. https://doi.org/10.3406/arss.1995.3131

BOURE, Robert. Les sciences humaines et sociales en France: une approche historique. Cortil-Wodon: Editions Modulaires Européennes, 2007a.

BOURE, Robert. L’histoire des sciences de l’information et de la communication. 2007b. Disponível em: http://questionsdecommunication.revues.org/7358. Acesso em: 30 abr. 2019.

BOUZON, Arlette. 2009. A incerteza da comunicação de risco diante das inovações na indústria. In: KUNSCH, Margarida M. Krohling; OLIVEIRA, Ivone de Lourdes (org.). A comunicação na gestão da sustentabilidade das organizações. São Caetano do Sul: Difusão, 2009. p. 107-123. https://doi.org/10.18225/9788570131485.cap03

CASTELLS, Manuel. Comunicación y poder. Madrid: Alianza Editorial, 2009.

CHAVES, Sylla. Aspectos de relações públicas. DASP – Serviço de Documentação – Departamento de Imprensa Nacional, 1966.

D’ALMEIDA, Nicole. Opinião pública, comunicação e regulação do mercado. In: KUNSCH, Margarida M. Krohling (org.). Comunicação pública, sociedade e cidadania. São Caetano do Sul: Difusão, 2010. p. 135-153. https://doi.org/10.15603/2175-7755/cs.v28n46p43-56

FABER, Marcos E. Ekman; ADORNE FILHO, Antenor; AGUIAR, Maria Francelina. O desenvolvimento econômico brasileiro e a industrialização no período Juscelino Kubitschek. Disponível em: http://www.historialivre.com/ brasil/jk1.htm. Acesso em: 30 abr. 2019.

GAILLARD, Jacques. La coopération scientifique et technique avec les pays du Sud: peut-on partager la science? Collection Hommes et sociétés. Paris: Karthala, 1999.

GUIET, Karine Berthelot. Celsa - Paris Sorbonne. 2016. Disponível em: http://www.celsa.fr/celsa.php. Acesso em: 30 abr. 2019.

HSAB, Gaby; STOICIU, Gina. Communication internationale et communciaiton interculturelle: des champs croisés, des frontières ambulantes. In: Communication internationale et communication interculturelle: regards épistémologiques et espaces de pratique. Québec: Presses de l’Université du Québec, 2011. p. 9-25. Disponível em: https://books.google.fr/books?id=_jrEDhA9xugC&printsec=frontcover&hl=fr&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false. Acesso em: 30 abr. 2019. https://doi.org/10.7202/1024048ar

KUNSCH, Margarida M. Krohling. Comunicação intercultural e cidadania em tempos de globalização. In: MARTINS, Moisés de Lemos (org.). A internacionalização das comunidades lusófonas e ibero-americanas de ciências sociais e humanas: o caso das ciências da comunicação. Vila Nova de Famalicão (Portugal): Húmus, 2017. p. 337-354. Disponível em: http://www3.eca.usp.br/sites/default/files/form/biblioteca/acervo/producao-academica/002864684.pdf. Acesso em: 30 abr. 2019. https://doi.org/10.11606/t.27.2006.tde-14052009-133509

LUCHETTI, Nilo. Parto normal - O artigo. Revista Comunicação Empresarial Aberje. São Paulo, a. 7, 1997. Disponível em: http://www.aberje.com.br/antigo/revista/n25/artigo7d.htm. Acesso em: 30 abr. 2019.

LUCHETTI, Nilo. Parto natural. Revista Comunicação Empresarial Aberje. São Paulo, n. 25, 1973.

MALAVAL, Catherine. Renault à la une: la presse d’entreprise Renault depuis 1945. Paris: ClioMédia, 1992.

MATRAT, Lucien; CLARIN, Alec. Les publics-relations: moteur de productivité. Paris: Elzevir, 1951.

MATTELART, Armand. La mondialisation de la communication. Paris: Presses Universitaires de France, 2008. https://doi.org/10.7202/703825ar

MUCCHIELL I, Alex. L’art d’influencer: analyse des techniques de manipulation. Paris: Armand Colin, 2010.

MUCCHIELL I, Alex. Théorie systématique des communications: principes et applications. Paris: Armand Colin, 2003.

PÉREZ, Rafael Alberto. Estrategias de comunicación. Ariel: Google-Books-ID: Ki5AXzNODg8C, 2008.

PARIS, Alice Zozima Rego de Souza. O mundo das comunicações organizacionais: práticas e pesquisas. Um estudo genealógico, Brasil e França / Le monde des communications organisationelles: pratiques et recherches. Une étude généalogique, France et Brésil. 2017. Tese (Doutorado em Comunicação Organizacional) – École Doctorale 509 en SHS - Université de Toulon e em Cotutela com a Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. https://doi.org/10.11606/t.42.2019.tde-12042018-141555

TANGUY, Lucie. Les promoteurs de la formation en entreprise (1945-1971). Travail et Emploi, n. 86, p. 27‑47, abr. 2001.

TORRES, Mirtes. Eduardo Pinheiro Lobo. Pioneiro das relações públicas no Brasil. Salvador, 2002. Disponível em: http://www.portalrp.com.br/bibliotecavirtual/memoria/0174.pdf. Acesso em: 30 abr. 2019.

UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Convenção sobre a proteção e promoção da diversidade das expressões culturais. Paris, 2005. Disponível em: www.cultura.gov.br/.../convencao...promocao-da-diversidade-das-expressoes-culturais. Acesso em: 30 abr. 2019. https://doi.org/10.23899/relacult.v3i3.573

Weiss, Dimitri. Communication et presse d’entreprise. Paris: Sirey,1971. https://doi.org/10.7202/028319ar

Publicado
2019-12-18
Como Citar
de Souza, A. Z. P. R., & Kunsch, M. M. K. (2019). Iniciativas internacionais: um estudo comparativo sobre a construção da comunicação organizacional no Brasil e na França1. Revista FAMECOS, 26(2), e34351. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2019.2.34351
Seção
Comunicação Organizacional