Descontinuidades entre aquisição da produção oral e aprendizagem da escrita

Palavras-chave: Aquisição da linguagem oral, Aprendizagem da produção escrita, Ruptura espaço-temporal, Conversão fonema-grafema

Resumo

Desenvolvem-se as premissas para o processamento cognitivo na alfabetização para a escrita, demonstrando que não predominam as semelhanças entre o processamento da produção oral e o da escrita, havendo muitas descontinuidades. Para facilitar a argumentação, resumo em um quadro, as descontinuidades que demonstram muitas das dificuldades com as quais se defrontam as crianças para se tornarem redatores competentes. Assim, enquanto a aquisição da fala ocorre de forma espontânea e compulsória, para aprender a produzir um texto escrito, é necessário o ensino sistemático por professores muito bem preparados e materiais pedagógicos de qualidade, ambos fundamentados
pelos avanços das ciências que se ocupam da linguagem verbal. Enquanto a comunicação oral canônica ocorre face a face, na comunicação escrita ocorre a ruptura espaço-temporal, determinando um custo cognitivo enorme, pois quem escreve deve dominar o distanciamento necessário para imaginar para
quem está escrevendo, quando e onde ele está para explicitar linguisticamente todas as informações que não estão à vista de quem vai ler o texto. Os limites da memória de trabalho, quando falamos, fazem com que as sentenças sejam breves e muito mais simples. O caráter de permanência do texto escrito possibilita a complexidade maior da sentença, com várias orações encaixadas, uso intensivo de anafóricos, inclusive lexicais. O contínuo da cadeia da fala oposto aos espaços em branco e aos contrastes entre as letras, na escrita é uma das grandes diferenças entre os dois sistemas, determinando uma das grandes dificuldades para quem está começando a aprender a escrever, inclusive porque o léxico mental fonológico da criança, muitas vezes discrepa em demasia das palavras escritas. Portanto é necessário trabalhar a nível consciente a conversão dos fonemas em seu respectivo grafema em uma dada palavra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonor Scliar-Cabral, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC, Brasil.

Doutora em Linguística pela Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo, SP, Brasil. Pós-Doutora pela Universidade de Montréal. Professora Emérita, titular aposentada e professora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Linguística na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, SC, Brasil. Fundadora, ex-presidente e atual sócia honorária da International Society of Applied Psycholinguistics. Alimenta o maior banco mundial em aquisição da linguagem, o CHILDES; criou o Sistema Scliar de Alfabetização.

Referências

BADDELEY, A. D. The episodic buffer as a new component of Working Memory? Trends in Cognitive Sciences, Cambridge, MA, v. 4, n. 11, p. 417-423, 2000.

D’AQUILI, E. G. The biopsychological determinants of culture: An Addison-Wesley Module in Anthropology Reading. v. 13. Massachussets: Addison-Wesley, 1973.

FÁVERO, L. L.; KOCH, I. G. Coesão e coerências textuais. 11. ed. São Paulo: Ática, 2009.

LIBERMAN, A. M. The relation of speech to reading and writing. In: FROST, R.; KATZ, L. (ed.). Orthography, phonology, morphology and meaning. Amsterdam: North-Holland, 1992. p. 167-178.

LOPEZ, B. A. The sound pattern of Brazilian Portuguese (Cariocan dialect). 1979. Tese (Doutorado) – University of California, Los Angeles, 1979.

MATTOSO CAMARA JR., J. Para o estudo da fonêmica portuguêsa. Rio de Janeiro: Org. Simões, 1953.

QUICOLI, A. C. Harmony, lowering and nasalization in Brasilian Portuguese. Língua, Amsterdam, n. 80, p. 295--331, 1990.

SCLIAR-CABRAL, L. Princípios do Sistema Alfabético do Português do Brasil. São Paulo: Contexto, 2003.

SCLIAR-CABRAL, L. Sistema Scliar de Alfabetização: Fundamentos. Florianópolis: Lili, 2013.

SCLIAR-CABRAL, L. Sistema Scliar de Alfabetização: Fundamentos para a Leitura. Florianópolis: Lili (no prelo).

UEHARA, E.; LANDEIRA-FERNANDEZA, J. Um panorama sobre o desenvolvimento da memória de trabalho e seus prejuízos no aprendizado escolar. Ciênc. cogn., Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, p. 31-41, ago. 2010. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/375/187. Acesso em: 15 dez. 2017.

Publicado
2021-08-09
Como Citar
Scliar-Cabral, L. (2021). Descontinuidades entre aquisição da produção oral e aprendizagem da escrita. Letrônica, 14(2), e38815. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2021.2.38815