CHAMADA DE TRABALHOS – LITERATURA (v. 14, n. 3, 2021)

2020-07-09

PERSONAGENS SUBALTERNAS NAS LITERATURAS DE LÍNGUA PORTUGUESA

O subalterno apresenta-se como uma figura complexa desde a sua definição por Antonio Gramsci (Cadernos do Cárcere, 2001), que a substitui à categoria mais restrita do proletário. Em torno dela surge o conceito de hegemonia cultural, lembrando que a subalternidade, além da sua dimensão social, possui componentes culturais e epistemológicos. Condenado ao mutismo na perspectiva de Gayatri Spivak (Pode o subalterno falar?, 1988), esse sujeito subalterno sofre diversas formas de dominação, capitalista, colonial ou machista. Ora, segundo a mesma autora (In other worlds: essays in cultural politics, 1987), a representação literária de figuras subalternas constitui uma forma possível de resistência contra-hegemônica. A frequência e a diversidade das figuras subalternas nem sempre tiveram lugar nas literaturas de língua portuguesa, como ocorre na contemporaneidade. Por conseguinte, a partir de um corpus alargado de textos, poderá ser avaliada a diversidade das representações dos sujeitos subalternos, a partir de pressupostos que sustentam essas representações, bem como poderão ser verificados os mecanismos que põem em causa perspectivas essencializadoras, que revelam fatores de inferiorização.

Organização:

Dra. Maria Tereza Amodeo (PUCRS, RS, Brasil)
Dra. Silvia Amorim (Université Bordeaux Montaigne, Bordeaux, França)
Doutorando Anderson Trindade Chaves (PUCRS, RS, Brasil)

Data de submissão: de 07/07/2020 a 08/09/2020