Carolina de Jesus, a fome e o leitor

Uma análise dialógica de Quarto de Despejo

Palavras-chave: Dialogismo, Estilo, Gênero Literário Diário, Quarto de Despejo

Resumo

Este artigo, embasado no método sociológico proposto pelo Círculo de Bakhtin, tem como objetivo verificar os acarretamentos estilísticos das relações entre autora, herói e leitor em Quarto de Despejo, de Carolina Maria de Jesus. Para tanto, apresenta-se, primeiramente, a discussão proposta por Bakthin, Volóchinov e Medvedev sobre os aspectos determinantes da forma artística. Após, verifica-se o valor hierárquico do herói de Quarto de Despejo em relação à autora e ao oleitor projetado em seu discurso, o grau de aproximação entre a autora e o herói da obra e as inter-relações entre o leitor e a autora e entre o leitor e o herói considerando que estes (autor-herói-leitor) determinam internamente a forma e o estilo do diário enquanto gênero literário. A autora, socialmente subordinada e intimamente ligada ao objeto de seu discurso, busca denunciar as opressões ocasionadas por tal subordinação ao seu leitor, o qual tem por aliado e que, devido a esta aliança, também se relaciona negativamente com a fome.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Luciene Porto Boenavides, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre, RS, Brasil.

Mestra em Estudos da Linguagem – Sociolinguística, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; doutoranda em Linguística no Programa de Pós-Graduação em Letras da Escola de Humanidades da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PPGL/PUCRS), com bolsa integral do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

William Moreno Boenavides, Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Araranguá, SC, Brasil.

Mestre e doutor em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, RS, Brasil; professor do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Araranguá, SC, Brasil. Coordenador do projeto de pesquisa “Memória cultural: resgate e análise das crônicas das Balas de estalo publicadas em 1883”.

Referências

ADORNO, Theodor. Palestra sobre lírica e sociedade. In: ADORNO, Theodor. Notas de literatura I. 2. ed. Tradução de Jorge de Almeida. São Paulo: 34 Editora, 2012. p.65-90. (Coleção Espírito Crítico).

AMORIN, Paloma Franca. Debate sobre Carolina Maria de Jesus beneficia autoras negras. Folha de S.Paulo, São Paulo, 26 abr. 2017. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2017/04/1877618-debate-sobre-carolina-maria-de-jesus-beneficia-escritoras-negras.shtml. Acesso em: 10 jul. 2018.

ASSIS, Joaquim Maria Machado de. Obras Completas. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2008. v. 1.

BAKHTIN, Mikhail. O discurso no romance. In: BAKHTIN, Mikhail. Questões de estética e de literatura. 3. ed. São Paulo: Editora da UNESP, 1993. p. 71-210.

BAKHTIN, Mikhail Mjkhailovitch. Estética da criação verbal. 2. Ed. Prefácio de Tzvetan Todorov. Tradução de Maria Emsantina Galvão G. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 5. ed. Prefácio à edição francesa de Tzvetan Todorov. Introdução e tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

BAKHTIN, Mikhail. Para uma filosofia do ato responsável. Tradução de Valdemir Miotello e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2012.

BAKHTIN, Mikhail. Teoria do romance I: A estilística. Tradução, prefácio, notas e glossário de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2015.

BAKHTIN, Mikhail Mjkhailovitch. Os gêneros do discurso. Organização, tradução e notas de Paulo Bezerra. Notas da edição russa de Serguei Botcharov. São Paulo: Editora 34, 2016.

COMPAGNON, Antoine. Literatura para quê? Tradução de Laura Taddei Brandini. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

CORONEL, Luciana Paiva. A censura ao direito de sonhar em Quarto de despejo, de Carolina Maria de Jesus. Estudos de literatura brasileira contemporânea, Brasília, n. 44, p. 271-288, 2014.

DANTAS, Audálio. A atualidade do mundo de Carolina. In: JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: Diário de uma favelada. São Paulo: Oficinas Gráficas de Linográfica, 1960.

ECO, Umberto. Pós-escrito a O nome da rosa. Tradução de Letizia Zini Antunes e Álvaro Lorencini. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1985.

FANINI, Angela Maria Rubel; VILELA, Carla Prado. A centralidade da linguagem e do trabalho em quarto de despejo. Línguas & Letras, [S. l.], v. 15, n. 29, dez. 2014. ISSN 1981-4755. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/linguaseletras/article/view/9753. Acesso em: 22 mar. 2021.

GUIMARÃES, Hélio de Seixas. Os leitores de Machado de Assis: o romance machadiano e o público de literatura no século 19. São Paulo: EdUSP, 2004.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: diário de uma favelada. 1. ed. Organização e apresentação de Audálio Dantas. São Paulo: Editora Paulo de Azevedo, 1960.

LÍSIAS, Ricardo. Divórcio. Alfaguara, 2013.

LUCINDA, Elisa. Carolina de Jesus é literatura sim! In:PublishNews. [S. I.], 24 abr. 2017. Disponível em: http://www.publishnews.com.br/materias/2017/04/24/carolina-de-jesus-e-literatura-sim. Acesso em: 10 jul. 2018.

LUKÁCS, György. Estética 1: La peculiaridad de lo estético. Barcelona: Grijalbo, 1982. (Los problemas del reflejo en la vida cotidiana. Caracterización del pensamiento cotidiano, v. 1).

MEDVIÉDEV Pável Nikoláievitch. O método formal nos estudos literários: introdução à poética sociológica. Tradução de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Contexto, 2012.

PERPÉTUA, Elzira Divina. Aquém do Quarto de despejo: a palavra de Carolina Maria de Jesus nos manuscritos de seu diário. Estudos de literatura brasileira contemporânea, Brasília, n. 22, p. 63-83, 2003.

REZENDE, Maria Valéria. Quarenta dias. 1. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2014.

SANSEVERINO, Antônio Marcos Vieira. Sobre a categoria de mediação em Adorno. Via Atlantica, São Paulo, n. 13, p. 99-112, 2008.

SOBRAL, Adail. Do dialogismo ao gênero: as bases do pensamento do Círculo de Bakhtin. Campinas: Mercado das Letras, 2009.

TEZZA, Cristovão. O filho eterno. Rio de Janeiro: Record, 2007.

TODOROV, Tzvetan. A literatura em perigo. Tradução de Caio Meira. Rio de Janeiro: Difel, 2009.

VOLOCHÍNOV, Valentin Nikolaevich]. BAKHTIN, Mikhail. Palavra própria e palavra outra na sintaxe da enunciação. São Carlos: Pedro e João Editores, 2011.

VOLOCHÍNOV, Valentin Nikolaevich. Marxismo e Filosofia da Linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução, notas e glossário de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. Ensaio introdutório de Sheila Grillo. São Paulo: Editora 34, 2017. 376 p.

Publicado
2021-11-09
Como Citar
Boenavides, D. L. P., & Moreno Boenavides, W. (2021). Carolina de Jesus, a fome e o leitor: Uma análise dialógica de Quarto de Despejo. Letrônica, 14(3), e39254. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2021.3.39254