A escrita feminina em La casa de los espíritus, de Isabel Allende

Palavras-chave: Escrita feminina. Literatura latino-americana. Memória. Poder. Gênero.

Resumo

A obra La casa de lo sespíritus, de Isabel Allende, corresponde a uma importante narrativa de escrita de mulheres latino-americanas. Publicada em 1982, faz parte do pós-boom, movimento que atualiza a escrita do boom latino-americano para determinadas características literárias, como o memorialístico. O objetivo deste artigo é analisar a obra de Allende a partir da (re)escritura que a personagem Alba faz da história da família como modo de recuperar a si mesma como sujeito. A escrita da memória de Alba significa os novos rumos da literatura latino-americana pós-boom: uma escrita para não esquecer. Por fim, conclui-se desenvolvendo brevemente de que maneira La casa dos espíritus serve como um texto que reforça o papel feminista de empoderamento da mulher, por meio da escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda da Silva Oliveira, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS

Graduada em Letras Português/Espanhol e Respectivas Literaturas pela Universidade Feevale (FEEVALE) e em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Especialista em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestre e Doutora em Teoria da Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Atualmente, é Professora Adjunta do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), onde desenvolve estudos nas áreas de ensino de língua estrangeira, língua espanhola, e no projeto de pesquisa “A literatura como ferramenta no ensino de língua espanhola”.

Referências

ADICHIE, Chimamanda. Sejamos todos feministas. E-book. Disponível em www.kobobooks.com. Acesso em: 30 set. 2014. https://doi.org/10.14393/cef-v31n1-2018-19

ALLENDE, Isabel. La casa de los espíritus. España: Penguin, 2015. [1982].

DALCASTAGNÈ, Regina. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. Vinhedo: Editora Horizonte; Rio de Janeiro: Editora da Uerj, 2012.

FERREIRA-PINTO, Cristina. Escrita, auto-representação e realidade social no romance feminino latino-americano. Revista de Crítica LiterariaLatinoamericana, [S. l.], n. 45, p. 81-95, 1. sem. 1997. https://doi.org/10.2307/4530893

LITERATURA Latino-americana. Revista Bravo!, São Paulo, n. 117, maio 2007.

NAVARRO. Márcia Hoppe. Apresentação. In: NAVARRO. Márcia Hoppe (org.). Rompendo o silêncio: Gênero e literatura na América Latina. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS, 1995. p. 09-10.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução: Alain François [et al.]. Campinas: Editora da UNICAMP, 2007.

SHAW, Donald L. La narrativa testimonial y el posboom. In: SHAW, Donald L. Nueva Narrativa Hispanoamericana: Boom, Posboom, Posmodernismo. 6. ed. . Madrid: Cátedra, 1999. p. 253-276.

Publicado
2020-04-08
Como Citar
Oliveira, A. da S. (2020). A escrita feminina em La casa de los espíritus, de Isabel Allende. Letrônica, 13(1), e35139. https://doi.org/10.15448/1984-4301.2020.1.35139