Um estudo sobre o percurso de leitura em ambiente digital

Palavras-chave: estratégias de leitura, compreensão leitora, objeto digital de aprendizagem, captura de tela.

Resumo

Este estudo se fundamenta no campo teórico dos estudos da compreensão leitora (MORAIS, 2013; KINTSCH; RAWSON, 2013; PERFETTI; LANDI; OAKHILL, 2013), que se concretiza por meio do uso de estratégias de leitura (SOLÉ, 1998; MORAES, 2014; PEREIRA, 2012). O estudo teve como objetivo investigar quais estratégias de leitura são mobilizadas por estudantes durante a interação com um objeto digital de aprendizagem. Para tanto, participaram da ação dez estudantes do Ensino Fundamental, de uma escola pública do município de Lajeado, RS, que tiveram sua interação com o objeto gravada por meio de captura de tela com o software de screencast CamStudio, a fim de se identificar as particularidades de seu percurso de leitura durante a interação. Observou-se que a maioria dos alunos lê linearmente até alcançar seu objetivo de leitura, ou seja, até solucionar a questão; depois disso, saltam pelo texto e ignoram seu conteúdo. Participantes que optaram por realizar saltos entre as linhas demonstraram dificuldade, tornando-se necessário realizar retomadas com o objetivo de reler tanto o enunciado quanto partes do texto para resolver a questão. Ainda, verificou-se que os estudantes não leram os feedbacks interativos disponíveis na plataforma.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kári Lúcia Forneck, Universidade do Vale do Taquari (Univates), Lajeado, RS, Brasil.

Doutora em Linguística pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Docente do Curso de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Ensino da Universidade do Vale do Taquari (Univates), em Lajeado, RS, Brasil.

Silvana Neumann Martins, Universidade do Vale do Taquari (Univates), Lajeado, RS, Brasil

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS, Brasil. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino da Universidade do Vale do Taquari (Univates), em Lajeado, RS, Brasil.

Carolina Taís Werlang, Universidade do Vale do Taquari (Univates), Lajeado, RS, Brasil.

Graduanda em Letras pela Universidade do Vale do Taquari (Univates), em Lajeado, RS, Brasil; bolsista de Iniciação Científica pela Universidade do Vale do Taquari (Univates).

Róger Sullivan Faleiro, Universidade do Vale do Taquari (Univates), Lajeado, RS, Brasil.

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino, da Universidade do Vale do Taquari (Univates), em Lajeado, RS, Brasil. Bolsista Integral de Pós-Graduação pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Pâmela Lopes Vicari, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC, Brasil.

Mestranda em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, SC, Brasil.

Keylliane de Souza Martins, Universidade do Vale do Taquari (Univates), Lajeado, RS, Brasil.

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino pela Universidade do Vale do Taquari (Univates), em Lajeado, RS, Brasil. Docente do Instituto Federal de Educação do Maranhão (IFMA), em Itapecuru Mirim, MA, Brasil.

Referências

ALVES, M. M.; TEIXEIRA, O. Gamificação e objetos de aprendizagem: contribuições da gamificação para o design de objetos de aprendizagem. In: FADEL, L. M. et al. (org.). Gamificação na educação. São Paulo: Pimenta Cultural, 2014. p. 123-142.

BEDDIGTON, J. et al. The mental wealth of nations. Nature, London, n. 455, p. 1057-1060, 2008. https://doi.org/10.1038/4551057a

BRASIL. Relatório Brasil no PISA 2018: Versão Preliminar. Brasília: Ministério da Educação (MEC); Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP; Diretoria de Avaliação da Educação Básica (DAEB), 2018. Disponível em: http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/pisa/documentos/2019/relatorio_PISA_2018_preliminar.pdf. Acesso em: 27 jul. 2020.

COLTHEART, M. Modelando a leitura: a abordagem da dupla rota. In: SNOWLING, M. J.; HULME, C. (org.). A ciência da leitura. Porto Alegre: Penso, 2003. p. 24-41.

FORNECK, K. L.; FUCHS, J. T.; BERCH, M. E. Objetos digitais de aprendizagem para o ensino e a aprendizagem da leitura. Revista Linguística, Rio de Janeiro, v. 11, n. 2, p. 208-228, 2015.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Resumo Técnico: resultados do índice de desenvolvimento da Educação Básica. Brasília: INEP, 2017. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/portal_ideb/planilhas_para_download/2017/ResumoTecnico_Ideb_2005-2017.pdf. Acesso em: 30 jul. 2020.

KATROCHVIL, C. F. Letramento e tecnologia: o aprendiz estratégico e crítico na era da informação. In: NASCIMENTO, A. D.; HETKOWSKI, T. M. (org.). Educação e contemporaneidade: pesquisas científicas e tecnológicas.Salvador: EDUFBA, 2009. p. 205-219.

KINTSCH, W.; RAWSON, K. Compreensão. In: SNOWLING, M.; HULME, C. (org.). A ciência da leitura. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 227-244.

KOL, S.; SCHCOLNIK, M. Enhancing screen-reading strategies. CALICO Journal, [s. l.], v. 18, n. 1, p. 67-80, 2000. https://doi.org/10.1558/cj.v18i1.67-80

LEFFA, V. J. Aspectos da leitura. Porto Alegre: Sagra, 1996.

MORAES, R. C. T. Ler e compreender textos em inglês: algumas estratégias. São Carlos: UAB UFSCAR, 2014.

MORAIS, J. Criar leitores para professores e educadores. Barueri: Manole, 2013.

PEREIRA, V. W. A predição na teia de estratégias de compreensão leitora. Revista Confluência, Rio de Janeiro, v. 1, p. 81-91, 2012. https://doi.org/10.17851/1983-3652.10.1.66-82

PEREIRA, V. W.; BARETTA, D.; SARAIVA, J. R. Compreensão, estratégias e aprendizagem no uso de um livro digital multimídia. RASAL Linguística, [s. l.], p. 117-135, 2017.

PEREIRA, V. W.; SANTOS, T. V. Consciência linguística no uso de estratégias de leitura na escola, em tecnologia virtual e tecnologia não virtual. Texto Livre, [s. l.], v. 10, n. 1, p. 66-82, jan./jun. 2017.

PERFETTI, C. A.; LANDI, N.; OAKHILL, J. A aquisição da habilidade de compreensão da leitura. In: SNOWLING, M. J.; HULME, C. (org.). A ciência da leitura. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 245- 264.

REPOSITÓRIO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM DA UNIVATES (ROAU). Disponível em: www.univates.br/roau. Acesso em: 27 jul. 2020.

SOLÉ, I. Estratégias de Leitura. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

ZACHARIAS, V. R. C. Letramento Digital: desafios e possibilidades para o ensino. In: COSCARELLI, C. V. (org.). Tecnologias para aprender. São Paulo: Parábola Editorial, 2016. p. 16-19.

Publicado
2020-10-08
Como Citar
Forneck, K. L., Martins, S. N., Werlang, C. T., Faleiro, R. S., Vicari, P. L., & Martins, K. de S. (2020). Um estudo sobre o percurso de leitura em ambiente digital. Letrônica, 13(4), e37628. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2020.4.37628