Ensaio sobre arqueologia do período da borracha no Baixo Amazonas: materialidade, ontologia e patrimônio

Palavras-chave: Teoria e método em arqueologia. Cultura material. Arqueologia do capitalismo. Arqueologia histórica. Arqueologia amazônica.

Resumo

Vinte e duas garrafas de grés e vidro foram encontradas por um seringueiro de Santarém em seu seringal. Localizadas próximas a um taperebá e seringueiras nativas, tais garrafas são o ponto gerador desta pesquisa, associadas ao período da borracha e/ou, possivelmente, à passagem de Henry Wickham pela região de Santarém. Neste ensaio apresento como esses materiais podem ser entendidos em seu contexto, a partir de perspectiva relacional e simétrica em estudos de cultura material, a fim de lançar novos dados para os estudos do período da borracha e da arqueologia histórica na Amazônia. A pesquisa ainda está em andamento, portanto, aqui apresento o contexto histórico, elaboração e discussão de hipóteses como metodologia para interpretação de dados preliminares após trabalhos de campo, entrevistas, pesquisa documental em diferentes acervos e análise de cultura material.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tiago Silva Alves Muniz, Universidade Federal do Pará (UFPA), Belém, PA

Arqueólogo, pesquisador visitante no Departamento de Ciências Culturais, Linnaeus University (Kalmar, Suécia); doutorando em Antropologia (Arqueologia) pela Universidade Federal do Pará (UFPA, Belém, PA, Brasil).

Referências

ALVES, Eva da Silva; PINTO, Auxiliadora dos Santos; CAETANO, Renato Fernandes. Memórias de Mulheres Seringueiras na Reserva Extrativista Rio Ouro Preto/ RO: Linguagem, Cultura e Identidade. Amazônica-Revista de Antropologia, [s. l.], v. 10, n. 2, p. 738-761, 2018. https://doi.org/10.18542/amazonica.v10i2.6525.

ARENZ, K. H. Anticaboclismo. Revista de Estudos de Cultura, n. 03, p. 27-38, 2015. https://doi.org/10.32748/revec.v0i03.4770.

BEZERRA, Márcia. “As moedas dos índios”: um estudo de caso sobre os significados do patrimônio

arqueológico para os moradores da Vila de Joanes, ilha de Marajó, Brasil. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: Ciências Humanas, [s. l.], v. 6, n. 1, p. 57-70, 2011. https://doi.org/10.1590/S1981-81222011000100005.

BOAS, F. The mind of primitive man. [S. l.: s. n.]: 1938.

BRITO, Agda Lima. “Eu trabalhei também”: as trabalhadoras nos seringais do Amazonas (1940-1950). História & Parcerias. In: ENCONTRO INTERNACIONAL E ENCONTRO DE HISTÓRIA DA ANPUH-RIO, 18., 2018, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: [s. n.], 2018.

CARVALHO, Josiane Celerino de. Caracterização morfofuncional e mobilização de reservas primárias durante a germinação e o crescimento inicial de plântulas de Hevea brasiliensis (Willd. Ex Adr de Juss.) Muell. Arg. Dissertação (Mestrado) – INPA, Manaus, 2017.

CASTAÑEDA, Q. The “Ethnographic Turn” in Archaeology. In: ETHNOGRAPHIC ARCHAEOLOGIES. Londres: Altamira Press: Rowman & Littlefiled Publishers, 2008.

CEMIN, Arneide Bandeira. Denúncias de estupro contra a mulher indígena: Bioética intercultural feminista, saúde coletiva e justiça. Amazônica-Revista de Antropologia, Manaus, v. 8, n. 2, p. 342-370, 2017. https://doi.org/10.18542/amazonica.v8i2.5047.

CESCO, Susana; LIMA, Eli de Fátima Napoleão de. “Terra da Promissão”: recolonização e natureza na história amazônica. Territórios e Fronteiras, [s. l.], v. 11, n. 2, p. 123-151, 2018. https://doi.org/10.22228/rt-f.v11i2.848.

CHAMPNEY, J. W. Travels in the North of Brazil. Acervo Digital da Biblioteca Nacional. [S. l.: s. n.]: 1860. Disponível em: http://www.bndigital.bn.gov.br//acervo-digital. Acesso em: nov. 2018.

COHEN, Elisio Eden. Vila de Boim (1690-1986) sua história, seu povo. Obras literárias da Prelazia de Santarém. Artesanto Gráfico Tiagão, 1985.

COHEN, Elisio Eden. Momentos históricos da Vila de Boim e seu distrito (1690-2011). Prefeitura Municipal de Santarém, 2011.

CONDREAU, Henri. Voyage au Tapajó, 1897.

COSTA, Diogo Menezes. Arqueologia dos africanos escravos e livres na Amazônia. Vestígios: Revista Latinoamericana de Arqueologia Histórica, [s. l.], v. 10, n. 1, jan./jun. 2016. https://doi.org/10.31239/vtg.v10i1.10568.

DEETZ, J. In small Things forgotten: an archaeology of

early american life. New York: Anchor: Doubleday, 1996.

GANE, N.; HARAWAY, D. Se nós nunca fomos humanos, o que fazer? Gane & Haraway–Interview with Donna Haraway. Ponto Urbe: Revista do núcleo de antropologia urbana da USP, n. 6, 2010.

HARAWAY, D. Anthropocene, capitalocene, plantationocene, chthulucene: Making kin. Environmental humanities, [s. l.], v. 6, n. 1, p. 159-165, 2015. https://doi.org/10.1215/22011919-3615934.

HILLS, D. A. Heat transfer and vulcanisation of rubber. [S. l.]: Elsevier Publishing Company, 1971.

INGOLD, T. The perception of the environment: essays on livelihood, dwelling and skill. Londres: Routledge, 2000.

INGOLD, T. Los Materiales contra la materialidad. Papeles de Trabajo, Revista Electrónica del Instituto de Altos Estudios Sociales de la Universidad Nacional de San Martin, [s. l.], v. 7, n. 11, 2013.

JACKSON, Joe. O ladrão no fim do mundo: como um inglês roubou 70 mil sementes de seringueira e acabou com o monopólio do Brasil sobre a borracha. [S. l.]: Editora Objetiva, 2011.

KOHN, E. How forests think: Toward an anthropology beyond the human. Berkeley: University of California Press, 2013. https://doi.org/10.1525/california/9780520276109.001.0001.

LAGE, Mônica Maria Lopes. Mulher e seringal: um olhar sobre as mulheres nos seringais do Amazonas (1880-1920). Dissertação (Mestrado em História) – UFAM, Manaus, 2010.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos. [S. l.]: Editora 34, 1994.

LINDSEY, Bill. Historic Glass Bottle Identification & Information Website. [S. l.: s. n.]: 2018. Disponível em: https://sha.org/bottle/. Acesso em: 13 abr. 2018.

MARTIUS, Karl von. Beiträge zur Ethnographie und Sprachenkunde Amerikas zumal Brasiliens. Die ehemalige Verbreitung und die muthmasslichen Wanderungen der Tupis. In: BIBLIOTECA DIGITAL CURT NIMUENDAJU. [S. l.: s. n.]: c1867.

MCGUIRE, R. H.Archaeology as Political Action. Berkeley: University of California, 2008.

MILLER, G. L. Classification and economic scaling of 19th century ceramics. Historical Archaeology, v. 14, n. 1, p.1-40, 1980. https://doi.org/10.1007/BF03373454.

MUNIZ, Tiago Silva Alves; GOMES, Denise Maria Cavalcante. Identidades materializadas na Amazônia Colonial: a cerâmica dos séculos XVIII e XIX do sítio Aldeia, Santarém, PA. Vestígios: Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica. v. 11, n. 2, p. 52-76, 2017. https://doi.org/10.31239/vtg.v11i2.10445.

MUNIZ, Tiago Silva Alves. Materiais e fluxos na Amazônia Colonial: evidências da presença de africanos escravizados no sítio Aldeia, Santarém, Pará. Revista de Arqueologia, [s. l.], v. 32, n. 2, p. 16-35, dez. 2019. https://doi.org/10.24885/sab.v32i2.690.

ODELL, John. Big Bottles, Big History: Demi-Johns and Carboys. Antique Bottle & Glass Collector, v. 25, n. 7, p. 28-33, 2008. Disponível em: http://www.bottlebooks.com/demijohn/big_bottles_big_history_demijohn.htm.

OLIVEIRA FILHO, João Pacheco de. O caboclo e o brabo: notas sobre duas modalidades de força de trabalho na expansão da fronteira amazônica do século XIX. In: SILVEIRA, E. (org.) Encontros com a civilização brasileira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979. p.101-140.

OLSEN, B. In defense of things: archaeology and the ontology of objects. [S. l.]: Rowman Altamira, 2010.

PASTORE JR, F. Tratamento do látex de borracha natural com tanino vegetal. Tese (Doutorado) – Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2017.

REZENDE. Vinícius de. “Tinha que ser macho”: as condições de trabalho e as disputas em torno do adicional de insalubridade no setor coureiro-calçadista de Franca-SP (1950-1980). In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 27., 2013, Natal. Anais [...]. Natal: ANPUH, 2013.

ROOSEVELT, Theodore. Through the Brazilian Wilderness. New York: Scribner Print, 1914.

SHANKS, M.; TILLEY, C.Y. Re-constructing archaeology: theory and practice. [S. l.]: Press Syndicate of the University of Cambridge, 1987.

SOUZA, Rafael de Abreu. Grés, vinho e imigração: arqueologia de uma produção vitivinícola, São Paulo, 1920-1950. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: Ciências Humanas, [s. l.], 2013. https://doi.org/10.1590/S1981-81222013000100003.

SYMANSKI, Luis Cláudio Pereira; GOMES, Denise Maria Cavalcante. Mundos mesclados, espaços segregados: cultura material, mestiçagem e segmentação no sítio Aldeia, Santarém, PA. Anais do Museu Paulista, v. 20, n. 2, p. 53-90, 2012. https://doi.org/10.1590/S0101-47142012000200003.

SYMANSKI, Luis Cláudio Pereira; GOMES, Denise Maria Cavalcante. Material Culture, Mestizage, and Social Segmentation in Santarém, Northern Brazil. In: FUNARI, Pedro Paulo A.; SENATORE, Maria Ximena (ed.). Archaeology of Culture Contact and Colonialism in Spanish and Portuguese America. [S. l.]: Springer International Publishing, 2015. p. 199-217. https://doi.org/10.1007/978-3-319-08069-7_11.

TAVARES, Rufno Luis. O Rio Tapajoz. Rio de janeiro: Typhographia Nacional, 1876.

ULE, Ernst. Museu Paraense Emilio Goeldi Arquivo Guilherme de la Penh. Coleção fotográfica 1908-1909.

VALE, Ana. A Arqueologia e as Coisas. A disciplina e as correntes pós-humanistas. Almadam, [s. l.], 2015.

WEINSTEIN, Barbara. The Amazon rubber boom, 1850-1920. [S. l.]: Stanford University Press, 1983.

WOLFF, C. S. Mulheres da Floresta: uma História do Alto Juruá, Acre (1890-1945). São Paulo: HUCITEC, 1999.

WYNAND FOCKINK. Wynand Fockink Website. [S. l.: s. n.]: [2000?]. Disponível em: http://wynand-fockink.nl/. Acesso em: 13 abr. 2018.

Publicado
2020-06-13
Como Citar
Muniz, T. S. A. (2020). Ensaio sobre arqueologia do período da borracha no Baixo Amazonas: materialidade, ontologia e patrimônio. Oficina Do Historiador, 13(1), e36732. https://doi.org/10.15448/2178-3748.2020.1.36732
Seção
Dossiê