Falar, ouvir e ler

Um programa para o desenvolvimento da linguagem oral

Palavras-chave: Leitura, Compreensão da leitura, Competência comunicativa oral, Linguagem oral

Resumo

Na atualidade, é inquestionável o papel da linguagem oral para a aprendizagem da leitura e para a competência comunicativa. No entanto, a promoção da competência comunicativa oral não tem recebido, por parte da investigação, a mesma atenção do que a leitura. Este estudo descreve, de forma sucinta, um programa de promoção do desenvolvimento da competência comunicativa oral (CCO) – Comunicação e expressão oral: falar, ouvir e ler no ensino básico –, destinado ao 7º ano de escolaridade, e apresenta os resultados do estudo empírico que analisou o impacto da sua aplicação durante um ano letivo, em duas escolas públicas do Norte de Portugal. Foi utilizado um design quase-experimental, envolvendo uma amostra de 122 participantes. Para a avaliação dos efeitos do programa, foi utilizada a Grelha de Registo, observação e avaliação da competência comunicativa oral (GROACCO), que avalia as habilidades verbais, paraverbais e não verbais que compõem a CCO, com base em uma escala Likert de 5 pontos (de 1 = Fraco a 5 = Excelente). Os resultados das análises estatísticas (MANCOVA e ANCOVA) mostram que o grupo experimental apresenta ganhos significativamente superiores aos do grupo de controlo, quer nos três domínios que integram a CCO, quer no score total.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Cristina Fernandes Monteiro, Universidade do Minho/Instituto de Educação (UMinho), Braga, Portugal.

Licenciada em ensino de Português e Alemão pela Universidade do Minho (UMinho), em Braga, Portugal. Mestre em Inovação Pedagógica e Mudança Educacional – Instituto Politécnico de Viana do Castelo, ESE; investigadora bolseira (Bolsa de Doutoramento FCT – REF. SFRH/BD/116722/2016) no Programa de Doutoramento em Ciências da Educação, especialidade em Psicologia da Educação, Universidade do Minho, IE – CIEC (UMinho), em Braga, Portugal.

Fernanda Leopoldina Parente Viana, Universidade do Minho/Instituto de Educação (UMinho), Braga, Portugal.

Psicóloga. Doutorada em Psicologia da Educação pela Universidade do Minho (UMinho), em Braga, Portugal, onde foi docente de 1988 a 2019. Investigadora integrada do CIEC - Centro de Investigação em Estudos da Criança da Universidade do Minho (UMinho). Coordenou vários projetos de investigação nas áreas da linguagem e da leitura.

Referências

BUESCU, Helena et al. Programa e Metas Curriculares do Português do Ensino Básico. Lisboa: Ministério da Educação, 2015.

COHEN, Jacob. Statistical power analysis for the behavioral sciences. 2. ed. New York: Lawrence Erlbaum Pub, 1988.

CONTI-RAMSDEN, Gina. Language interaction with atypical language learners. In: GALLAWAY, Clare; RICHARDS, Brian J. (org.). Input and interaction in language acquisition. London: Cambridge University Press, 1994. p. 183-198.

DE GRANDPRÉ, Martine; LAFONTAINE, Lizanne; PLESSIS-BÉLAIR, Ginette. L’oral pragmatique: un objet d’enseignement/apprentissage nécessaire pour faciliter l’entrée des élèves dans le monde scolaire. Les Dossiers des Sciences de L’Éducation, v. 36, p. 11-36, 2016.

DEPARTMENT FOR EDUCATION. The Framework for the National Curriculum: a report by the Expert Panel for the National Curriculum review. London: Department for Education, 2011.

FACHADA, Odete. Psicologia das relações interpessoais. Lisboa: Edições Rumo, 2001.

FIELD, Andy. Discovering Statistics Using SPSS. 3. ed. London: Sage Publications, 2009.

GABINETE DE ESTATÍSTICA E PLANEAMENTO DA EDUCAÇÃO (GEPE); MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (ME). A dimensão económica da literacia em Portugal: uma análise. Lisboa: Editorial do Ministério da Educação, 2009. Disponível em: http://livro.dglab.gov.pt/sites/DGLB/Portugues/apoios/Documents/economia_da_literacia_pt.pdf. Acesso em: 26 jun. 2020.

GARCIA, José R.; CAIN, Kate. Decoding and reading comprehension: A meta-analysis to identify which reader and assessment characteristics influence the strength of the relationship in English. Review of Educational Research, v. 84, n. 1, p. 74-111, 2014.

GAUSSEL, Marie. Je parles, tu dis, nous écoutons: apprendre avec l’oral. Dossier de Veille de L’IFÉ, Lyon, n. 117, p. 1-32, 2017.

GOUGH, Philip; TUNMER, William. Decoding, reading and reading disability. Remedial and Special Education, v. 7, n. 1, p. 6-10, 1986.

HAIR, Joseph et al. Multivariate Data Analysis. 7. ed. New Jersey: Pearson Prentice Hall, 2010.

HALLIDAY, Michael A. An introduction to functional grammar. London: Edward Arnold, 1985.

HALLIDAY, Michael A. Spoken and written language. Oxford: Oxford University Press, 1989.

HINTON, Perry et al. SPSS Explained. London: Routledge, 2004.

HOOVER, Wesley; GOUGH, Philip. The simple view of reading. Reading and Writing, v. 2, p. 127-160, 1990.

HYMES, Dell Hathaway. On communicative competence. In: PRIDE, John Bernard; HOLMES, Janet (org.). Sociolinguistics. London: Penguin, 1972. p. 269-293.

LANGUAGE AND READING RESEARCH CONSORTIUM (LARRC); CHIU, Ya-Da. The simple view of reading across development: The prediction of grade 3 reading comprehension by prekindergarten skills. Remedial and Special Education. Remedial and Special Education, v. 395, p. 289-303, 2018.

LEMKE, Jay L. Using Language in the Classroom. Oxford: Oxford University Press, 1989.

LOMAS, Carlos. El aprendizaje de la comunicación en las aulas. Barcelona: Paidós Comunicación, 2002.

LOMAS, Carlos; OSORO, Andrés; TÚSON, Amparo. Ciencias del lenguaje, competencia comunicativa: el enfoque comunicativo de la enseñanza de la lengua. Barcelona: Ediciones Paidó s, 1993.

LUQUE, Alfonso; VILA, Ignasi. Aquisição da linguagem. In: COLL, César; PALÁCIOS, Jesús; MARCHESI, Alvaro (org.). Desenvolvimento psicológico e educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995. p. 149-164.

MONTEIRO, Carla. Competência comunicativa oral e competência social no ensino básico: contributos da investigação para a inovação educacional. 2011. Tese (Mestrado em Inovação e Mudança Educacional) – Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Escola Superior de Educação, Viana do Castelo, 2011.

MONTEIRO, Carla et al. Avaliação da competência comunicativa oral no ensino básico: Um estudo exploratório. Revista Portuguesa de Educação, v. 26, n. 2, p. 111-138, 2013.

MONTEIRO, Carla; VIANA, Fernanda; VELOSO, João. Desenho de um programa didático de desenvolvimento da competência comunicativa oral (CCO): uma visão sociocultural da linguagem. In: SILVA, Américo (org.). Educação: Agregando, Incluindo e Almejando Oportunidades. Ponta Grossa: Atena, 2020. p. 110-125.

MORAIS, José. L’Art de Lire. Paris: Editions Odile Jacob, 1994.

NATION, Kate. Children’s reading comprehension difficulties. In: SNOWLING, Margaret; HULME, Charles (org.). The science of reading: a handbook. Oxford: Blackwell, 2005. p. 248-265.

NATION, Kate. Children’s reading difficulties, language, and reflections on the simple view of reading. Australian Journal of Learning Difficulties, v. 24, n. 1, p. 47-73, 2019.

NÚÑEZ, Maria P. Comunicación y expresión oral: hablar, escuchar y leer, en secundaria. Barcelona: Narcea; MECD, 2001.

NUSSBAUM, Lucila. Tradición y innovación en la enseñanza de las lenguas segundas y extranjeras. Textos de Didáctica de la Lengua y la Literatura, v. 23, n. 1, p. 85-93, 1994.

PESTANA, Maria; GAGEIRO, João. Análise de dados para Ciências Sociais: a complementaridade do SPSS. Lisboa: Edições Sílabo, 2008.

PINE, Julian. The language of primary caregivers. In: GALLAWAY, Clare; RICHARDS, Brian (org.). Input and interaction in language acquisition. London: Cambridge University Press, 1994. p. 15-37.

RIPOLL, Juan Cruz; AGUADO, Gerardo; CASTILLA-EARLS, Anny. The simple view of reading in elementary school: a systematic review. Revista de Logopedia, Foniatría y Audiología, v. 34, n. 1, p. 17-31, 2014.

ROSALES, Carlos. La enseñanza del lenguaje verbal en su entorno escolar y multicultural. Tórculo: Universidad de Santiago, 1994.

ROSENTHAL, Robert. Parametric measures of effect size. In: COOPER, Harris; HEDGES, Larry. The Handbook of Research Synthesis. New York: Sage, 1994. p. 231-244.

SANTOS, Sandra et al. Assessing reading comprehension with narrative and expository texts: Dimensionality and relationship with fluency, vocabulary and memory. Scandinavian Journal of Psychology, v. 58, p. 1-8, 2017.

SAUSSURE, Ferdinand. Curso de linguística geral. Tradução de Antônio Cheline, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. São Paulo: Cultrix, 1995.

SAVIGNON, Sandra. Communicative Competence: an experiment in foreign-language teaching. Philadelphia: Center for Curriculum Development, 1972.

SAVIGNON, Sandra. Communicative competence: Theory and classroom practice. Texts and contexts in second language learning. Massachusetts: Addison-Wesley, 1983.

SILVA, António Miguel Borges da. Fluência de Leitura: construção, aplicação e avaliação de sequências didáticas e materiais de intervenção pedagógica. 2018. Tese (Doutoramento em Estudos da Criança – Psicologia do Desenvolvimento) – Instituto de Educação, Universidade do Minho, Braga, 2018.

SIM-SIM, Inês. Desenvolvimento da linguagem. Lisboa: Universidade Aberta, 1998.

SIM-SIM, Inês; DUARTE, Inês; FERRAZ, Maria José. A língua materna na educação básica: competências nucleares e níveis de desempenho. Lisboa: Ministério da Educação; Departamento de Educação Básica, 1997.

SOUSA, Hilário. A comunicação oral na aula de português: programa de intervenção pedagógico-didática. Porto: Edições Asa, 2006.

STUART, Morag; STAINTHORP, Rhona; SNOWLING, Margaret. Literacy as a complex activity: Deconstructing the Simple View of Reading. Literacy, v. 42, n. 2, p. 59-66, 2008.

TEBEROSKY, Ana; JARQUE, Maria Josep. Interação e continuidade entre a aquisição da linguagem e a aprendizagem da leitura e da escrita. Cadernos Cenpec: Nova série, v. 4, n. 1, p. 1-11, 2014.

TUNMER, William; CHAPMAN, James. The Simple View of Reading Redux: Vocabulary Knowledge and the Independent Components Hypothesis. Journal of Learning Disabilities, v. 45, n. 5, p. 453-466, 2012.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL SCIENTIFIC AND CULTURAL ORGANIZATION (UNESCO). Literacy. 2020. Disponível em: https://en.unesco.org/themes/literacy. Acesso em: 24 jun. 2020.

VELLUTINO, Frank. Alternative conceptualizations of dyslexia: an evidence in support of a verbal deficit hypothesis. Harvard Educational Review, v. 47, p. 334-354, 1977.

VELLUTINO, Frank. Dyslexia. Scientific American, v. 256, n. 3, p. 34-41, 1987.

VELLUTINO, Frank et al. Cognitive profiles of difficult to remediate and readily remediated poor readers: early intervention as a vehicle for distinguishing between cognitive and experiential deficits as basic causes of specific reading disability. Journal of Educational Psychology, v. 88, n. 4, p. 601-638, 1996.

VELLUTINO, Frank R.; STEGER, Joseph A.; KANDEL, Gillray. Reading disability: an investigation of the perceptual deficit hypothesis. Cortex, v. 8, n. 1, p. 106-118, 1972.

VIANA, Fernanda; BORGES, Miguel. Promover a fluência em leitura: Um estudo com alunos do 2.o ano de escolaridade. Educar em Revista, v. 62, p. 33–51, 2016.

VILLA, Ignasi. Aquisição da linguagem. In: COLL, César; PALÁCIOS, Jesús; MARCHESI, Alvaro (org.). Desenvolvimento psicológico e educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995. p. 69-80.

WEST, Stephen; FINCH, John; CURRAN, Patrick. Structural equation models with nonnormal variables: problems and remedies. In: HOYLE, Rick (ed.). Structural equation modeling: concepts, issues and applications. Newbery Park: Sage, 1995. p. 56-75.

YAGUELLO, Marina. Alice no País da Linguagem: para compreender a linguística. Lisboa: Editorial Estampa, 1997.

Publicado
2021-08-10
Como Citar
Monteiro, C. C. F., & Viana, F. L. P. (2021). Falar, ouvir e ler: Um programa para o desenvolvimento da linguagem oral. Letrônica, 14(2), e38500. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2021.2.38500