Televisão: da profusão de imagens à cegueira ética

  • Kátia M. L. Mendonça Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Cegueira ética, Televisão, Violência, Imagem

Resumo

Há um antigo debate acerca da função libertadora, ou não, das tecnologias de comunicação visual. Originalmente, a questão centrava-se no papel do cinema e da fotografia para as relações sociais e para cultura. Walter Benjamin e Theodor Adorno são os precursores dessas investigações, tendo, em certa medida, Guy Debord, Jean Baudrillard e Paul Virilio como herdeiros. A partir do diálogo com estes autores construiremos uma reflexão em torno da cegueira ética, para o que retomaremos também as observações de Gabriel Marcel e de Martin Buber, buscando compreender os nexos entre televisão e agir ético na contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kátia M. L. Mendonça, Universidade Federal do Pará
P

Referências

ADORNO, Theodor. O Fetichismo da Música e a Regressão da Audição. In: BENJAMIN. Walter et al. Textos escolhido os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

ADORNO, Theodor; HORKHEIMER, Max. La Sociedade: leciones de sociologia. Buenos Aires. Proteo, 1969.

______. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro, Zahar, 1991.

BENJAMIN, Walter. A Obra de arte na época de sua reprodutibilidade técnica. In: BENJAMIN, Walter et al. Textos escolhidos os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

BUBER, Martin. Eu e Tu. São Paulo: Moraes, 1974.

______. El camiño del hombre. Buenos Aires: Altamira, 2003.

COHN, Gabriel. Esclarecimento e ofuscação: Adorno & Horkheimer hoje. Revista Lua Nova: Revista de Cultura e Política, São Paulo, n. 43, p. 5-24, dez. 1997.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. São Paulo: Contraponto, 1997.

DE VRIES, Hent. Minimal theologies: critiques of secular reason in Adorno and Levinas. Baltimor Maryland: John Hopkins University Press, 2005.

JAMESON, Fredric. As marcas do visível. Rio de Janeiro: Graal, 1995.

______. Pós-Modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 2006.

MARCEL, Gabriel. Los hombres contra lo humano. Madrid: Caparrós Editores, 2001.

MENDONÇA, Kátia. A salvação pelo espetáculo: mito do herói e política no Brasil. Rio de Janeiro: Topbooks, 2002.

______. Buber e Adorno: Deus e o diabo nos pequenos detalhes. Lua Nova: Revista de Cultura Política. São Paulo: CEDEC, n. 60, p. 117-129, 2003.

MONGIN, Olivier. A violência das imagens. Lisboa: Editorial Bizâncio, 1998.

MULLER, Jean-Marie. Simone Weil: l’exigence de non-violence. Paris: Témoignane Chrétien, 1991.

ROSEN. Michael. On voluntary servitude, false consciousness and the theory of ideology. Cambridge: Polity Press, 1996.

SMITH. Nick. Adorno vs. Levinas: Evaluating points of contention. In: Continental Philosophy Review, Netherlands: Springer, v. 40, n. 3, p. 275-306, jul. 2007.

TARKOVSKI, Andrei. Esculpir o tempo. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

VIRILIO, Paul. Cyberwar, God And Television: Interview with Paul Virilio. 1994. Entrevistador: Louise Wilson. Canada: Ctheory. Disponível em: http://www.ctheory.net/articles.aspx?id=62. Acesso em: 25 fev. 2011.

______. O resto do tempo. Revista Famecos, Porto Alegre, v. 1, n. 10, pp. 57-6, jun. 1999. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/viewFile/3029/2307. Acesso em: 25 mar. 2011.

______. Entrevistador: Caroline Dumoucel, Vice. São Paulo: Vice Brasil, 2003, ano 2, n. 8. Disponível em:http://www.viceland.com/pdf/v2n8_br.pdf. Acesso em: 2 jan. 2011.

WEIL, Simone. 1940. L`Iliade ou le poème de la force. Paris:Éditions E-Books Libres et Gratuits. Disponível em http://librairie.immateriel.fr/fr/ebook/2000000007014/l-iliade-ou-le-poeme-de-la-force. Acesso em: 4 jan. 2011.

ZANK, Michael. New perspectives of Martin Buber. Tübingen: Mohr Siebeck, 2006.

Publicado
2013-05-23
Como Citar
Mendonça, K. M. L. (2013). Televisão: da profusão de imagens à cegueira ética. Revista FAMECOS, 20(1), 179-192. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2013.1.13639
Seção
Sociedade