Mil platôs em uma terra estranha

O devir negro em James Baldwin

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15448/1984-4301.2022.1.42941

Palavras-chave:

James Baldwin, Agenciamento coletivo, Sujeito desterritorializado, Mundo branco, Devir negro

Resumo

Embora se tenha dito que James Baldwin seja um ativista antes de escritor, em Terra estranha encontramos a produção muito mais pelo viés do agenciamento (conforme o conceito dos filósofos Gilles Deleuze e Félix Guattari) que enseja as máquinas desejantes, do que pela noção de engajamento em que o escritor é situado. Neste artigo busca-se indicar que, se por um lado, não há como negar que em Baldwin existe um lastro de aspectos biográficos, por outro não se pode negar também que há uma figura autoral em Baldwin. Tal perspectiva nos leva para uma condição de um sujeito desterritorializado em um mundo não negro e heteronormativo, apontando para uma espécie de esquizofrenia, pelo fato de não pertencimento a um mundo impositivamente branco. Os conceitos de Deleuze e Guattari, assim como os de Achille Mbembe, em Crítica da razão negra, podem nos ajudar a compreender com mais lucidez as fronteiras do engajamento e os agenciamentos políticos, próprios da produção literária de James Baldwin. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jeferson Tenório, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Mestre em literaturas Luso-africanas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; doutorando pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil. 

Referências

BALDWIN, James. Terra estranha. São Paulo: Companhia da Letras, 2018.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Editora 34, 1997.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O Anti-Édipo. Rio de Janeiro: Editora 34, 1998.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Kafka: Por uma literatura menor. 1. ed. Tradução de Cíntia Vieira da Silva. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Tradução de Sebastião Nascimento. Paris: Editora N-1 edições, 2018.

Downloads

Publicado

2022-10-20

Como Citar

Tenório, J. (2022). Mil platôs em uma terra estranha: O devir negro em James Baldwin. Letrônica, 15(1), e42941. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2022.1.42941