Gênero e raça em Xica da Silva

A cinderela negra, de Ana Miranda

Palavras-chave: Gênero, Teorias feministas, Interseccionalidade, Escritura feminina.

Resumo

 Este trabalho realiza uma leitura da interseccionalidade entre raça e gênero no Brasil do período colonial, tendo como corpus a obra Xica da Silva: a cinderela negra, de Ana Miranda, e o cenário político e sócio-histórico do País do século XVIII. O objetivo central é analisar o espaço ocupado pelas mulheres nas produções literárias feministas da atualidade, interessando verificar como esse espaço reflete a formação cultural do país, tendo em vista a interseccionalidade gênero/raça na obra em questão. Na perspectiva de interlocução entre literatura e política, os procedimentos metodológicos do estudo estão embasados na pesquisa bibliográfica e na análise de conteúdo, com o aporte da noção de interseccionalidade. A ideia defendida é a de que o registro da história das mulheres propicia outras releituras da história oficial, com narrativas que podem ser marcadas pela passagem de uma postura social de subalternidade para a de valoração e legitimação da voz social aceita entre a produção literária circulante no campo cultural. Nesses termos, a obra literária servirá de proposta para uma leitura da interseccionalidade entre raça e gênero no contexto histórico colonial. Os resultados do estudo indicam que Xica da Silva foi única, considerada como um caso de exceção da condição da mulher negra no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda da Silva Oliveira, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS

Doutora em Teoria da Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre, RS; professora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em Santa Maria, RS, Brasil.

Referências

DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. Trad. Heci Regina Candiani. São Paulo: Boitempo, 2016.

MIRANDA, Ana. Xica da Silva: a cinderela negra. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 2017.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso. E-book. Rio de Janeiro: Leya Brasil, 2017.

VIVEROS VIGOYA, Mara. La interseccionalidad: una aproximación situada a la dominación. Debate Feminista, n.52, p. 1- 17, 2016. https://doi.org/10.1016/j.df.2016.09.005

Publicado
2020-05-04
Como Citar
da Silva Oliveira, A. . (2020). Gênero e raça em Xica da Silva: A cinderela negra, de Ana Miranda. Letrônica, 13(3), e36987. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2020.3.36987