CHAMADA DE ARTIGOS - LINGUÍSTICA (v.14, n.4, 2021)

2020-10-07

REACENTUAÇÕES, ESTEREÓTIPOS E DESLOCAMENTOS NA CONTEMPORANEIDADE:

O DISCURSO COMO ESPAÇO DE (RE)ORGANIZAÇÃO SOCIAL

 

Diante da situação excepcional e global que nos chega via COVID-19 e da revelação de uma crise que está percorrendo todo o mundo e a nossa América Latina de forma desenfreada, ouvimos muitos analistas e teóricos dizerem que a cultura está falhando devido a altos níveis de violência e destruição social, como a falta de proteção ao meio ambiente, as xenofobias, a inequidade e desigualdade social, a falta de oportunidades, o desrespeito aos direitos humanos, as vozes caladas das minorias, entre outros. Neste contexto, o pensamento de Mikhail Bakhtin ressurge porque a vida das palavras, como fluxo temporário de distinções, proibições e exclusões, determina as condições reais do presente e reorganiza um contexto social. Apreendemos o mundo somente por meio de palavras reacentuadas. Diante de um conflito, que supostamente impediria a conversa, Bakhtin o propõe como uma das formas de diálogo que caracteriza o ser humano como criador da cultura. O vínculo entre o texto, o autor e a sociedade, bem como a reconstrução da história, a ética, a estética e a recepção dos discursos sociais se enquadram em dois conceitos bakhtinianos ressaltados e deslocados pela crítica contemporânea: dialogismo e polifonia. Roland Barthes, por sua vez, estuda estereótipos sociais como cristalizadores de significados baseados em preconceitos. Existem palavras cuja aparência é familiar e intimidante porque sua carga cultural parece óbvia (dada de antemão), de modo que a violência do que é dado como certo reduz ou elimina a diferença. Com o objetivo de divulgarmos pesquisas neste âmbito, este número da Revista Letrônica, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, está recebendo trabalhos para a composição de seu dossiê temático Reacentuações, estereótipos e deslocamentos na contemporaneidade: o discurso como espaço de (re)organização social. As contribuições poderão fundamentar-se nas reflexões do Círculo de Bakhtin, Roland Barthes, Dominique Maingueneau, Patrick Charaudeau, bem como em outros teóricos do discurso.

 

Organização:

Dr. Cláudio Primo Delanoy (PUCRS, RS, Brasil)

Dra. Laura Utrera (Universidad Nacional de Rosario, Rosario, Argentina)

Doutoranda Patrícia Azevedo Gonçalves (PUCRS, RS, Brasil)

 

Data de submissão: de 01/10/2020 a 15/12/2020