Coração sonoro: comunicação, afetos e sociabilidades maquínicas em festas de música eletrônica

Palavras-chave: Afetos, máquinas, sociabilidade

Resumo

Este artigo explora formas de afetar e de ser afetado em festas de música eletrônica com base nas ideias de Spinoza e com o uso do método cartográfico de pesquisa empírica. Afetos, máquinas e sociabilidade são operadores conceituais para análise de aspectos da dimensão comunicacional das festas. Afetos não são exclusivos do plano dos sujeitos; são fluxos de passagens para diversas formas de expressão e afetação, segundo a perspectiva de Deleuze & Guattari. A comunicação é vista como afeto e fluxo a partir das perspectivas de Morin, Beth & Pross e Marcondes Filho. Propõe-se que os suportes e ações comunicativas nessas festas incidem diretamente sobre os corpos e alteram o processo de sociabilidade. Assume-se, com suporte em Latour, que os afetos são produzidos e potencializados também por meio das máquinas de música e de comunicação, o que implica em repensar o conceito de sociabilidade e considerar como atores sociais também os participantes não humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Tavares das Neves, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Doutor pelo  Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais da UFRN. Mestre em Ciências Sociais pela mesma instituição. Possui graduação Rádio e TV e em Jornalismo (2011) também pela UFRN. Participante do grupo de Estudos Transdisciplinares em Comunicação e Cultura - Marginália. Pesquisador do grupo JUVENÁLIA - Culturas juvenis: comunicação, imagem, política e consumo da ESPM - Escola Superior de Propaganda e Marketing. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: corpo; afetos; complexidade; festas de música eletrônica; tecnologia. Sócio da Intercom e participante do GT Comunicação e Culturas Urbanas desde 2008.
Josimey Costa da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Pós-doutora em Comunicação Social pela ECOPOS/UFRJ e doutora em Ciências Sociais/Antropologia pela PUC/SP. Professora do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Decom/UFRN), atuando na Pós-Graduação em Estudos de Mídia (PPgEM/UFRN) e na Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS/UFRN) como docente e pesquisadora.  Foi Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Comunicação e Culturas Urbanas da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação - Intercom (2013 a 2016). É líder do Grupo de Estudos Transdisciplinares em Comunicação e Cultura (Marginália/CNPq), integrando a linha de pesquisa Comunicação urbana, corpo, estética e imagem. Áreas de interesse: Comunicação Social, Antropologia, Semiótica da cultura, Complexidade, Cinema, Corpo, Corporeidade e Cidade.

Referências

BATAILLE, Georges. A experiência interior. São Paulo: Editora Ática, 1992.

BETH, Hanno; PROSS, Harry. Introducción a la teoria de la comunicación. Barcelona: Anthropos, 1990.

CASSIRER, Ernst. Antropologia filosófica: ensaio sobre o homem – introdução a uma filosofia da cultura humana. São Paulo: Mestre Jou, 1977.

DELEUZE, Gilles. Cursos sobre Spinoza (Vincennes, 1978-1981). Fortaleza: EDUECE, 2009.

______; GUATTARI, Félix. Mil platôs – capitalismo e esquizofrenia 2. Vol.1. São Paulo: Editora 34,1995.

______. O anti-édipo: capitalismo e esquizofrenia 1. São Paulo: Ed. 34, 2010.

______. O que é a filosofia? Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

DELEUZE, Gilles; MANGANARO, Jean-Paul. De Nietzsche à la Techno: Manifeste pour les machines-pensées à venir. Paris, 1998. par Richard Pinhas. Disponível em: http://www.webdeleuze.com/php/texte.php?cle=102&groupe=Bibliographie%20et%20mondes%20in%E9dits&langue=1. Acesso em: 2 fev. 2016

GILBERT, Jeremy; PEARSON, Ewan. Discographies – dance music, culture and politics of sound. New York: Routledge, 1999.

GUATTARI, Félix. O inconsciente maquínico – ensaios de esquizo-análise. Campinas, SP: Papirus, 1988.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social – uma introdução à teoria do Ator-Rede. Salvador: Edufba, 2012; Bauru, São Paulo: Edusc, 2012.

MARCONDES FILHO, Ciro. FILHO, Ciro Marcondes (org.). Dicionário de Comunicação. São Paulo: Paulus, 2014, 2ª edição.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1945/2006.

MORIN, Edgar. O método 1 – a natureza da natureza. Porto Alegre: Sulina, 2008.

NEVES, Thiago T. Afeto. In: FILHO, Ciro Marcondes (org.). Dicionário de Comunicação. São Paulo: Paulus, 2014, 2ª edição.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Assim falou Zaratustra. São Paulo: Editora Martin Claret, 1891/2007.

REYNOLDS, Simon. Generation Ecstasy – into the world of techno and rave culture. New York: Routledge, 1999.

SPINOZA. Ética. Belo Horizonte: Autêntica, 1677/2010.

SYLVAN, Robin. Trance formation – the spiritual and religious dimensions of global rave culture. New York: Routledge, 2005.

Publicado
2018-08-23
Como Citar
das Neves, T. T., & da Silva, J. C. (2018). Coração sonoro: comunicação, afetos e sociabilidades maquínicas em festas de música eletrônica. Revista FAMECOS, 25(3), ID29193. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2018.3.29193
Seção
Mídia e Cultura