Feminismo e intolerância: uma análise das leis estaduais do estado de Roraima

Palavras-chave: Estudos de gênero, Lei estadual, Roraima, Escolas, Decolonialidade

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir sobre Estudos de Gênero no âmbito escolar, tendo como cenário as leis estaduais n.º 1245/2018 e n.º 1323/2019. A primeira, dispõe sobre a proibição de qualquer menção aos estudos de gênero nas escolas estaduais e privadas no estado de Roraima e, a segunda, dispõe sobre a valorização das mulheres e o combate ao machismo nas escolas públicas de Roraima, revogando tacitamente a lei anterior. Entende-se aqui que a escola deve ser um espaço que incentive o pensamento crítico e que fomente o diálogo e a reflexão sem preconceitos. O embate entre ambas as leis pode ser considerado um exemplo inequívoco do recrudescimento desses discursos de ódio que se exacerbaram com a polarização política ampliada no Brasil nos últimos anos. Inspirado no pensamento decolonial latino-americano e nos Estudos de Gênero, esse artigo propõe uma reflexão acerca do impacto dessas leis e seus significados para a sociedade roraimense na atualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Martha Júlia Martins de Souza, Universidade Federal de Roraima (UFRR), Boa Vista, RR

Doutora em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, Florianópolis, SC, Brasil), professora da Universidade Federal de Roraima (UFRR), Boa Vista, RR, Brasil.

Referências

BANDEIRA, Lourdes Maria. Violência de gênero: a construção de um campo teórico e de investigação. In: HOLLANDA, Heloísa B. (org.). Pensamento Feminista Brasileiro: formação e contexto. Rio de Janeiro: Bazar do tempo, 2019.

BIROLI, Flávia. Gênero e Desigualdades: limites da democracia no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.

BIROLI, Flávia; MIGUEL, Luis Felipe. Feminismo e Política. São Paulo: Boitempo, 2014.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago & GROSFOGUEL, Ramón. El giro decolonial. Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores, 2007.

COSTA-BERNARDINO, Joaze; MALDONADO-TORRES, Nelson; GROSFOGUEL, Ramón. Decolonialidade e pensamento afrodiaspórico. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

DUARTE, Constância L. Feminismo: uma história a ser contada. In: HOLLANDA, Heloísa B. (org.). Pensamento Feminista Brasileiro: formação e contexto. Rio de Janeiro: Bazar do tempo, 2019.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e Mudança Social. Brasília: Editora da UnB, 2016.

FEDERICI, Silvia. Calibã e a Bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. São Paulo: Elefante, 2017.

FIPE. Pesquisa sobre Preconceito e Discriminação no Ambiente Escolar. Brasília FIPE; MEC; INEP, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/diversidade_apresentacao.pdf. Acesso em: 31 out. 2019.

GROSFOGUEL, Ramón. A estrutura do conhecimento nas universidades ocidentalizadas: racismo/sexismo epistêmico e os quatro genocídios/epistemicídios do longo século XVI. Revista Sociedade e Estado, v. 31, n. 1, jan./abr. 2016. https://doi.org/10.1590/S0102-69922016000100003

INEP. FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Atlas da violência 2019. Brasília: Rio de Janeiro: São Paulo: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada; Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 2019. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatorio_institucional/190605_atlas_da_violencia_2019.pdf. Acesso em: 31 out. 2019.

LUGONES, María. Colonialidad y Género: hacia un feminismo descolonial. In: MIGNOLO, Walter et al. (org.). Género y Descolonialidad. Buenos Aires: Del Signo, 2014.

MIGNOLO, Walter et al. (org.). Género y Descolonialidad. Buenos Aires: Del Signo, 2014.

MIGNOLO, Walter; WALSH, Catherine. On decoloniality: concepts, analytics, praxis. Duke University Press Books, 2018. https://doi.org/10.1215/9780822371779

PITANGUY, Jacqueline. A carta das mulheres brasileiras aos constituintes: memórias para o futuro. In: HOLLANDA, Heloísa B. (org.). Pensamento Feminista Brasileiro: formação e contexto. Rio de Janeiro: Bazar do tempo, 2019.

RORAIMA. Lei nº 1.322, de 31 de julho de 2019. Dispõe sobre a valorização das mulheres e o combate ao machismo na rede pública estadual de ensino de Roraima. Antonio Denarium Governador do Estado de Roraima. Boa Vista: Diário Oficial nº 3.530, 2019. p. 2.

RORAIMA. Lei nº. 1.245, de 02 de fevereiro de 2018. Dispõe sobre a proibição de atividades pedagógicas que visem à reprodução do conceito de ideologia de gênero na grade curricular das Escolas Estaduais públicas e privadas do Estado de Roraima, e dá outras providências. Suely Campos Governadora do Estado de Roraima. Boa Vista: Poder Judiciário; Tribunal de Justiça do Estado de Roraima; Comissão Permanente de Legislação e Jurisprudência, 2018. Disponível em: https://www.tjrr.jus.br/legislacao/phocadownload/leisOrdinarias/2018/1245.pdf. Acesso em: 31 out. 2019.

SANTOS, Boaventura de Sousa et al. Epistemologías del Sur. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: CLACSO; Coímbra: Centro de Estudos Sociais – CES, 2018. Libro digital, PDF.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A difícil democracia: reinventar as esquerdas. São Paulo: Boitempo, 2016.

WALSH, Catherine. Interculturalidade y colonialidad del poder. Un pensamiento y posicionamiento “otro”

desde la diferencia colonical. In: El giro decolonial. Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores, 2007

Publicado
2020-02-16
Como Citar
de Souza, M. J. M. (2020). Feminismo e intolerância: uma análise das leis estaduais do estado de Roraima. Letrônica, 13(2), e36253. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2020.2.36253