Destruição criativa de House: Ordem e desordem sob o disfarce de segurança

  • Hélène Houdayer Université Paul-Valéry
Palavras-chave: Ficção, Realidade, Imagem mental

Resumo

Neste trabalho é apresentada a leitura da série House, um programa popular de tema médico televisivo, através do prisma do imaginário. Essa atração transita entre a ficção e a realidade de uma forma que, às vezes, é difícil fazer a distinção entre o que sabemos do ambiente hospitalar e que imagens e palavras sugere. O personagem principal epônimo de House, Dr. Gregory House, apela para o espectador pela sua ambivalência. Na verdade, ele é irri­tante - muitas vezes maldoso, insensível e antipático com os seus pacientes, seus amigos próximos e colegas, sempre burlando as regras do hospital - e cativando pela prática da sua profissão bem como nas relações que ele mantém com os membros da sua equipe. Essa ambivalência faz dele o autor da "destruição criativa''. que nos leva do mundo dos sentimentos a outro, usando as emoções. Dessa forma, o processo dialógico ocorre, o que pode ser percebido usando o enquadramento da interpretação promovida pela sociologia do imaginário, em particular as estruturas elaboradas por Gilbert Durand.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hélène Houdayer, Université Paul-Valéry
Professora de Sociologia na Universidade Paul Valéry – Montpellier III.

Referências

DURAND, Gilbert. (1960). Les Structures Anthropologiques de l’Imaginaire. Paris: Dunod, 1992.

DURAND, Gilbert. Introduction à la mythodologie. Mythes et sociétés. Albin Michel, 1996.

FOUCAUL, Michel. Naissance de la clinique. Paris: PUF, 1963.

GIRARD, René. La violence et le sacré. Paris: Grasset, 1972.

GOFFMAN, Erving. Asile. Paris: Minuit, 1968.

JORON Philippe. La communication sacrificielle. Les Cahiers de l’IRSA, Violences et communication, n. 6, p. 245-264, 2006.

MAFFESOLI, Michel. L’instant éternel, le retour du tragique dans les sociétés post-modernes. Paris: Denoël, 2000.

PARSONS, Talcott. The patient and the mental hospital. New York: The free press, 1957.

RENARD, Jean-Bruno et Véronique Campion-Vincent. De Source sûre, Nouvelles rumeurs d’aujourd’hui. Paris: Payot, 2002.

RENARD, Jean-Bruno. Le Merveilleux. Paris: Éditions CNRS, 2011.

SOUTEYRAND, Yves. L’hôpital stratège. Paris: John Libbey Eurotext, 1996.

Publicado
2015-05-26
Como Citar
Houdayer, H. (2015). Destruição criativa de House: Ordem e desordem sob o disfarce de segurança. Revista FAMECOS, 22(1), 81-93. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2015.1.20892
Seção
Imaginário