Gesto autoral: fiador para experiências significativas no ensino de criação publicitária

  • Fábio Hansen Universidade Federal do Paraná | UFPR
  • Rodrigo Stéfani Correa Universidade Federal de Pernambuco | UFPE
  • Juliana Petermann Universidade Federal de Santa Maria | UFSM
Palavras-chave: Criação publicitária, Ensino, Autoria

Resumo

Neste artigo, porção de um estudo longitudinal apoiado pelo MCTI/CNPq e realizado em parceria interinstitucional entre a UFPR, a UFPE e a UFSM, refletimos sobre possíveis dimensões para experiências significativas no ensino de criação publicitária: narrativas de si, distanciamento das práticas mercadológicas em publicidade, formação de repertório, ludicidade, personalização. Partindo de uma concepção discursiva, de orientação pecheutiana, operamos teoricamente com os conceitos de autoria e de lugar discursivo. Portanto, é sob a égide de tais noções que aglutinamos as discussões acerca de reconfigurações no ensino de criação publicitária, na instância dos sujeitos do conhecimento (professor e estudante). Defendemos que a prática docente proporcione situações de aprendizagem para deslizamentos de sentidos e para a inserção do estudante no jogo discursivo, afiançando experiências significativas por meio do gesto autoral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Hansen, Universidade Federal do Paraná | UFPR
Publicitário, Doutor em Letras pela UFRGS. Professor no Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Professor permanente no Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM UFPR) na linha de pesquisa Comunicação, Educação e Formações Socioculturais. Autor do livro (In)verdades sobre os profissionais de criação: poder, desejo, imaginação e autoria. Pesquisador nos Grupos de Pesquisa certificados no CNPq: Ensino Superior de Publicidade e Propaganda e Estudos sobre Comunicação, Consumo e Sociedade.
Rodrigo Stéfani Correa, Universidade Federal de Pernambuco | UFPE
Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, atua como Professor no Departamento de Comunicação Social da UFPE, onde pesquisa em duas áreas distintas: Processos Criativos e Estudos de Mercado. Mestre em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina e membro pesquisador do grupo de pesquisa CNPq/UFPE - Publicidade nas Novas Mídias, com publicação do Livro Propaganda Digital e líder do Grupo de Pesquisa Ensino Superior de Publicidade e Propaganda. Experiência profissional no campo da Comunicação Digital e Linguagem Publicitária Multimídia. Graduado em Publicidade (UNOESTE) e Especialista em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).
Juliana Petermann, Universidade Federal de Santa Maria | UFSM
Atualmente é professora no Departamento de Ciências da Comunicação da UFSM e Professora no Programa de Pós-Graduação em Comunicação (Poscom UFSM). Possui graduação em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal de Santa Maria (2003), mestrado em Linguística Aplicada pela Universidade Federal de Santa Maria (2006), doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Atua principalmente nos seguintes temas: criação publicitária, marcas e seus discursos, estratégias de significação, análise do discurso verbal e não-verbal, gêneros do discurso.

Referências

ALENCAR, Eunice M. L. Soriano de; FLEITH, Denise de Souza. Inventário de Práticas Docentes que Favorecem a Criatividade no Ensino Superior. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 105 -110, 2004. https://doi.org/10.1590/S0102-79722004000100013

ALTHUSSER, Louis. Ideologia e Aparelhos Ideológicos do Estado. In: ZIZEK, Slavoj. Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BACCEGA, Maria Aparecida. Comunicação/educação e a construção de nova variável histórica. In: CITELLI, Adilson Odair; COSTA, Maria Cristina Castilho (Orgs.). Educomunicação: construindo uma nova área de conhecimento. São Paulo: Paulinas, 2011.

BERGER, Peter; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade. São Paulo: Vozes, 2008.

CAPOTE FILHO, Haroldo Silva. Criatividade: o avesso do avesso, do avesso, do avesso. In: NICOLA, Rosane de Mello Santo (Org.). Ensaios sobre docência universitária. Curitiba: PUCPRess, 2014.

CASAQUI, Vander. Contratos comunicativos da comunicação publicitária contemporânea: sentidos da produção e do consumo nas estratégias de publicização. In: ATEM, Guilherme Nery; OLIVEIRA, Thaiane Moreira de; AZEVEDO, Sandro Tôrres de (Org). Ciberpublicidade: discurso, experiência e consumo na cultura transmidiática. Rio de Janeiro: E-Papers, 2014.

CORRÊA, Guilherme Torres; RIBEIRO, Victoria Maria Brant. A formação pedagógica no ensino superior e o papel da pós-graduação stricto sensu. Educ. Pesqui, São Paulo, v. 39, n. 2, p. 319-334, abr./jun. 2013.

DAYRELL, Juarez (org.). Múltiplos Olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo. Juventude e Ensino Médio, quem é este aluno que chega à escola. In: DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo; MAIA, Carla Linhares. (orgs). Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: UFMG, 2014.

GONÇALVES, Elizabeth Moraes; SILVA, Marcelo da. A amplitude do diálogo nas redes sociais digitais: sentidos em construção. In: GOULART, Elias E (Org). Mídias sociais: uma contribuição de análise. Porto Alegre: EDIPUCRS, p. 85-105, 2014.

GRIGOLETTO, Evandra. O discurso de divulgação científica: um espaço discursivo intervalar. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

______. Do lugar discursivo à posição-sujeito: os movimentos do sujeito-jornalista no discurso de divulgação científica. In: MITTMANN, S.; GRIGOLETTO, Evandra; CAZARIN, Ercília (Orgs.). Práticas discursivas e identitárias: sujeito e língua. Porto Alegre: Nova Prova, 2008.

HANSEN, Fábio. As formações imaginárias e seus efeitos de sentido no ensino e na aprendizagem de criação publicitária. Educ. Pesqui. São Paulo, v. 39, n. 2, p. 465-476. Abr/jun. 2013. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ep/article/view/58629/61699 Acesso em: 14 nov. 2016.

______. A criatividade em jogo: paráfrase e polissemia no processo de produção do discurso publicitário. Rumores, São Paulo, v. 9, n. 18, p. 185-203, jul./dez. 2015. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/90001. Acesso em: 14 nov. 2016.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 2007.

INDURSKY, Freda. Da heterogeneidade do discurso à heterogeneidade do texto e suas implicações no processo da leitura. In: ERNST-PEREIRA, Aracy; FUNCK, Susana Bornéo (Org.). A escrita e a leitura como práticas discursivas. Pelotas: Educat, 2001.

JOHNSON, Steven. De onde vêm as boas ideias. Rio de Janeiro: Zahar, 2011

MARIANI, Bethania. O PCB e a imprensa: os comunistas no imaginário dos jornais (1922-1989). Rio de Janeiro: Revan; Campinas: Unicamp, 1998.

MARINA, Jose Antonio. Teoría de la Inteligencia Creadora. Barcelona: Anagrama, 1993.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. A comunicação na educação. São Paulo: Contexto, 2014.

MIGNOT, Ana Chrystina; SOUZA, Elizeu Clementino de. Modos de viver, narrar e guardar: diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica. Revista Linhas, Florianópolis, v. 16, n. 32, p. 10-33, set./dez. 2015.

MITTMANN, Solange. Texto imagético e autoria. In: INDURSKY, Freda; MITTMANN, Solange; FERREIRA, Maria Cristina Leandro. Memória e história na/da Análise do Discurso. Campinas: Mercado de Letras, 2011.

MORAN, José. Manuel. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. 5. ed. Campinas: Papirus, 2012.

NEGRI, Marina. Contribuições da língua portuguesa para a redação publicitária. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

NOBLE, Debbie Mello; MITTMANN, Solange. O professor e o aluno como agentes do desenvolvimento da leitura. Cadernos de Letras da UFF, Rio de Janeiro, v. 26, n. 52, p. 69-79, 2016. Disponível em: http://www.cadernosdeletras.uff.br/index.php/cadernosdeletras/article/view/196/118. Acesso em: 14 jul. 2016.

ORLANDI, Eni. A linguagem e seu funcionamento. Campinas: Pontes, 1987.

______. Discurso e Leitura. 2. ed. São Paulo: Cortez; Campinas: Editora da Unicamp, 1993.

______. Interpretação: autoria, leitura e efeito do trabalho simbólico. Petrópolis: Vozes, 1996.

______. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. 3. ed. Campinas: Pontes, 2001.

______. Língua e conhecimento linguístico. Para uma História das Ideias no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

______. Historicidade e sociedade: o sujeito na contemporaneidade. In: INDURSKY, Freda; LEANDRO FERREIRA, Maria Cristina; MITTMANN, Solange. O discurso na contemporaneidade: materialidades e fronteiras. São Carlos: Claraluz, 2009.

PÊCHEUX, Michel. Discurso: estrutura ou acontecimento? Campinas: Pontes, 1990.

______. Análise Automática do Discurso. In: GADET, Françoise; HAK, Tony (orgs.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. 2. ed. Campinas: Unicamp, 1993.

WEINER, Rui Silvestre de Bastos. A criatividade no ensino do design. Dissertação (Mestrado em Design Gráfico e Projetos Editoriais) – Universidade das Belas Artes, Universidade do Porto, 2010.

Publicado
2017-08-01
Como Citar
Hansen, F., Correa, R. S., & Petermann, J. (2017). Gesto autoral: fiador para experiências significativas no ensino de criação publicitária. Revista FAMECOS, 24(3), ID25999. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2017.3.25999
Seção
P & P